USP e covid-19

Como a USP está contribuindo para o combate à covid-19?

Reunimos aqui as ações das diversas Unidades da USP no combate à covid-19.

(última atualização – 03/09/2020 às 18h46)

Programa USP VidaClique aqui para fazer sua doação aos projetos de pesquisa.

Outras formas de ajudar:

Linhas de Pesquisa sobre a COVID-19 na USP

  • E-health na conscientização para prevenção e controle da COVID-19 e outras infecções respiratórias transmissíveis. A presente proposta contempla a construção, validação e disponibilização de material educativo para intervenção motivacional breve e intensiva, mediada por mídias digitais baseadas na web, para melhorar as precauções de segurança individuais e coletivas na prevenção da infecção por COVID-19 junto a estudantes universitários na faixa etária de 18 a 25 anos. Responsáveis: Profa. Marta Cristiane Alves Pereira, Profa. Carla Regina de Sousa Teixeira; Profa. Rosangela Andrade Aukar de Camargo e Profa. Luciane Sá de Andrade (EERP).
  • Desenvolvimento de tecnologia digital educacional sobre atenção à Saúde Neonatal na prevenção da COVID-19. Pesquisa de aplicação para o desenvolvimento de dois infográficos sobre atenção à Saúde Neonatal na prevenção da COVID-19, junto aos profissionais de saúde e familiares de recém-nascidos. Responsável: Profa. Luciana Mara Monti Fonseca, EERP.
  • O CEstA-USP abre um espaço à sua rede nacional e internacional de pesquisadores indígenas e não indígenas e a outros parceiros, a fim de compartilhar reflexões, relatos e materiais informativos sobre situações regionais e iniciativas de apoio a um dos segmentos mais vulneráveis da sociedade brasileira. O objetivo é acompanhar e documentar o desenrolar da pandemia entre os povos indígenas. Maiores informações podem ser obtidas no site do CEstA (http://cesta.fflch.usp.br/) e no site do projeto (https://amerindios.wixsite.com/acao). Responsável: Prof. Eduardo Natalino dos Santos, FFLCH.
  • Por que conservar e restaurar a vegetação nativa pode evitar pandemias? Infográficos de divulgação para o público em geral. Autoria: Adriana P. Diniz, Ana F. Boeni, Débora C. Rother, Jannie F. Guimarães e Marina M. Duarte. Revisão: Ricardo R. Rodrigues. Ilustração: Marina M. Duarte. http://lerf.eco.br/capa.asp?pi=publicacoes&id=13
  • Elaboração de recomendações pela AMB, veiculação de recomendações atualizadas, emitidas pelo Ministério da Saúde, AMB e outras autoridades sanitárias, respostas aos colegas e à população referentes à crise do COVID-9, com o objetivo de orientar sobre estratégias de proteção no plano físico e emocional. Responsável: Profa. Carmita Helena Najjar Abdo, com a colaboração e membros do Departamento de Psiquiatria da FMUSP, Membros do Departamento de Psiquiatria da FMUSP, do Programa de Estudos em Sexualidade do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP e da Associação Médica Brasileira (AMB).
  • Vídeo sobre a lavagem de mãos. O objetivo do projeto foi o desenvolvimento de um vídeo que estimulasse as pessoas a lavarem as mãos com a técnica adequada, um hábito simples e eficaz no combate ao coronavírus. O vídeo com linguagem moderna espera atingir ao público mais jovem e usuários das mídias digitais, além de engajar a todos na prevenção. Responsável: Prof. Fábio Biscegli Jatene, do Departamento de Cardiopneumologia da FMUSP. Equipe: Guilherme Rabello, Rosangela Monteiro. Colaboração: Núcleo de Inovação e Comissão de Controle da Infecção Hospitalar do Instituto do Coração do HCFMUSP. Outras instituições envolvidas: Produtoras de vídeo privadas: Resistência e Pepita.  URL do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=ClP5ARSicpo.
  • 3a Edição da SancaThon  que focou na cadeia de Food Service, com o objetivo de ajudá-los a superarem a pandemia. Organizado pela EESC. link para dúvidas ou informações: http://www.sel.eesc.usp.br/sel/?p=8819
  • PORTAL COVID-19 BRASIL: Monitoramento e análises da situação do Coronavírus no Brasil. Responsável: Prof. Domingos Alves, FMRP, USP. Monitoramos diariamente os dados fornecidos por fontes oficiais sobre a propagação do vírus no país. Utilizamos ferramentas de análise cientificamente embasadas de maneira a auxiliar gestores, autoridades e a população de uma maneira geral, no enfrentamento desta verdadeira GUERRA contra a COVID-19. Portal: https://ciis.fmrp.usp.br/covid19 Instagram: https://www.instagram.com/ portalcovid19br Twitter: https://twitter.com/portalcovid19br
  • Orientação de pacientes e população de risco (idosos com doença de Parkinson), para aumentar a conscientização e o acesso à informação. Responsável: Prof. Erich Fonoff, do Departamento de Neurologia da FMUSP, com a colaboração da Clínica Integrada de Neurociências. Websites: www.erichfonoff.com.br e https://www.parkinsonhoje.com.br/
  • Videoaula sobre COVID-19. Elaborada com a colaboração de alunos de pós-graduação da FM e também com o apoio da FSP, a videoaula em o objetivo de disseminar conhecimento dessa epidemia, com linguagem de fácil entendimento. Responsável: Prof. Jorge Casseb, da FM. http://www.nap.retrovirus.com.br/ 
  • Projeto GPP Debate: Ciclo de debates do curso de Gestão de Políticas Públicas (EACH/USP) organizado pelos professores Wagner Iglecias e Agnaldo Valentin com objetivo de relacionar temas de interesse da Gestão Pública diante da pandemia. Debates realizados: 05/04/2020: Pandemia, Auxílio Emergencial e Renda Básica, com Leandro Ferreira e Ergon Cugler; 09/04/2020: Pandemia e as Mulheres (saúde, trabalho e política), com Flávia Batista, Tamara Crantschaninov e Thaisa Torres Nunes; 12/04/2020: Emergência Sanitária (medidas de exceção e soberania popular), com Vinícius Felix; 14/04/2020:  Pandemia e Populações Vulneráveis, com Kassia Bobadilla, Natália Neris e Raquel Sobral; 16/04/2020: Situação dos povos indígenas na conjuntura da Covid-19 e atuação da APIB, com Sônia Guajajara, Thiago Henrique Guarani, Jozileia Kaingang, Erisvan Guajajara e mediação de Gabriela Rosa Medeiros; 18/04/2020: Política e Comunicação em tempos de Pandemia, com Carlos Cinquegrana Jr.; 21/04/2020: Pandemia, Políticas Públicas e Federalismo, com Renata Bichir, Cristiane Kerches e Ursula Dias Peres. Debates disponíveis em: https://www.youtube.com/channel/UCTpwtboLtG56uegyasFljjA
  • Efeitos da pandemia do Coronavírus- Publicação de e-book. Chamada de artigos para a publicação de e-Book, intitulado, “PANDEMÍDIA: Vírus, Contaminações e Confinamentos – a urgência de se pensar efeitos da pandemia na mídia contemporânea”. Uma coletânea que trará reflexões científicas acerca dos efeitos suscitados pela pandemia do Coronavírus na relação da sociedade com os recursos audiovisuais. Coordenação: Prof. Almir Antonio Rosa, ECA.
  • Microartes em Voga: Formatos e Mídias para Ações Culturais no Pós-Pandemia. Projeto de inovação em formatos e linguagens (mídia imersiva, 3D, interativa), com objetivo de definir um processo técnico para produção de microartes – audiovisuais curtos e autossuficientes, com valores agregados diferenciais para consumo em dispositivos digitais – e produzir um certo número de peças voltadas para ações culturais em temas de interesse à sociedade, particularmente evidenciados em um cenário disruptivo pós-pandêmico. Os conteúdos das peças serão definidos a partir de temas de interesse social, artístico, cultural e científico em voga em um cenário pós pandemia de COVID-19, e a partir do entendimento da subversão decorrente desta que alterou a rotina de valores, hábitos e interesses na produção e no consumo de informação. Responsável: Prof. Regis Rossi Alves Faria, Professores participantes: Prof. Dr. Regis Rossi Alves, Prof. Dr. Almir Antonio Rosa [Almir Almas] e Prof. Dr. Diosnio Machado Neto. Parceria de três laboratórios da USP, LATM/EACH (Lab. Áudio e Tecnologias Musicais), LabArteMídia – Laboratório de Arte, Mídia e Tecnologias Digitais, ECA/USP, e Lamus/EACH (Lab. Musicologia).
  • Plataforma CO-LAB São Carlos foi desenvolvida pelo IAU-USP com o intuito de criar uma rede colaborativa de enfrentamento da COVID-19 na cidade de São Carlos e região. Seu objetivo é identificar as principais carências de cidadãos e instituições, fomentar ações de colaboração e facilitar a conexão entre elas. Criada em formato Creative Commons a iniciativa é passível de ser replicada em outras cidades. https://www.iau.usp.br/colab/.
  • “ECA Notícias”. Produção de uma série de reportagens especiais sobre os impactos da pandemia na sociedade. As reportagens versam sobre assuntos diversificados e que desafiam a sociedade nos dias atuais: fake news, impactos da pandemia no turismo, posicionamento de marcas e empresas durante a pandemia, uso de tecnologias da comunicação no mundo do trabalho e na educação, novas possibilidades para o teatro durante a pandemia, entre outros conteúdos que tem sido produzidos pela equipe do Laboratório, formado por funcionários e estudantes da USP. Coordenação: Prof. Dr. Eduardo Monteiro e equipe. LAC – Laboratório Agência de Comunicação da Escola de Comunicações e Artes.
  • Produção de uma revista de Histórias em Quadrinhos sobre o Coronavírus, destinada a estudantes do Ensino Fundamental, em especial de escolas públicas. O material informativo, é de domínio público e livre uso. Prof. Dr. Waldomiro Vergueiro e Carlos A. Teixeira, CBD-ECA.
  • Vídeos e discussões de divulgação para a sociedade relacionados à pandemia. https://www.youtube.com/channel/UCdKJlY5eAoSumIlcOcYxIGg https://www.facebook.com/nuncavi1cientista/  ; https://twitter.com/_NV1C https://www.instagram.com/nuncavi1cientista/?hl=en. Responsáveis: Laura de Freitas e Ana Bonassa, pós-doutorandas do Instituto de Química, do grupo Nunca vi 1 Cientista.
  • Textos de orientação da população sobre cuidados com os alimentos e embalagens, nutrição e obesidade infantil em tempos de isolamento, papel dos alimentos na imunidade e outros, disponiveis em www.usp.br/forc e www.alimentosemmitos.com.br. Elaborados pelos pesquisadores do Food Research Center (CEPID-FAPESP), da FCF.
  • O APOIAR – Atendimento on-line foi proposto com o objetivo de atender pessoas que sintam dificuldades mais intensas, como sentimentos de solidão, tristeza, abatimento, que podem ser identificados como depressão. Também medos intensos, muita angústia, dificuldades de dormir, de permanecer em casa, ou ansiedade. Também são relevantes os possíveis conflitos que podem ocorrer a partir de uma convivência diária, para as pessoas, em geral. São realizados atendimentos on line, neste período, para a população em geral, sendo que vimos recebendo profissionais de saúde. A procura tem sido muito intensa. E devermos fazer uma pesquisa documental com respeito aos dados destas pessoas, em termos de idade, gênero, profissão e especialmente queixas e motivos dessa busca. Os atendimentos são feitos por psicólogos inscritos no CFP para atendimento à distância, membros do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clínica Social, sob a supervisão das Profas. Leila Salomão de La Plata Cury Tardivo (Coordenadora do Laboratório) e  Helena Rinaldi Rosa, as quais também se dedicam aos atendimentos. Seguem-se todos os cuidados éticos e técnicos, mantendo a confidencialidade em ambiente seguro.
  • EEFE-USP lançou uma série de Podcasts, com livre acesso na internet, abordando as diferentes formas de se manter a vida ativa durante esse período. O objetivo central dessa ação é proporcionar a toda população informações a respeito da prática segura de exercícios físicos com base nas melhores evidências científicas presentes até o momento. 
  • O uso da máscara facial pela pessoa com sintomas de doença infectocontagiosa: a prevenção da disseminação em locais públicos. Promover a conscientização da população sobre a importância da prevenção de doenças respiratórias infectocontagiosas por meio do uso de máscaras faciais e hábitos de higiene. Profa. Rosa Yuka Sato Chubaci e Profa. Monia Claudia Sarturatto da EACH.
  • Como construir uma máscara de baixo custo.Responsáveis: Prof. Henrique E. Toma (IQ-USP) e Prof Delmárcio Gomes da Silva (IQ-USP). https://youtu.be/1qzwGTe8zzc
  • Como escolher uma máscara. Prof. Henrique E. Toma (IQ-USP) e Prof Delmárcio Gomes da Silva (IQ-USP). https://youtu.be/HcsSjwIFJRc
  • “Prática Multiprofissional na Atenção Básica à Saúde”, mantem um observatório das demandas dos serviços da Atenção Primária, organizando iniciativas de apoio e informação correta à população através de reuniões online com equipes de UBS. É feita a organização de cursos online e iniciativas de troca de informações e materiais de apoio para o trabalho nas frentes de Atenção. Responsável: Prof. Ligia Ferreira Gomes coordenando grupo de alunos.
  • O cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia. Elaboração e divulgação de conteúdos sobre o cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia. Trata-se de publicações realizadas em mídias virtuais voltadas para o público leigo. Coordenação: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana e Camila Corrêa Matias Pereira. Integrantes: Laboratório de Estudos e Pesquisa em Prevenção e Posvenção do Suicídio – LEPS e Centro de Educação em Prevenção e Posvenção do Suicídio – CEPS. 
  • Infográfico animado: Atenção Neonatal: proteção e prevenção da Covid-19. Recurso didático para educação permanente de profissionais de saúde da área de neonatologia. Profa. Dra. Luciana Mara Monti Fonseca (EERP-USP).
  • Infográfico animado Cuidados aos bebês prematuros para proteção à saúde e prevenção da Covid-19. Profa. Dra. Luciana Mara Monti Fonseca (EERP-USP).
  • O Departamento de Administração da FEA criou uma aba no site do SciBiz para publicar as iniciativas/ reflexões feitas por seus professores sobre os temas relacionados ao coronavírus.    https://boletimcovid19.scibizconference.com
  • O Prof. Augusto José Pereira Filho (IAG)  tem respondido perguntas da mídia e interessados sobre a dinâmica do tempo e do clima, material particulado, etc., que podem estar relacionados à propagação viral.
  • Divulgação do valor da febre como estratégia de defesa contra infecções, alertando para implicações negativas do uso indiscriminado de antipiréticos na COVID-19. Coordenação: Prof. Dr. Alexandre Alarcon Steiner, do ICB
  • INFORME DA ACADEMIA DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS SOBRE A COVID19, que tem como objetivo gerar informações técnicas e científicas sobre: epidemiologia, patologia, terapêutica e profilaxia do COVID-19. Primeiro informe foi publicado em 30/03/2020 – AS BASES CIENTÍFICAS DO USO DA CLOROQUINA E DA HIDROXICLOQUINA SOBRE A COVID-19. Resp. Prof. Marco Antonio Stephano.
  • Seminários Online e à Distância sobre Covid-19 com os seguintes temas: “A Leitura dos Dados de Covid-19”, ministrado por Diogo Ferrari, da University of Chicago e Lorena Barberia, da FFLCH (https://youtu.be/11g3nAdV0kI); “O Papel das Epidemias na Redução da Desigualdade”, ministrado pela Profa.  Marta Arretche, da FFLCH (https://youtu.be/NSX5Awn6wJs) e “Covid-19 in Global Perspective: Partisan Divides, Political Marginalization, and Federalism in the U.S. case.” ministrado pelo Prof. Ed Gomez, da Lehigh University (https://zoom.us/j/788260678).
  • Redes de informações de prevenção e cuidado sobre o coronavírus com estudantes do ensino médio de uma ETEC que registra experiências de como o cotidiano dos jovens está sendo afetado pela pandemia. Responsável: Prof. Julio Simões.
  • Elaboração de uma Cartilha – “Envelhecimento saudável em tempos de Pandemia”. Trata-se de uma produção para divulgação científica destinada ao público idoso,  cujo conteúdo apresenta orientações gerontológicas relevantes ao envelhecimento pessoal, com ênfase ao momento atual de cuidados à saúde e isolamento social. Profa. Dra. Meire Cachioni e Profa. Dra. Samila Sathler Tavares Batistoni, EACH.
  • Orientação à população visando à prevenção da disseminação e agravos da pandemia pelo coronavírus (https://www.forp.usp.br/?p=6296). Autor: Prof. Vinícius Pedrazzi, da FORP.
  • A   Faculdade   de Saúde Pública   da USP (FSP) criou    um site (https://www.fsp.usp.br/coronavirus/) para inserir informações de interesse público e as recomendações vigentes da FSP frente à pandemia, com informações de atendimento ao público interno e externo.
  • A Faculdade de Saúde Pública ministrou e colocou à disposição do público a aula aberta sobre PARTO, NASCIMENTO E AMAMENTAÇÃO NA PANDEMIA DE COVID-19.  -Sonia Lanksy: Respostas à pandemia, evidências e direitos das mulheres e bebês. -Denise Niy: Incerteza e irracionalidade na assistência ao parto na resposta à pandemia -Ângela Rios: Recomendações do Ministério da Saúde: o que temos e o podemos esperar? -Felipe Sá: Assistência ao parto na pandemia: experiências do front privado. Link para a aula: Link para a aula aberta meet.google.com/wqm-tegw-eza
  • Podcast sobre as reações à pandemia de coronavírus – Café da manhã – Folha de São Paulo. Prof. Deisy Ventura, Departamento de Saúde Ambiental/FSP-USP, participa de https://www1.folha.uol.com.br/podcasts /2020/03/especialista-analisa-reacoes-a-pandemia-de-coronavirus.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign
  • Tecnologias digitais podem ajudar a superar momentos de crise, diz docente da FSP/USP. Marco Akerman (Departamento de Política, Gestão e Saúde, FSP/USP). https://www.youtube.com/watch?v=62N9- E9hDus&feature=youtu.be
  • O LaHibrid – Laboratório de Hibridação Científico-Política em Saúde Pública do Departamento de Saúde, Ciclos de Vida e Sociedade e o Coletivo de Pesquisa em Antropologia e Saúde (CPaS-1) estão produzindo o Blog “Covd19: fabulações científico-políticas em tempos de pandemia e seus demônios” (https://corona-lahibrid.wixsite.com/covid19 )
  • Especialistas aguardam dados confiáveis de Covid-19 para consolidar modelos em Big Data, mostra professor da FSP em artigo no Estadão – Entrevista do Prof. Dr. Alexandre Chiavegatto Filho (Departamento de Epidemiologia, FSP/USP). https://link.estadao.com.br/noticias/cultura- digital,previsao-sem-dados-nao-e-ciencia-e-opiniao-diz-professor-da- usp,70003251208
  • Brasil precisa continuar com isolamento social para conter transmissão, segundo diretor da FSP/USP – Entrevista do Prof. Dr. Oswaldo Yoshimi Tanaka à Rádio USP. https://jornal.usp.br/atualidades/brasil- precisa-continuar-com- isolamento-social-para-conter-transmissao/
  • Artigo” Incentivar o isolamento social significa valorizar a vida, a saúde e o respeito” – publicado na folha de São Paulo. Ricardo Rodrigues Teixeira (Departamento de Medicina Preventiva, FMUSP) e Ivan França Júnior (Departamento Ciclos de Vida, Saúde e Sociedade, FSP/USP) https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/03/incentivar-o- isolamento-social-significa-valorizar-a-vida-a-saude-e-o- respeito.shtml?utm_ source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=co mpwa
  • Entrevista do Prof. Dr. Eliseu Waldman (Departamento de Epidemiologia, FSP/USP) ao Estado de S. Paulo: É verdade que o coronavírus permanece em superfícies por 3 dias? https://saude.estadao.com.br/noticias/ geral,e-verdade- que-o-coronavirus-permanece-em-superficies-por-3-dias- entenda,70003240818
  • Entrevista do Prof. Dr. Eliseu Waldman (Departamento de Epidemiologia, FSP/USP) ao Estado de S. Paulo: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,especialistas-falam-sobre- interacao-entre-remedios-e-coronavirus-entenda,70003239067
  • Redação do material: “Recomendações relacionadas ao fluxo de atendimento para pacientes com suspeita ou infecção confirmada pelo covid-19 em procedimentos cirúrgicos ou endoscópicos”. Profa. Vanessa de Brito Poveda, da EE. http://sobecc.org.br/arquivos/RECOMENDACOES_COVID_-19_SOBECC_MARCO_20201.pdf 
  • Manual em português: Lesões de pele relacionadas ao uso de equipamentos de proteção individual em profissionais de saúde” (https://doi.org/10.30886/ManualLPRDMCovid19_PT) e em espanhol: Lesiones de piel relacionadas con el uso de equipos de protección personal en profesionales de la salud (https://doi.org/10.30886/ManualLPRDMCovid19_ESP). Elaborado pelo Grupo de Pesquisa em Estomaterapia da EEUSP – GPET em em parceria com a Associação Brasileira de Estomaterapia – SOBEST. Professoras Vera Lúcia Conceição de Gouveia Santos e Paula Cristina Nogueira, ambas da EE.
  • Participação colaborativa junto ao grupo da Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria das Regiões de Saúde, que discute a elaboração de Parâmetros de Equipamentos de Proteção Individual – Covid-19 – orientações gerais. Coordenação do Grupo de Trabalho “EEUSP-COVID-19”, que tem como objetivo reunir informações e atualizar recomendações das autoridades sanitárias, além de elaborar Plano de Contingência, em conjunto com a Diretoria. Coordenação: Profa. Lúcia Yasuko Izumi Nichiata, EE. thttp://www.ee.usp.br/site/Index.php//paginas/mostrar/3562/ e http://www.ee.usp.br/site/Index.php/paginas/mostrar/3565/#5
  • Criação e manutenção de home page (https://sites.google.com/fcfrp.usp.br/covid19/covid-19-scientific-updates?authuser=0) com informações gerais, notícias e coletâneas de artigos científicos relacionados à COVID-19. Responsável: Prof. Flávio da Silva Emery, da FCFRP.
  • Atuação como Presidente da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF) em campanhas de informação, prevenção e tratamento da COVID-19 com publicação de artigos em jornais e revistas, entrevistas, palestras e distribuição de materiais informativos para comunidades carentes do Brasil. Prof. Norberto Peporine Lopes, da FCFRP.
  • O Projeto de Divulgação Digital da FCFRP nas mídias sociais foi idealizado pela Comissão de Cultura e Extensão Universitária da FCFRP e vem sendo implementado por bolsistas Programa Unificado de Bolsas (PUB-Extensão) sob coordenação dos professores Carolina Aires e Flávio Emery e do Apoio Acadêmico da FCFRP. No perfil oficial da FCFRP, são divulgadas, diariamente, notícias relacionadas à Graduação, Pós- graduação, Cultura e Extensão, linhas de pesquisa de nossos docentes e agora, recentemente, informações científicas sobre o coronavírus. Esses vídeos são gravados pelos pesquisadores da FCFRP e veiculados com temáticas pertinentes ao tratamento, controle, prevenção e pesquisas relacionadas ao COVID-19. O objetivo do trabalho é combater uma outra ameaça que tem se espalhado principalmente por meio de redes sociais: a desinformação. As pautas são veiculadas diariamente e replicadas no Facebook. Os endereços das mídias sociais são: https://www.instagram.com/fcfrp/ e https://www.facebook.com/fcfrp.usp/
  • Disseminação de técnicas e equipamentos adaptados para uso durante a pandemia. Durante a pandemia de coronavírus, vários equipamentos e materiais estarão em falta. Estamos construindo um web site colaborativo para disseminar técnicas e equipamentos alternativos para atender necessidades emergenciais em hospitais. Como, por exemplo, técnicas de esterilização de máscaras N95 para reúso e o compartilhamento de respiradores entre pacientes. São técnicas que não são usadas normalmente. Elas são experimentais ou artesanais. Essas técnicas poderão ser usadas por grupos espalhados pelo país em caso de necessidade. Não há um coordenador, é um trabalho cooperativo. Responsável: Dilvan de Abreu Moreira, ICMC.
  • A Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar (SBPH), em parceria com o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, em um esforço conjunto para criar um espaço de troca de experiências, reflexões e construção de saberes a respeito do enfrentamento da pandemia COVID-19, CONVIDA os profissionais psicólogos para participarem dos encontros on-line “ACHAR PALAVRA”, que ocorrerão às terças e quintas-feiras, das 20:00 às 21:00 hs, a partir do dia 31 de março de 2020, por tempo indeterminado, até quando julgarmos importante e necessário. 
  • Projeto Apoio psicológico online do Instituto de Psicologia em tempos de covid-19. A pandemia de  covid-19 nos obriga a reorganizar modos de vida e conviver com a apreensão e as dores ligadas às consequências diretas e indiretas da doença. Preocupados com as dificuldades psicológicas que surgem neste momento, o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo está oferecendo, de modo público e gratuito, o atendimento pelo “Apoio Psicológico Online”. Na atual fase do projeto, o mesmo é aberto para toda a população a partir de 18 anos, cuja queixa esteja relacionada, de modo direto ou indireto à pandemia do Covid-19. Além disso, para se beneficiar do projeto, é necessário um dispositivo com acesso adequado à internet e conhecimentos e condições de operá-lo. O usuário acessa o projeto através do endereço: http://www.ip.usp.br/site/covid-19-apoio-psicologico-online/  preenchendo uma ficha cadastral. Coordenação geral do Projeto é do Prof. Dr. Pablo Castanho, do IP.
  • InspirAção: website para promoção de saúde mental, apoio e prevenção do comportamento suicida. E projeto “O cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia”. Responsável: Profa. Kelly G. Giacchero Vedana, da EERP. https://inspiracao-leps.com.br/
  • Elaboração de material educativo  para pessoas com hipertensão arterial e doenças cardiovasculares sobre os cuidados de higiene no domicílio: lavagem das mãos, limpeza dos aparelhos de pressão, alimentação saudável, isolamento social, exercício físico no domicílio etiqueta respiratória no domicílio em tempos de COVID 19. Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Hipertensão Arterial- GIPHA- DEGE-EERP-USP.
  • Projeto “Prevenção e cuidado na COVID-19 nas escolas”, cujo objetivo é implementar ações educativas na comunidade escolar (professores, funcionários, gestores, alunos e famílias) no retorno às atividades, enquanto uma ação estratégica, visando a manutenção dos cuidados diante da transmissibilidade do COVID-19, em função de não termos ainda a vacina. Visando, assim, manter a comunidade e as instalações educacionais seguras, tanto quanto à propagação do COVID-19, quanto à prevenção da discriminação de quem tenha sido exposto ao vírus. PROASENúcleo de Estudos, Ensino e Pesquisa do Programa de Assistência Primária de Saúde Escolar. Responsáveis: Profa. Marta Angélica Iossi Silva e Profa. Maria das Graças Bomfim de Carvalho, da EERP. GPSI – Grupo Promoção da Saúde em Instituições de Ensino, Responsável: Profa. Luciane Sá de Andrade, da EERP e SEBAHC – Saúde na Educação Básica e Abordagem Histórico-Cultural, Responsáveis: Profa. Marlene F.C. Gonçalves, Profa. Luciane Sá de Andrade e Profa. Marta Angélica Iossi Silva. 
  • CoViD-19: Diagnóstico Rápido e Metabolômica como Estratégias Emergenciais de Prevenção e Combate às Pandemias”. Tem como objetivo avaliar a metabolômica em plasma e tecidos de indivíduos diagnosticados com SARS-CoV-2, descobrindo novos biomarcadores da infecção e indicadores de infecção grave. Também, pretende-se desenvolver testes tipo point of care, rápidos e de baixo custo, para a detecção do SARS-CoV-2.  Rede MeDiCo que integra os Grupos de Pesquisa do IQSC/USP especializados em diagnósticos avançados e metabolômica.  Equipe: Prof. Dr. Frank Crespilho, Prof. Dr. Daniel Rodrigues Cardoso, Prof. Dr. Emanuel Carrilho, Prof. Dr. Álvaro José Dos Santos Neto, Prof. Dr. Igor Renato Bertoni Olivares e Prof. Dr. Vitor Hugo Polisél Pacces. 

 

  • Envio de dois projetos de pesquisa para a CAPPesq, via Plataforma Brasil sobre o desenvolvimento de métodos sorológicos para o diagnóstico do SARS-COV2 (Covid-19). Em parceria com o ICB-USP (Prof. Luiz Durigon), dois laboratórios do Instituto de Medicina Tropical estão desenvolvendo testes sorológicos, partindo das culturas virais em células obtidas pelo ICB-USP. Pretendemos disponibilizar, o mais rapidamente possível, testes sorológicos (ELISA e IFI) voltados ao diagnóstico da Covid-19, uma vez que a Rt-PCR, muito embora muito sensível e específica, não poderá ser realizada na escala esperada em uma epidemia. Responsável: Profa. Thelma Suely Okay, da FMUSP. Equipe: Profa. Ester Sabino, Profa. Maria Cassia Jacintho Mendes Correa, Dra. Tania Tozetto, Dra. Kelly Kanunfre, Mussya Cisotto Rocha e demais membros dos laboratórios de Genética de microrganismos, Virologia e Soroepidemiologia e Imunobiologia. Outras instituições envolvidas: Universidade Federal do Rio de janeiro (Prof. Amilcar Tanuri) que está acabando de preparar um peptídeo recombinante anti-covid 19.
  • Determinação de mediadores lipídicos, hormônios circulantes, perfil das imunoglobulinas e determinação de perfil de anticorpos anticarboidratos com significado clínico em plasma de pacientes com COVID-19. Projeto de pesquisa outorgado pela FAPESP (2020/05207-6). Equipe de pesquisa: Profa. Lúcia Helena Faccioli -FCFRP/USP (Coordenadora), Prof. Marcelo Dias Baruffi – FCFRP/USP, Profa. Isabel Kinney Ferreira de Miranda Santos – FMRP/USP, Carlos Arterio Sorgi (Especialista em Laboratório) – FCFRP/USP e Viviane Nardini Takahashi (Técnica de Laboratório) – FCFRP/USP.
  • Aplicação da inteligência artificial no diagnóstico por radiografia convencional e tomografia computadorizada (TC) da Covid-19. Os objetivos incluem a constituição de um banco de imagens de radiografia convencional e TC de diversas instituições brasileiras e a inteligência artificial neste banco a fim de melhorar o diagnóstico de COVID-19, bem como estratificar o risco dos pacientes para insuficiência respiratória. Além disso, pretende-se validar ferramentas (algoritmos) já prontos disponíveis no mercado. Responsáveis: Profs. Claudia da Costa Leite e Giovanni Guido Cerri, da FMUSP. Equipe: Marco Bego, Shri Krishna Jayanthi, Bruno Aragão, Gustavo Meirelles, Cesar Nomura, Marcelo de Maria Felix, Marcio Sawamura, Felipe Veiga, Diogo Leão e Nattaly Horvart. Colaboração: InovaHC, Hospital das Clínicas da FMUSP.
  • Avaliação do uso de fluido oral no diagnóstico da COVID-19. Projeto de pesquisa que visa avaliar a utilização de técnica menos invasiva para obtenção de material biológico que gere menos aerosol, com maior segurança para o profissional de saúde. Responsável: Prof. Jose Angelo Lauletta Lindoso – FMUSP. Equipe: Paulo Henrique Braz. Outras instituições envolvidas: Instituto de Infectologia Emílio Ribas.
  • Validação de teste rápido de diagnóstico.  O grupo do Genoma do IBUSP está colaborando com a Prof. Gabriela Duarte,  de Goiás, o Prof. Shaker Chuck Farah do Instituto de Química para validação do teste. Responsável: Maria Rita Bueno.
  • Olfato e gustação. Avaliação por questionário das alterações de olfato e gustação em pacientes com teste de COVID-19 positivo. A doença tem espectro clínico muito amplo, variando desde um resfriado comum até um quadro pulmonar severo com insuficiência respiratória aguda. Tendo em conta que há uma importante limitação dos testes para diagnóstico, a busca por sintomas precoces específicos pode ajudar na suspeição, na melhor utilização dos recursos diagnósticos e na adoção de medidas iniciais de suporte e isolamento social precoces. Recentemente tomamos ciência de relatados anedóticos por Mao e cols.2, que 5,1% dos pacientes com COVID-19 apresentam anosmia. Porém, há relatos de anosmia em 30% dos pacientes com COVID19 em Daegu, na Coreia do Sul, e de 2/3 dos pacientes com COVID-19 em Heinsberg, na Alemanha. Segundo publicações no fórum da Sociedade Americana de Rinologia e da Sociedade Francesa de Otorrinolaringologia há indícios de que, em alguns pacientes, a hiposmia/anosmia pode acontecer como sintoma único ou ainda inicial em pacientes com quadros clínicos de severidade variada. Nesse estudo, iremos estimar a prevalência de anosmia/hiposmia em pacientes com 2019-nCoV. Fabio de Resende Pinna, Deusdedit Brandão Neto, Caroline Dib, Marco Aurelio Fornazieri, Renata Di Francesco, Richard Voegels. Hospital das Clínicas. 
  • EMERGÊNCIA. Estudo de coorte dos pacientes atendidos no Serviço de Emergência com diagnóstico de Covid-19. Este é um estudo de coorte prospectivo onde buscaremos identificar dois tipos de marcadores de gravidade nos pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG) admitidos no Pronto Socorro: marcadores inflamatórios (PCR, PCT, ProAdM), dímero-D e Cortisol sérico para se criar escores de gravidade capazes de prever a necessidade de internação hospitalar ou em UTI. Correlacionar achados na ultrassonografia pulmonar com a evolução do quadro respiratório em pacientes com SRAG por Covid-19. Situação atual: mais de 100 pacientes com dados clínicos e laboratoriais colhidos. Heraldo Possolo de Souza, Rodrigo Antonio Brandão Neto, Julio Cesar Garcia de Alencar, Julio Flavio Marchini, Cauê Gasparotto Bueno. Hospital das Clínicas. Financiamento FAPESP. Estimativa de conclusão do estudo: Junho 2020
  • SHEDDING. Diagnóstico da infecção pelo SARS-CoV2, em diferentes materiais biológicos, em pessoas infectadas por esse vírus. De forma geral o diagnóstico da infecção pelo SARS-CoV-2 em todo o mundo, se faz nas fases agudas da doença e por meio da identificação do vírus em amostras coletadas por swab de nasofaringe. Pouco se conhece sobre a presença desse agente em outros materiais biológicos e em diferentes fases da doença. Nesse estudo observacional, iremos investigar a presença do SARS-CoV-2 em saliva, urina, sangue e fezes, durante a fase aguda e de convalescença da infecção, analisando a sensibilidade de cada espécime. Essas informações poderiam auxiliar na compreensão da história natural da doença e auxiliar no diagnóstico e manejo desses pacientes esclarecendo aspectos da transmissão interpessoal, hospitalar e comunitária deste agente. Maria Cassia Mendes-Correa, Ester Sabino, Rinaldo Focaccia Siciliano, Edson Abdalla, Vanderson Rocha, Esper Kallás. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Dezembro de 2020.
  • SORODIAGNÓSTICO. Desenvolvimento de testes sorológicos para a detecção de anticorpos IgG anti-SARS- CoV2 (Covid 19): aplicação no diagnóstico da infecção e em estudos soroepidemiológicos. Esse projeto tem como objetivo o desenvolvimento de testes sorológicos capazes de realizar a testagem de um grande número de amostras de pacientes, de forma simultânea, com sensibilidade e especificidade elevadas e a baixo custo. A experiência de nosso grupo no desenvolvimento de testes sorológicos semelhantes, nos permite estimar, que em curto espaço de tempo, cerca de 3 meses, seria possível desenvolver os testes propostos. Estas novas ferramentas possibilitariam dados relativos à soroprevalência da infecção pelo SARS-CoV2 na população, dado fundamental para o enfrentamento de novos surtos epidêmicos causados por ele, como observado recentemente na China, após um período de ausência de identificação de novos casos. Além disso, estes dados seriam importantes para a implementação de estratégias específicas, como o desenvolvimento de vacinas. Maria Cassia Mendes-Correa, Tania Regina Tozetto-Mendoza, Thelma Suely Okay, Ester Sabino. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Dezembro de 2020
  • OS BEBÊS. Gestantes com SARS-CoV-2 Positivo: Evolução clínico-laboratorial, passagem transplacentária, resultados gestacionais e neonatais. Ainda não estão claras as consequências da COVID-19 na gravidez. Propomos um estudo prospectivo com inclusão de grávidas com sintomas ou sorologias positivas para SARS-CoV-2 que consentirem em participar do estudo. Serão excluídos os casos que não confirmarem infecção materna pelo SARS. Dados referentes a antecedentes pessoais, obstétricos, doenças prévias, complicações na atual gestação, idade gestacional no diagnóstico de SARS-CoV-2, evolução da gestação, resultados laboratoriais de hemograma e outros a depender do quadro, resultados de exames de ultrassonografia e vitalidade fetal, resultados de parto, resultados neonatais serão coletados. A transmissão vertical será avaliada por meio da investigação do SARS-CoV-2 em materiais biológicos coletados na ocasião do parto, a saber: sangue materno, líquido amniótico, sangue em cordão umbilical, placenta, restos ovulares (em abortamentos iniciais), swab de secreções em caso de natimorto, colostro materno. Também será realizada biópsia virtual nos casos de natimorto. Esperamos ajudar a esclarecer as dúvidas que ainda pairam em relação à infecção do SARS-CoV-2 na gestação. Rossana Pulcinelli Vieira Francisco, Maria de Lourdes Brizot, Maria Augusta B. C. Gibelli, Werther Brunow de Carvalho, Paulo Hilário Nascimento Saldiva, Esper Kallás. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Dezembro de 2020
  • Sistema de detecção Precoce de Insuficiência Respiratória por meio de análise de Áudio (Estudo SPIRA). Ferramenta de telemedicina para ajudar na triagem de pacientes da COVID-19, por meio da detecção precoce de insuficiência respiratória por análise de Audio, usando técnicas de Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina. Responsáveis: Anna Sara Levin Shafferman, FMUSP; Ester Cerdeira Sabino, FMUSP; Marcelo Finger, DCC-IME-USP.
  • SHIELD. COVID-19 em pacientes imunodeprimidos. Pacientes imunodeprimidos como transplantados, pacientes com câncer e pacientes reumatológicos são grupo de risco para desenvolver a doença podem ser fonte de transmissão do vírus por períodos prolongados expondo a população e evoluem com alta mortalidade. Portanto, é fundamental conhecermos a dinâmica da infeção pelo SARS-CoV-2 e da COVID-19. Novas metodologias de coleta de amostra como teste utilizando saliva, sorologia e tipagem molecular podem avaliar a linhagem do vírus e o mapeamento da sua transmissão. Essas informações são essenciais para identificar potencial alvos para vacina e para o tratamento do COVID-19. Dados do tratamento são escassos, portanto ensaios clínicos ou e uso compassionado de medicamentos usados no tratamento do COVID-19 na China e na Europa são fundamentais para o manejo clínico e redução da mortalidade dos pacientes em futuras epidemias. Serão avaliados 600 pacientes imunodeprimidos (com câncer, transplantados e com doença reumatológica) crianças e adultos assintomáticos e com sintomas respiratórios acompanhados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP durante a epidemia do SARS-COV2. Um grupo de indivíduos saudáveis negativos para o SARS-COV2 por PCR e sorologia será usado como controle da avaliação dos fatores genéticos que possam estar associados com infecção pelo SARS-COV2 e com a COVID-19. Amostras de pacientes assintomáticos (saliva, swab de nasal, orofaringe e fezes) para realização de PCR para SARS- COV2 e amostra de sangue para sorologia serão coletadas antes da realização dos transplantes, tratamento quimioterápico e uso de imunossupressão. As mesmas amostras serão coletadas se os pacientes apresentarem sintomas respiratórios. Amostras de sangue de todos os pacientes serão coletadas para análise de polimorfismo genético para avaliar o risco genético da população estudada e amostras de sangue dos pacientes sintomáticos serão coletas a cada 48 horas até resolução dos sintomas e para caracterização das interleucinas assim como amostras de fezes, swab nasal de orofaringe e saliva para avaliar a carga viral. A linhagem, a virulência e o mapeamento do SARS-COV2 serão determinados por meio do sequenciamento de genoma completo usando a metodologia de NANOPORE. Será avaliada a função pulmonar dos pacientes antes e após o transplante de pulmão e do transplante de células tronco hematopoiéticas. Pacientes adultos sintomáticos serão convidados a participar de ensaio clínico e ou uso compassionado da medicação cloroquina e ou de medicações disponíveis e indicadas no decorrer da epidemia. Serão coletas informações demográficas e clínicas dos pacientes que participarem do estudo por meio de ficha eletrônica no programa RED-CAP. Fatores de risco para COVID-19, persistência do SARS- COV2 nas amostras, evolução clínica incluindo resposta terapêutica (quando aplicável), comprometimento da função pulmonar, qualidade de vida e óbito serão avaliados. Silvia Costa e Edson Abdalla. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Abril de 2021
  • VIRUS FINDER. Diagnóstico por metabolômica, agregação plaquetária. O diagnóstico rápido e de baixo custo de infecções por SARS-CoV-2 e influenza vírus pode permitir adoção de medidas de controle da transmissibilidade tanto no ambiente de Unidades de Saúde como isolamento do contato social na comunidade. Além do diagnóstico específico, a identificação precoce de pacientes com maior risco de óbito também permite uma abordagem terapêutica direcionada com medidas de suporte ventilatório e uso de antivirais específicos contra estes dois vírus. Sabe-se que drogas antivirais têm impacto clínico somente quando administradas nos primeiros dias de sintomas de infecções por influenza vírus, e possivelmente também por SARS-CoV-2. No mais, a rápida identificação de pacientes com risco elevado de morte permite referenciamento dos pacientes de unidades de saúde de atendimento primário ou secundário para outras de maior complexidade. Neste projeto, iremos desenvolver método diagnóstico de infecção por SARS-CoV-2 e Influenza vírus através de análise metabolômica. Faremos também um estudo prognóstico dos pacientes com diagnóstico de infecção por SARS-CoV-2 e Influenza vírus com Síndrome respiratória aguda grave. Rinaldo Siliciano, Expedito J. A. Luna, Ester Cerdeira Sabino, Rodrigo Ramos Catharino Hospital das Clínicas com a participação da UNICAMP. Estimativa de conclusão do estudo: Abril de 2021
  • Comparação direta da sensibilidade e especificidade de diferentes ensaios moleculares de diagnósticos para SARS-CoV-2 disponibilizados no site da OMS. A organização Mundial de Saúde (OMS) disponibiliza em seu site seis diferentes ensaios moleculares de diagnóstico do SARS-CoV-2. Estes ensaios foram desenvolvidos e testados em diferentes laboratórios e Universidades como no Instituto de Virologia da Faculdade de Medicina CHARITÉ de Berlim, Universidade de Hong Kong/IP, Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Governo Chinês (CDC-China), Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Governo Norte Americano (CDC-EUA), Instituto nacional de Doenças Infecciosas do Japão e Ministério de saúde Pública do Governo da Tailândia. Os ensaios tem como alvo diferentes região do genoma viral como a ORF1ab, gene do Envelope, do Nucleocapsídeo e do Spike viral. Estudos comparativos quanto a sensibilidade e especificidade destes métodos não foram desenvolvidos até o momento. Utilizando amostras clínicas e de cultura de SARS-CoV-2 pretendemos realizar uma comparação direta dos referidos métodos moleculares permitindo assim a escolha de ensaios específicos e de maior sensibilidade para isolados circulantes e território nacional, e alterações da capacidade diagnóstica em isolados de diferentes fases epidemiológicas da pandemia de SARS-CoV-2. Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa,  Edison Luiz Durigon, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto. Plataforma Científica Pasteur-USP.
  • Apoio diagnóstico às equipes médicas Hospital das Clínicas e do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo pela Célula de Intervenção de Urgência do Centro de Estudos Avançados e Controle da Epidemia do SARS-CoV-2 da Plataforma Científica Pasteur-USP, São Paulo-SP, Brasil. Profissionais de saúde são classificados como um grupo de alto risco de infecção pela SARS-CoV-2 devido ao contato próximo com pacientes, do envolvimento com procedimentos médicos, manuseio de excretas e fomites e da exposição de elevadas cargas virais de infecções severas e críticas. Surtos hospitalares de SARS em 2003 foram reportados em diferentes países atingidos pela epidemia incluindo Vietnam, Singapura, Hong Kong, Taiwan, Toronto e na China continental em 2003. Análise epidemiológica da epidemia de SARS em Hong Kong demonstraram que profissionais de saúde são um grupo extremamente susceptíveis a infecções em surtos epidêmicos, principalmente devido ao grande volume de pacientes infectados necessitando de atendimento hospitalar nos surtos. Epidemias de SARS-CoV e de CoV-MERS indicam elevados números de infecções nosocomiais, podendo representar até 70% dos casos de  infecção locais. O presente projeto tem como objetivo prestar um serviço de apoio diagnóstico a diferentes profissionais da saúde com contato direto com pacientes incluindo médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, atendentes de triagem entre outros profissionais. Amostras respiratórias incluindo swabs naso- e orofaríngeo serão colhidas de profissionais envolvidos no atendimento de pacientes com suspeita de SARS-CoV-2 no Hospital das Clínicas e no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo. Amostras serão coletadas nos respectivos hospitais sendo enviadas refrigeradas para a Plataforma Científica Pasteur-USP para diagnóstico molecular do SARS-CoV-2 uma a duas vezes por semana. Pretendemos liberar resultados do diagnóstico em tempo máximo de 48h de maneira a permitir a realocação ou afastamento dos profissionais de maneira a diminuir a chance de transmissão nosocomial do SARS-CoV-2 nos ambientes hospitalares. Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa, Edison Luiz Durigon, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto, Pedro Teixeira da Plataforma Científica Pasteur-USP e Equipes do Hospital Universitário (Prof. P. Margarido) e do Hospital das  das Clínicas (Dr. Amaro Nunes Duarte Neto)
  • Análise da presença e cinética viral em diferentes amostras clínicas obtidas de indivíduos infectados assintomáticos e sintomáticos por SARS-CoV-2. O Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2 (SARS-CoV-2) foi identificado como agente etiológico de uma pneumonia atípica (COVID-19) em Janeiro de 2020 na Província de Hubei, China. Em apenas 3 meses o vírus causou uma pandemia, infectando mais de 380 mil indivíduos e levando mais de 16 mil a óbito. Apesar do grande número de casos, e a presença de transmissão entre humanos, a formas de transmissão viral não são totalmente reconhecidos. No presente estudo propomos a análise da presença de RNA viral em amostras de diferentes naturezas incluindo swab naso- e orofaríngeo, sangue, soro, catarro, fezes, urina, sêmen e lágrimas durante a primeira semana de sintomatologia de indivíduos não internados ou internados no Hospital Universitário. Pacientes internados terão ainda amostras de lavado nasofaríngeo e lavado broncoalveolar coletados para comparação da quantidade de RNA de SARS-CoV-2 em cada uma das amostras. Ensaios diagnósticos serão realizados inicialmente seguindo protocolo estabelecido por Corman et al (2020) e os valores obtidos de Ct do ensaios de PCR em Tempo Real será utilizado como indicativo da quantidade de RNA viral em cada uma das amostras. Amostras de diferente naturezas apresentando Ct abaixo de 20 serão utilizadas para inoculação em células Vero E6 para identificação da presença de vírus infectantes em amostras não usuais como fezes, urina e lágrima em caso de positividade. A análise da presença viral e, em sangue pode indicar  a possibilidade de infecções sistêmicas. Esperamos coletar amostras de 30 pacientes totalizando cerca de 210 amostras. Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa, Edison Luiz Durigon, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto, Patricia Cristina Baleeiro Beltrao Braga. Plataforma Científica Pasteur-USP.
  • Análise da importância de indivíduos assintomáticos na manutenção e transmissão de SARS-CoV-2 no Câmpus da Cidade Universitária da Universidade de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil. O Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2 (SARS-CoV-2) é uma zoonose emergente identificado na China no início de 2020 responsável por causar uma pneumonia atípica. Em apenas três meses o vírus atingiu todos os continentes, sendo detectado em indivíduos presentes em mais de 168 países/regiões. Atualmente no mundo (24 de Março de 2020) aproximadamente 381 mil pessoas foram infectadas sendo reportado 16563 óbitos relacionados à infecção viral. O primeiro caso de infecção pelo SARS-CoV-2 em território Nacional foi reportado pelo Ministério da Saúde em 26 de fevereiro de 2020 na cidade de São Paulo, sendo um caso importado da Itália, país com segundo maior número de casos no mundo (64 mil).  Diferentes introduções provindos da Itália foram registrados no Brasil e em apenas um mês o número de casos atingiu 1900 casos e 34 mortes, a grande maioria reportado na capital de São Paulo. O Primeiro caso registrado no Campus da Universidade de São Paulo ocorreu em 11 de Março. Epidemiologistas acreditam que o estudante foi infectado pela esposa que havia chegado de viagem recentemente da Itália. A presença de infecções assintomáticas e sua importância na manutenção e disseminação do SARS-CoV-2 é ainda desconhecida. No entanto diferentes relatos reforçam e indicam a importância de indivíduos com sintomas leves, limitados ou assintomáticos na transmissão e disseminação do SARS-CoV-2 em diferentes populações, sendo estimado que 86% de todas as infecções não foram documentadas. No presente projeto propomos a análise da presença de infecções assintomáticas no Campus da Cidade Universitária, mais especificamente, na moradia estudantil composto de apartamento de 2 a 3 dormitórios, condição ideal para a transmissão do SARS-CoV-2. Prevemos a coleta de amostras respiratórias e sangue de 500 indivíduos assintomáticos moradores da CRUSP ou presente nos Bandejões ativos da Universidade da Cidade Universitária. Ensaios de diagnóstico molecular e análise da presença de IgG e IgM serão realizados de maneira a identificar a presença de infecções assintomáticas ou a soroconversão de indivíduos indicando uma infecção assintomática ou branda anterior ao período do estudo. Resultados servirão também para orientar a necessidade de isolamento e quarentena dos indivíduos diagnosticados com SARS-CoV-2. Amaro Nunes Duarte Neto, Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa,  Edison Luiz Durigon, Jean Pierre S. Peron, Helder Nakaya, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto. Plataforma Científica Pasteur-USP.
  • Análise de diferentes sistemas de cultura celular para isolamento, cultivo e plaqueamento de SARS-CoV-2. O SARS-CoV-2 foi isolado a partir de diversas amostras respiratórias (lavado bronco-alveolar, swab nasal, swab orofaríngeo, lavado nasofaríngeo) e amostras de fezes, em diferentes linhagens celulares e em diversos laboratórios pelo mundo como a China, Austrália, EUA, Alemanha, Brasil e Coreia do Sul. O primeiro isolamento foi reportado na China no estudo que descreve o novo coronavírus publicado em 24 de janeiro de 2020 (Zhu et al., 2020). O vírus foi isolado a partir de amostras do trato respiratório inferior de quatro pacientes com pneumonia de etiologia desconhecida, coletados em 21 de dezembro de 2019, todos com histórico de passagem no mercado de Frutos do Mar Huanan, Wuhan, epicentro da epidemia de SARS-CoV-2. Foi utilizado neste primeiro relato a inoculação em cultura primária de células epiteliais bronco alveolares obtidos de pulmões humanos de doadores. Estas células são mantida em membrana de colágeno em uma interface ar-líquido. Posteriormente relatos indicaram a possibilidade cultivo em linhagens celulares mais comumente utilizada como a célula VERO E6 e HUH-7. No presente estudo pretendemos realizar uma comparação da eficácia de diferentes linhagens celulares no cultivo de SARS-CoV-2 incluindo células HRT-18g, Caco2, LLC-MK2 e HUH-7. Avaliaremos a capacidade replicativa, a presença de efeito citopático, a capacidade de formação placas e a facilidade de visualização das mesmas e dias pós inoculação para a formação das mesmas. Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa, Edison Luiz Durigon, Jean Pierre S Peron, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto, Patricia Cristina Baleeiro Beltrao Braga. Plataforma Científica Pasteur-USP.
  • Desenvolvimento da plataforma de diagnóstico de baixo custo SARS-CoV-2 baseada na amplificação isotérmica mediada por loop de transcrição reversa (RT-LAMP). Uma solução para uma resposta rápida da alta demanda de diagnóstico laboratorial em surtos de vírus na rede PINA (RIIP). O coronavírus 2 grave relacionado à síndrome respiratória aguda (SARS-CoV-2) ocasionou uma pandemia que já acometeu milhares de pessoas mundialmente. No entanto, o número de pessoas infectadas deve ser muito maior do que os liberados diariamente pois a capacidade dos testes de diagnóstico parece atingir sua capacidade máxima. Embora os testes de diagnóstico baseados em RT-PCR sejam ultra-sensíveis, eles exigem termocicladores caros, cujo uso é impraticável em países pobres. O ensaio de amplificação isotérmica mediada por alça (LAMP) pode superar algumas das limitações dos ensaios de RT-PCR e pode ser realizado em um banho de água simples. As reações LAMP geram cores visíveis nos frascos testados, permitindo um teste de triagem simplificado. Além disso, o LAMP pode até funcionar sem o procedimento prévio de extração de ácido nucleico em swabs ou soros. Assim, o LAMP oferece alta especificidade, eficiência, sensibilidade, rapidez e relação custo-benefício. Protocolos distintos de LAMP já foram aplicados para detectar vírus de RNA humano, como vírus da febre do Nilo Ocidental, vírus sincicial respiratório, vírus influenza A e B, HIV, zika, dengue, vírus da encefalite japonesa e caxumba. Até o momento, nenhum sistema LAMP está disponível para detectar o SARS-CoV-2. O objetivo é de desenvolver um dispositivo lab-on-a-chip barato, baseado no teste de amplificação isotérmica mediada por loop (LAMP), para realizar o diagnóstico de SARS-CoV-2 em amostras de campo. Os resultados serão exibidos em um aplicativo de celular e compartilhados com as autoridades de saúde pública. Edison Durigon, Helder Nakaya. Colaboração com Lucas Lanes. Plataforma Científica Pasteur-USP
  • Produção de diferentes proteínas do vírus que serão usadas para o desenvolvimento de testes rápidos para detectar o COVID-19. Equipe: Prof. Edison Durigon e Profa. Cristiane R. Guzzo Carvalho. Instituto de Ciências Biomédicas (ICB).
  • Estudo da interação do vírus SARS-CoV-2 com o receptor humano. Equipe: Equipe: Prof. Edison Durigon e Profa. Cristiane R. Guzzo Carvalho, ICB e Profs. Shaker Chuck Farah, Roberto Salinas e Alexander Henning Ulrich do IQ-USP.
  • Pesquisa para correlacionar Covid-19 e a perda de olfato (anosmia). Além dos sintomas em pacientes de Covid-19 já descritos pela OMS, relatos de súbita perda de olfato e paladar vêm crescendo a cada dia, e começam também a surgir aqui no Brasil. Portanto, a perda de olfato poderia representar mais um sintoma, que quando combinado aos demais pode indicar maior chance de a pessoa ter contraído o coronavírus. Este sinal poderia ser utilizado como um alerta para se iniciar um tratamento mais intensivo antes que a doença se agrave. A escassez de testes para a detecção do coronavírus impede a identificação de assintomáticos, não apenas no Brasil, mas na grande maioria dos países. A utilização de um sintoma adicional como a perda do olfato poderia neste caso emergencial funcionar como um indicador simples, amplamente acessível e de baixo custo, para selecionar quem deve ser isolado ou preferencialmente testado para a infecção com o coronavírus. Responsáveis: Alexandre Bruni Cardoso, Bettina Malnic e Deborah Schechtman, do Instituto de Química (IQ-USP) e Isaias Gleze da UNIFESP.
  • Diagnóstico por metabolômica e agregação plaquetária. Equipe: Profs. Rinaldo Siciliano e Prof. Expedito J. de Albuquerque Lunna (FMUSP).
  • Foi criada uma Rede USP para o diagnóstico da COVID-19. A rede USP está constituída por 5 centros voltados para a realização de testes de diagnóstico molecular para a detecção da COVID-19 no Estado de São Paulo: dois na capital, um em Ribeirão Preto, um em Bauru e outro em Pirassununga. Os testes moleculares se baseiam na detecção, por reação de PCR em tempo real, do material genético do vírus e, consequentemente, permitem a identificação de indivíduos portadores do vírus, sendo considerado o teste de padrão ouro. Essa informação é crucial, particularmente neste momento, para o enfrentamento da epidemia. Coordenação: Prof. Roger Chammas (FM) e Prof. Luís Carlos Souza Ferreira (ICB). Colaboração: Profs. Edison Luiz Durigon e Ricardo Ambrosio Fock, (ICB, Plataforma Pasteur, FMVZ e HU – São Paulo); Alberto Jose S. Duarte (FM-USP), Prof. Rodrigo T. Calado (FMRP – Ribeirão Preto); Prof. Dr. Carlos F. Santos (FOB – Bauru) e Profs. Heidge Fukumasu, Helena L. Ferreira e Juliano C. Silveira (FZEA – Pirassununga).
  • Apoio ao diagnóstico de Covid-19. O Laboratório de Biologia Estrutural (IFSC/USP) está envolvido, junto a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, Prefeitura Municipal e empresa DNAConsult para apoiar no diagnóstico por PCR.
  • Novas soluções para diagnóstico e identificação de infectados com o COVID-19 através de diagnóstico por imagem com métodos de Modelagem e Análise Estatística. Responsáveis: Profa. Geraldine Góes Bosco e Dra. Paula Cristina Santos, da FFCLRP.
  • Projeto de pesquisa com o objetivo de verificar se pacientes idosos, portadores de hipertensão, diabetes ou doença pulmonar obstrutiva crônica possuem mais marcadores de envelhecimento celular, maior expressão gênica de ACE-2 e marcadores epigenéticos em relação a idosos de mesma idade sem diagnóstico clínico para as doenças. O estudo será feito utilizando-se fibroblastos isolados de idosos por biópsia. Responsável: Profa. Tânia Araújo Viel, da EACH.
  • Utilização de Inteligência Artificial como suporte à análise de imagens de raio X em pacientes com pneumonia. Este banco de imagens, que é público, é formado por radiografias de tórax de pacientes sem pneumonia e com pneumonia viral, bacteriana e proveniente de COVID-19. Técnicas computacionais, como deep learning, seleção de atributos e clusterização, estão sendo aplicadas com o intuito de entender quais particularidades das imagens permitem identificar as diferentes classes da doença. Coordenador: Prof. Renato Tinós, da FFCLRP, com os mestrandos Rafael Del Lama e Raquel M. Cândido.
  • Convênio firmado com o Centro de Controle de Zoonoses do Município de São Paulo para colaborar com o diagnóstico molecular da Covid-19, disponibilizando equipamentos, insumos e pessoal. Coordenação do Prof. Paulo Brandão, da FMVZ.
  • Estudo da predição de antivirais para a Covid-19. Coordenação do Prof. Paulo Brandão, da FMVZ, e Joana Aguiar.
  • Desenvolvimento de um novo teste rápido para detecção de vírus Sars-CoV-2. Coordenação do Dr. Wesley Fotoran, do ICB, em colaboração com pesquisadores de Pernambuco.  

  

  • Produção de biossensores para diagnóstico rápido. Projeto para desenvolver, conjuntamente, genossensores (biossensores) para o diagnóstico rápido do coronavírus, utilizando técnicas mais acessíveis do que o PCR. Prof. Osvaldo Novaes Oliviera Jr. (Instituto de Física de São Carlos) juntamente com o Prof. Emanuel Carrilho (Instituto de Química de São Carlos)

  

  • Detecção da presença de SARS-CoV-2 na cavidade oral e em glândulas salivares maiores e menores via RT-qPCR. O objetivo é avaliar a relação entre a presença dos receptores de angiotensina (ACE2) do ducto das glândulas salivares e a invasão do coronavírus no epitélio glandular e, na sequência, um estudo comparativo entre tais achados e o comprometimento pulmonar. Equipe: Prof. Luiz Fernando Ferraz da Silva (FM), Profa. Marisa Dolhnikoff (FM), Prof. Bruno Fernandes Matuck (FM) e Prof. Paulo Henrique Braz-Silva (FO).
  • Diagnóstico de COVID-19 em amostra de swab combinado nasal e oral versus fluido oral (saliva). O objetivo da pesquisa é a comparação de sensibilidade e especificidade de detecção do SARS-CoV-2 em swabs de nasofaringe e saliva, buscando uma alternativa de coleta mais rápida e segura. Também será avaliada a dinâmica de excreção de SARS-CoV-2 em saliva, com coletas seriadas em pacientes com sintomas leves, e de média e alta complexidade. Equipe: Prof. José Angelo L. Lindoso (FM), Profa. Maria Cássia Mendes-Correa (FM), Prof. Paulo Henrique Braz-Silva (FO), Kelvin Kai-Wang To (University of Hong Kong) e Simone Giannecchini (University of Florence).
  • Desenvolvimento de testes sorológicos para a detecção de anticorpos IgG anti-SARS-CoV2 (Covid 19): aplicação no diagnóstico da infecção e em estudos soroepidemiológicos. Laboratório de Virologia e Laboratório de Soroepidemiologia, da FMUSP. Equipe: Profa. Maria Cassia Jacintho Mendes Correa, Profa. Thelma Suely Okay, Kelly Kanunfre (Especialista de Laboratório) Mussya Rocha (Técnica).
  • Desenvolvimento de sistemas para liberação controlada de vacinas baseados em polímeros pH-responsivos e própolis de abelhas sem ferrão. Este projeto tem como objetivo principal o desenvolvimento de nanomateriais avançados baseados em filmes e nanofibras eletrofiadas para fornecer moléculas adequadas para vacinas contra COVID-19. Dentre essas moléculas estão as cumarinas e flavonóides, conhecidamente anti-inflamatórios e recentemente sendo testadas contra a COVID-19. Responsáveis: Patricia Targon Campana e Tiago Maurício Francoy (EACH-USP Brasil), Roger C. Hiorns e Didier Bégué (IPREM-CNRS França).
  • Produção de diferentes proteínas do vírus que serão usadas para o desenvolvimento de candidatos vacinais. Equipe: Prof. Edison Durigon, Profa. Cristiane R. Guzzo Carvalho  e Profa. Ana Márcia de Sá Guimarães, Instituto de Ciências Biomédicas.
  • Teste de sequências peptídicas para ativação de resposta imune celular contra o vírus Sars-CoV-2, visando o desenvolvimento de vacinas. https://equipesiteldv.wixsite.com/ldvusp  Coordenação do Prof. Dr. Paulo Henrique Braz-Silva,  do Instituto de Ciências Biomédicas.
  • Desenvolvimento de vacinas contra COVID-19 utilizando VLPs. O novo coronavirus, denomimado SARS-CoV-2/Covid-19, aparentemente surgido em Wuhan, na China, no final de dezembro de 2019, tornou-se rapidamente um problema de saúde pública em escala global, e sem previsão de controle desta pandemia, nem dos prejuízos humano e financeiro que este novo vírus pode causar. A vacinação continua sendo uma das maneiras mais eficazes de controle e prevenção de doenças infecciosas. Embora um grande número de estudos em desenvolvimento de vacinas se concentre no uso de patógenos atenuados, inativados ou de vacinas baseadas em DNA ou RNA, uma maneira segura e eficaz de desenvolver vacinas é usando antígenos protéicos. No entanto, um obstáculo para vacinas baseadas em antígenos de subunidade é a imunogenicidade tipicamente baixa que elas provocam. Mesmo assim, devido a urgente necessidade do desenvolvimento de uma vacina eficaz e segura para o combate a essa pandemia que tem assustado a população no mundo inteiro, surge também uma corrida mercadológica que nos leva a refletir sobre os caminhos que o desenvolvimento de uma vacina pode ter. Segurança deve ser o fator determinante para o desenvolvimento desta vacina, pois o conhecimento do Covid-19 ainda ‘é limitado. Sendo assim, há a necessidade de seguir todos os rigores técnicos científicos antes de levar qualquer formulação vacinal para testes clínicos. Algo que nossa equipe descartou inicialmente, foi a utilização de material genético para o desenvolvimento desta vacina. Focamos desta forma em utilizar o domínio de ligação do vírus ao receptor celular ( do inglês, Receptor Binding Domain- RBD) encontrado na proteína spike do vírus. Porém, a utilização de fragmentos proteicos, embora seja seguro e assertivo no desenvolvimento de uma vacina, não ‘é capaz de induzir uma resposta imune eficaz e protetora. Para suprir essa necessidade, incorporamos esse projeto para desenvolver uma vacina anti- COVID-19 ao projeto de Jovem Pesquisador aprovado pela FAPESP (Número do processo: 2019/14526-0) aprovado recentemente para desenvolver vacinas anti Streptococcus pyogenes e Chikungunya, tendo como base partículas semelhantes a vírus (as partículas semelhantes a vírus (do inglês, virus like particles- VLPs). As VLPs são estruturas de múltiplas proteínas que carregam características de vírus, mas excluem sua capacidade de replicação, pois não contém o genoma viral. As VLPs são uma classe bem caracterizada de nanopartículas não infecciosas e biodegradáveis que têm sido usadas com sucesso em humanos para o desenvolvimento de vacinas. Jorge Kalil e Gustavo Cabral, Hospital das Clínicas com a participação da Universidade de Oxford, Inglaterra, e Universidade de Berna, Suíça. Estimativa de conclusão do estudo: Abril 2023
  • Desenvolvimento de vacina vetorizada para SARS-CoV2 baseada em genética reversa com o vírus NDV. Responsáveis: Profs. Heidge Fukumasu, e Helena Lage Ferreira, da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), e Dr. Qhingzhong Yu,  ARS-USDA.
  • DESENVOLVIMENTO DE HIDROGEL PARA TRATAMENTO DE FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA.  A infecção por SARS-CoV-2 pode resultar em lesão pulmonar aguda e fibrose pulmonar. O tratamento de pacientes com fibrose pulmonar é caro e limitado.  Por isso, se faz importante desenvolver um tratamento mais barato e acessível. Para tanto, estamos desenvolvendo um hidrogel de matriz extracelular descelularizada produzido a partir de pulmões suínos e testando seu efeito protetor em modelos celulares e animais de fibrose pulmonar idiopática. Coordenação: Maria Angélica Miglino (FMVZ). Doutoranda Daniele Evangelista Leite da Silva. 

 

  • TREINAMENTO FÍSICO E COVID-19. Estudos recentes apontam que cidades de maior altitude, com baixos níveis de oxigênio, apresentam menor número bem como redução na gravidade nos casos de COVID-19. A ativação do fator induzível por hipóxia 1α (HIF-1α) pode diminuir a expressão da ECA 2, apontada como facilitadora da entrada do vírus SARS-CoV 2 nas células; e, aumentar a produção de eritropoietina, com benefícios que podem contrapor os efeitos negativos da COVID-19. O treinamento físico pode melhorar o sistema imunológico e a capacidade cardiorrespiratória. Neste sentido, o treinamento físico com estímulo hipóxico aparece como uma alternativa que apoia os tratamentos convencionais de recuperação destes pacientes. O objetivo deste estudo é analisar os efeitos treinamento de intensidade moderada em hipóxia normobárica intermitente sobre parâmetros de saúde em pessoas convalescentes da COVID-19. Equipe: Átila Alexandre Trapé e Marcelo Papoti (EEFERP); Carlos Arterio Sorgi (FCFRP/FFCLRP).

 

  • Realização de protocolos de pesquisa, ainda não implementados, para avaliação de novo teste diagnóstico, melhor compreensão dos mecanismos fisiopatológicos, principalmente aqueles relacionados à agregabilidade plaquetária e à coagulação, e teste de formulações terapêuticas em pacientes hospitalizados e com suspeita ambulatorial. Responsável: Prof. José C. Nicolau, do Departamento de Cardiopneumologia da FMUSP, em colaboração com a Universidade de Toronto.
  • Avaliação do possível papel protetor da Hidroxicloroquina na infecção da COVID-19 em pacientes com doenças autoimunes. Participação em Protocolo Multicêntrico sobre o possível papel protetor da Hidroxicloroquina na infecção da COVID-19 em pacientes com doenças reumatológicas autoimunes,  em fase final de elaboração e aprovação. Equipe: Eduardo Ferreira Borba Neto, do Departamento de Reumatologia da FMUSP, e pesquisadores de mais 19 instituições. Proposta apresentada pela UNIFESP.
  • Possível tratamento para fibrose pulmonar, que é uma das sequelas visualizadas em pacientes com a COVID-19. Responsável: Prof. Maria Angélica Miglino com a doutoranda Daniele Evangelista Leite da Silva – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia.
  •  
  • Ações do Grupo de Química Medicinal & Biológica (NEQMED – IQSC/USP): 1. Todos os inibidores de cisteíno proteases ((CPs) disponíveis no NEQUIMED estão no conjunto de ensaios fenotípicos que está sendo realizado no ICB/USP; 2. Novos análogos de CPs estão sendo sintetizados para adaptar as estruturas moleculares à principal protease do SARS Cov-2 Mpro; 3. Estudos de inteligência artificial com aprendizado de máquinas estão em andamento para identificar possíveis compostos para reposicionamento de fármacos (fármacos, substâncias em fase experimental, investigacional e em fases clínicas); 4. Experimentos de ultra-docagem de substâncias químicas bioativas na SARS Cov-2 Mpro para tentar identificar novos quimiotípos estão em sendo realizados; 5. Está sendo desenvolvido um sistema digital inteligente para a integração de bancos de dados e métodos em aprendizado de máquinas;  6. Submissão um projeto emergencial para a chamada COVID-19 da FAPESP (Proc. #2020/04653-2); 7. Integração em uma proposta multidisciplinar coordenada pelo Prof. Glaucius Oliva com projeto também submetido para a FAPESP (Proc. #2020/04602-9). Coordenação: Prof. Dr. Carlos Alberto Montanari. Equipe: Prof. Dr. Andrei Leitão e Profa. Dra. Fernanda Canduri.
  • Perspectivas para o tratamento de pacientes de COVID-19 com as comorbidades diabetes mellitus e hipertensão arterial por meio de edição gênica no sistema respiratório. Objetivo: Desenho de gRNAs e de ssODNs do sistema Crispr-Cas9 dirigidos ao gene do receptor do vírus SARS-CoV-2 de células humanas. Coordenadores: Prof. Geraldo Aleixo Passos (FORP) e Prof. Eduardo A. Donadi (FMRP). 
  • Uso do metotrexato veiculado em nanopartículas que se ligam aos receptores de lipoproteína de densidade baixa (LDL) para tratamento de pacientes com infecção COVID-19 e síndrome de desconforto respiratório. Responsável: Raul Cavalcante Maranhão. Prof. Fac. Ciências Farmacêuticas da USP e Médico-Pesquisador e Diretor do Lab. de Metabolismo e Lípides do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Fac. de Medicina da USP.
  • NAC. Ensaio clínico utilizando N-acetilcisteína para o tratamento de síndrome respiratória aguda grave em pacientes com Covid-19. SARS-CoV-2 utiliza (e provavelmente inativa) a ECA2 em epitélio pulmonar. Dessa maneira, pode haver localmente excesso de AngII, que, por sua vez, pode aumentar a produção de espécies reativas de oxigênio celular. Nosso objetivo neste estudo é determinar se a N-Acetilcisteína (NAC) exerce algum efeito protetor na evolução da SRAG por Covid-19. A NAC aumenta glutationa reduzida que é o principal mecanismo antioxidante intracelular. Será um estudo randomizado, controlado, duplo-cego, unicêntrico. A princípio serão recrutados 140 pacientes. Heraldo Possolo de Souza, Rodrigo Antonio Brandão Neto, Julio Cesar Garcia de Alencar, Julio Flavio Marchini, Cauê Gasparotto Bueno. Financiamento FAPESP. Estimativa de conclusão do estudo: Junho 2020
  • COVMAB. Descoberta de anticorpos monoclonais neutralizantes na infecção pelo SARS-CoV-2. Em resposta a essa emergência de saúde pública em andamento, faz-se necessário o desenvolvimento de abordagens profiláticas e terapêuticas, já que as estratégias de contenções da disseminação do SARS- CoV2 parecem não ser totalmente eficazes e o manejo da COVID-19 baseia-se apenas em cuidados de suporte. Considerando a relevância dos anticorpos (Abs) neutralizantes na prevenção da replicação viral, o uso terapêutico dessas moléculas pode representar uma estratégia promissora no combate, prevenção e tratamento das infecções pelo SARS-CoV-2. Assim, o objetivo deste estudo é identificar e caracterizar Abs monoclonais neutralizantes contra SARS-CoV-2 derivados de células B obtidas de pacientes com diagnóstico clínico e laboratorial de COVID-19, durante as fases aguda (plasmoblastos) e convalescente (células B de memória) da infecção. Esper Kallás, Cássia Gisele Terrassani Silveira e David Watkins. Hospital das Clínicas com participação da Mabloc, e da George Washington University, EUA. Estimativa de conclusão do estudo: Abril 2022
  • ANTÍDOTO. Desenvolvimento de soro hiper imune de pacientes convalescentes e de doadores soropositivos baseado na triagem de doadores para anticorpo IgG anti SARS-CoV-2. Imunoterapia passiva com plasma de indivíduos convalescentes foi descrita no tratamento da infecção por Middle East Respiratory Syndrome Coronavirus (MERS-CoV) em 2016 (11) e talvez possa ser usado na infecção pelo COVID-19 (12). Neste estudo pretendemos triar doadores semanalmente para anti SARS- CoV-2 e avaliar a possibilidade de produção de soro hiperimune a partir do plasma rotineiramente coletado pelo doador. Doadores com altos títulos serão chamados de forma rotineira para doação através de aferese. Os dados semanais de prevalência de doadores soropositivos também serão usados para inferir a evolução da epidemia em nossa cidade e em modelos matemáticos que possam. Ester Cerdeira Sabino, Alfredo Mendrone, Vanderson Rocha. Hospital das Clínicas com participação do Hemocentro. Estimativa de conclusão do estudo: Abril de 2021
  • PREVENT. Impacto do uso de medicações antirretrovirais e da hidroxicloroquina sobre a ocorrência e gravidade de infecção pelo novo Coronavírus 2019 (SARS-CoV-2). Diante da recente pandemia do vírus SARS-CoV-2) e significativa letalidade da doença, denominada COVID-19, especialmente em pacientes de idade mais avançada e aqueles com comorbidades, é imperativo que se desenvolvam estratégias de tratamento e prevenção. A estratégia de redirecionamento de uso de medicações existentes pode acelerar a identificação de tratamentos efetivos ou intervenções preventivas contra esse agente. Medicações candidatas incluem a hidroxicloroquina e algumas medicações com efeito antiviral utilizadas no tratamento da infecção pelo HIV, que possuem ação contra o SARS-CoV-2 em modelos experimentais. Nesse estudo de coorte, propomos observar a incidência e gravidade da COVID-19 em pacientes que fazem uso contínuo de medicamentos antirretrovirais ou da hidroxicloroquina para o tratamento da infecção por HIV e de doenças autoimunes, respectivamente. Pacientes em uso de medicações candidatas serão comparados a contactantes próximos que não fazem uso de quaisquer medicações candidatas. A identificação de potenciais estratégias de tratamento e prevenção contra COVID-19 será de grande impacto no controle da epidemia e no manejo clínico de apresentações graves da doença. Vivian Avelino-Silva, Eloísa Bonfá, Ricardo Vasconcelos, Douglas Nixon e Esper Kallás Hospital das Clínicas com a participação da Universidade de Cornell, EUA. Estimativa de conclusão do estudo: Dezembro de 2020
  • Análise filogenética de SARS-CoV-2 em diferentes fases da epidemia viral e em pacientes de diferentes gravidades sintomatológicas (assintomáticos, sintomas leves, sintomas severos, sintomas críticos e levados a óbito) atendidos em diferentes Hospitais da capital Paulista incluindo Hospital das Clínicas e Hospital Universitário (outros hospitais poderão ser associados). Análises cronológicas do genoma de SARS-CoV ocorrido na Epidemia de 2003 promoveram uma oportunidade sem paralelo na identificação de bases genéticas para a ocorrência de transmissão zoonótica de coronavírus animais para humanos e posterior adaptação em humanos. Análises de isolados obtidos dos animais intermediários amplificadores, as civetas e casos humanos do início, meio e fim da epidemia evidenciaram a ocorrência de adaptações genéticas em diferentes genes como a replicase, ORF1a, ORF1b, gene Spike, gene da Matriz e na ORF 8. Hipóteses sugerem a relação de alterações de aminoácidos em posições específicas nestes genes e a expansão da epidemia de SARS-CoV, no entanto não existem dados para suportar que estas mudanças genéticas têm alguma relação significante no fenótipo viral e sua relação com o hospedeiro humano. Uma destas características mais marcantes é a deleção de 29 nt da ORF8 e sua possível relação com a adaptação do vírus em hospedeiro humano. No presente estudo é proposto o sequenciamento do genoma completo de isolados de SARS-CoV-2 obtidos de pacientes do Brasil em diferentes fases da epidemia e com diferentes graus de gravidade de sintomas. e sua comparação para análise da presença de mudanças genéticas que possam indicar eventos de adaptação viral. Análises da pressão seletiva sobre o gene Spike também serão realizadas, buscando observar a presença de substituições em sítios alvo de anticorpos. Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa,  Edison Luiz Durigon, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto, Pedro Teixeira da Plataforma Científica Pasteur-USP e Equipes do Hospital Universitário (Prof. P. Margarido) e do Hospital das das Clínicas (Dr. Amaro Nunes Duarte Neto).
  • Reposicionamento de fármacos para o COVID19. Estamos usando uma abordagem de medicina de rede para encontrar candidatos para reposicionamento de fármacos contra o COVID19. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • Avaliação e Síntese de novos derivados Organo-calcogênicos na busca por tratamentos contra COVID-19. Coordenador: Prof. Dr. Alcindo A. Dos Santos (IQ-USP), em colaboração com Dr. Lucio H. Freitas-Junior (ICB-USP) e Prof. Dr. Carolina Borsoi Moraes (ICAQF – UNIFESP).
  • Estudos de candidatos a inibidores da replicação viral de SARS-CoV-2, por fármacos reposicionados em potencial e produtos naturais.  Responsável: Prof. Carlos Tomich (FCFRP-USP), a princípio em conjunto com docentes e pesquisadores da UNIFAP e IB-UNICAMP para ensaios in vitro e clínicos.
  • Desenvolvimento de métodos sorológicos multiplex e anticorpos policlonais utilizando antígenos naturais de SARS-CoV-2. Laboratório de Protozoologia da Faculdade de Medicina da USP. Equipe: Profs. Heitor Franco de Andrade Jr, Edison Luiz Durigon e Expedito J. de Albuquerque Lunna.
  • Estudo de um potencial alvo terapêutico para Covid-19.  Trata-se de uma proteína importante para a replicação do coronavirus, que também inibe a resposta inicial do sistema imune. Estudos de reposicionamento de drogas por docking estão sendo executados para selecionar possíveis drogas que possam inibir a atividade dessa proteína do vírus. Empresas farmacêuticas como a Eurofarama  e Aché, doaram alguns dos compostos selecionados para serem validados. Responsáveis: Prof. Nicolas Carlos Hoch junto com a Profa. Flavia Carla Meotti, o Prof. Alexandre Bruni Cardoso e a Profa. Deborah Schechtman  do Instituto de Química, Departamento de Bioquímica com a equipe de pós-graduandos: Isaac de Araujo Mattos, Rebeka Tomasin, e Antonio Manucci
  • Avaliação bem fundamentada da correlação entre a anosmia e a COVID-19. Além dos sintomas em pacientes de Covid-19 já descritos pela OMS, relatos de súbita perda de olfato e paladar vêm crescendo a cada dia, e começam também a surgir aqui no Brasil.  Portanto, a perda de olfato poderia representar mais um sintoma, que quando combinado aos demais pode indicar uma maior chance de a pessoa ter contraído o coronavírus. Este sinal poderia ser utilizado como um alerta para se iniciar um tratamento mais intensivo antes que a doença se agrave. A validação da perda do olfato como um sintoma inicial da doença poderá auxiliar na identificação de potenciais transmissores do vírus sendo um indicador simples, amplamente acessível e de baixo custo, para selecionar quem deve ser isolado ou preferencialmente testado para a infecção com o coronavírus. Responsáveis: Profs. Alexandre Bruni Cardoso, Bettina Malnic e Deborah Schechtman do Instituto de Química e Isaias Glezer da UNIFESP. 
  • Projeto para o desenvolvimento de antivirais para o tratamento da COVID-19, consistindo em: 1) triagem de compostos naturais e sintéticos na busca por antivirais para o tratamento da doença infecciosa COVID-19;  2) desenvolvimento de rotas sintéticas para a produção local de fármacos com atividade antiviral para o tratamento da doença COVID-19, identificados em estudos clínicos no país e no exterior. Coordenador: Prof. Glaucius Oliva (IFSC).
  • Projeto para a produção de sistemas nanométricos para diferentes  frentes: 1. Sistema nanoestruturado de delivery de proteínas da coroa do vírus para ser testado como possível vacina/tratamento; 2. produção de anticorpos mais específicos para detecção do SARS-CoV-2; 3. Sistema de detecção de alta sensibilidade (produção de nanosensor – em colaboração com grupo do IFSC – USP). Coordenação: Prof. Pietro Ciancaglini, da FFCLRP, com a colaboração de Ana Paula Ramos, também da FFCLRP, e de Rodrigo Stabeli, da FIOCRUZ de Ribeirão Preto.
  • Análise das modificações microestruturais causadas pela ativação ácida em argilas brasileiras utilizando processo ambientalmente amigável visando a obtenção de nanosistemas de liberação controlada de fármacos que estão sendo testados no tratamento contra o COVID-19, como por exemplo a hidroxicloroquina (HCD). Responsável: Prof. Christiano Gianesi Bastos Andrade, PMT / PMI / PQI – Escola Politécnica.
  • Aprimoramento de formulações para reposicionamento de fármaco antihelmíntico (niclosamida) com potencial atividade antiviral de amplo espectro. Responsável: Prof. Gabriel Lima Barros de Araujo, da FCF. 
  • Desenvolvimento e avaliação de antiinflamatórios na forma de nanosuspensões nasais, utilizando bixina e pullulan. Novas formulações de fármacos, especialmente aqueles pouco ou insolúveis em água, na forma de nanodispersões à base de bixina, composto isolado de Bixa orellana (urucum). Produtos comerciais apresentam os fármacos na escala micrométrica enquanto nossas apresentações são nanométricas o que permite atingir os alvéolos de maneira mais eficiente. Coordenação: Profa. Irene Satiko Kikuchi (FCF)
  • Desenvolvimento de uma plataforma de triagem fenotípica para reposicionamento de fármacos, descoberta de novas entidades químicas e validação de alvos para tratamento da COVID-19.  Essa iniciativa consiste em utilizar culturas de células humanas infectadas com o coronavírus SARS-CoV-2 e avaliar a atividade antiviral de diferentes moléculas, tanto de origem sintética quanto natural. Essa iniciativa é desenvolvida no laboratório de nível de biossegurança 3 (NB3) do Departamento de Microbiologia do ICB-USP. Equipe:  Dr. Lucio H. Freitas-Junior, Prof. Dr. Paolo Zanotto, Prof. Dr. Edison Durigon, Prof. Dr. Enrique Boccardio e Prof. Dr. Luís Carlos de Souza Ferreira e colaboração e apoio da Prof. Ana Marcia Sá Guimarães, coordenadora do NB3.
  • Uso de células tronco mesenquimais no tratamento de casos graves da COVID-19. Coordenação do Prof. Dr. José Alexandre Marzagão Barbuto, do ICB
  • Participação na rede  Corona-ômica BR-Trabalho nacional de sequenciamento composto pelo comitê de especialistas Rede Vírus. Equipe: Professores Heidge Fukumasu, Helena Lage Ferreira e Juliano Coelho da Silveira, todos da FZEA.
  • Estudo do processo inflamatório do tecido pulmonar na infecção pelo novo coronavírus. Responsável: Raquel Fernanda Gerlach, da FORP. 
  • Pesquisa relativa à mitigação dos efeitos do vírus Sars-CoV-2. Equipe: Prof. Dr. Paolo Zanotto, Profa. Dra. Marilia Seelaender e Dr. Otávio Marques (ICB).
  • Importância do estresse oxidativo como via para bloqueio de replicação do SARS-Cov2. Coordenação do Prof. Dr. Carlos Frederico Martins Menck (ICB).
  • Desenvolvimento de modelo animal para COVID-19.  Coordenação dos Professores  Dra. Denise Fonseca e Dr. Edson Durigon, ambos do ICB.
  • Avaliação do burst de Sars-CoV-2 em células humanas através de microscopia avançada. Coordenação do Prof. Dr. Carsten Wrenger, do ICB.
  • Análise da resposta imunológica de células humanas contra o vírus Sars-CoV-2. Coordenação da Dra. Carla Claser, do ICB.
  • Pesquisa sobre a adaptação das ferramentas de bioinformática estrutural para estudos in silico de flavivirus para o SARS-CoV-2, caracterizando epitopos e testando possíveis anticorpos. Responsável: Prof. Fernando Luis Barroso da Silva, da FCFRP.
  • Estudo sobre abordagem de metabolômica e lipidômica de células infectadas pelo SARS-CoV-2. Neste sentido, estão em desenvolvimento métodos analíticos por CLAE-EM (cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a espectrometria de massas) para identificação e quantificação de biomarcadores envolvidos no quadro inflamatório provocado pelo vírus. Será avaliada a resposta em neutrófilos e mononucleares humanos (linfócitos e monócitos) incubados com vírus, comparativamente ao controle positivo (LPS). Responsável: Prof. Norberto Peporine Lopes, da FCFRP, em parceria com professores da FMRP.
  • Projeto de pesquisa para descoberta de candidatos a fármacos – colaboração com pesquisadores da FCFRP (Maria Cristina Nonato – biologia estrutural e screening com proteínas envolvidas na replicação do virus, Giuliano Cesar Clososki – síntese de derivados de cloroquina e de insumos farmacêuticos de interesse para COVID19 – como retroantivirais e inibidores de RNA Polimerase; Fernando Batista da Costa – biblioteca de compostos de produtos naturais); UNICAMP (Ensaios antivirais); UFG (estudo computacional de screening virtual) e colaboradores estrangeiros. Responsável: Flávio da Silva Emery.

 

  • Busca por anticorpos recombinantes de Camelídeos (nanobodies humanizados ou não) com efeito neutralizante para a infecção provocada por Sars-Cov-2 e/ou como ferramentas biotecnológicas aplicáveis ao diagnóstico desta virose. Pesquisadores envolvidos: Rodrigo Stabeli – Coordenador (Fiocruz São Paulo e FMRP- USP), Soraya Santos (Fiocruz Rondônia), Carla Caledônia Fernandes (Fiocruz Ceará), João Herminio Martins Da Silva (Fiocruz Ceará), Gilvan Furtado Pessoa (Fiocruz Ceará), Pietro Ciancaglini (FFCLRP-USP), Larissa Deadame de Figueiredo Nicolete (Fiocruz Ceará), Roberto Nicolete (Fiocruz Ceará), José Luiz Modena (Unicamp), Marcelo Dias Baruffi (FCFRP-USP), Carlos Alessandro Fuzo (FCFRP-USP), Thais Canassa de Leo (FCFRP-USP), Martin Krahenbuhl Amstalden (FCFRP-USP), Lilian Cataldi Rodrigues (FCFRP-USP), Marcelo Macedo Brigido (UnB) e Andrea Queiroz Maranhão (UnB);
  • Estudo do impacto de entidades moleculares na infecção por anti-SARS- CoV-2: anticorpos anticarboidratos, galectinas, glicanas sintéticas e novos derivativos de drogas já validadas para o tratamento de doença parasitária. Pesquisadores envolvidos: Marcelo Dias Baruffi (FCFRP-USP), Ivone Carvalho (FCFRP-USP), Richard D. Cummings (Harvard University), Sean R. Stowell (Emory University), Rodrigo Stabeli (Fiocruz São Paulo/FMRP-USP), Carlos Fuzo (FCFRP-USP), Jean Pierre Schatzmann Peron (ICB-IV-USP/PCPUSP- Plataforma Científica Pasteur USP), Fábio Kubata, (FCFRP-USP), Luisa Mestriner (FCFRP-USP), Vanessa Leiria Campo (Centro Universitário Barão de Mauá), José Luiz Modena (Unicamp), Martin K. Amstalden (FCFRP-USP), Filipe Oliveira (FCFRP-USP), Lilian Cataldi Rodrigues  (FCFRP-USP) e Thais Canassa de Leo (FCFRP-USP).
  • Tratamento de infecções do trato respiratório. Pesquisas laboratoriais e desenvolvimento instrumental para protocolos de tratamento de infecções do trato respiratório por inativação fotodinâmica, com o objetivo de desenvolver tratamento auxiliar da COVID-19. Responsáveis: Profa. Cristina Kurachi e Prof. Vanderlei Bagnato do Instituto de Física de São Carlos e Profa. Sigrid de Sousa dos Santos da UFSCar. Equipe: Drs. Natalia Inada, Hilde Buzzá, Kate Blanco, Lucas Dias, Thaila Quatrini e Fernanda Sousa, e alunos de pós-graduação).Junto com a Prof. Ligia Ferreira Gomes (FCF USP) e o Dr. Otavio Marques (ICB USP), fazem parte de um grupo de discussão, diretamente com a indústria farmacêutica, sobre o desenvolvimento e os testes pré-clínicos de um fármaco imunomodulador com potencial de uso para a COVID-19. Eles possuem amostras desse fármaco no laboratório (LabM2) e estão aguardando mais informações do grupo de desenvolvimento da Nanocare (EUA), que já submeteu o desenvolvimento ao NIH. O projeto está na fase de avaliação pelo CEP.
  • SISTEMA  GeoEpidemic DE MAPEAMENTO. Trata-se de ferramenta gratuita para mapeamento de doenças nos municípios, como a Covid-19, Dengue, Meningite e demais enfermidades de interesse epidemiológico. O projeto piloto foi implantado em Porto Ferreira-SP, onde tem auxiliado nas tomadas de decisões mitigadoras da COVID-19.  Coordenação: Profa. Dra.Vera Letticie de Azevedo Ruiz (FZEA) e  Renato Corrêa Pimazzoni (PUSP-FC).

 

  • Spira: Doe sua voz e ajude no diagnóstico da Covid-19. Existe um grande desafio na triagem de pacientes com a COVID-19. Nosso grupo de pesquisadores está criando um método de triagem baseado em áudio e inteligência artificial. O novo método de triagem só vai funcionar se recebermos muitas vozes. Participe: é 100% anônimo, rápido e sigiloso. Sua voz poder salvar vidas. Responsáveis: Anna Sara Levin Shafferman (Co-responsável, área médica), FMUSP, Ester Cerdeira Sabino (Co-responsável, área médica), FMUSP, Marcelo Finger (Coordenador), DCC-IME-USP.
  • Predição da tendência da curva de infectados com o novo coronavírus, para diferentes países da América Latina e cidades do Brasil. Utilização de métodos estatísticos e computacionais para detecção de pontos de mudança na dinâmica das curvas. Atualizações diárias desta análise podem ser encontradas no endereço https://www.ime.usp.br/~gpeca/covid-19.html. Responsável: Florencia Leonardi, IME-USP.
  • Solução de Telemedicina para Triagem de Pacientes com Suspeita de COVID-19. Busca desenvolver uma plataforma de atendimento por telemedicina para triagem e acompanhamento de pacientes do COVID-19. Através da comercialização de um kit entregue ao paciente em seu domicílio, combinado com plataforma para interação por chat e videoconferência entre paciente e médico habilitado para o atendimento. Projeto apoiado pelo Amigos da POLI (fundo de endowment dos ex alunos da POLI). Responsável: Prof Marcos Barretto, Escola Politécnica.
  • Descrição: MONITOA-CLUSTERS, um monitoramento em mapas para a vigilância epidemiológica no Brasil. Hospedamos nossos mapas dinâmicos no site do nosso Grupo de Estudos “Espaço Urbano e Saúde”, no Instituto de Estudos Avançados da USP. Neste momento de crise, estamos monitorando a epidemia por meio de estatística sofisticada para a identificação de áreas com excessos de casos ou de óbitos e áreas de agrupamentos ativos de casos da covid-19. É uma iniciativa inovadora. https://sites.usp.br/espacourbanoesaude/en/monitora-clusters/. Profa. Ligia V. Barrozo da FFLCH e Prof. Paulo Saldiva (Faculdade de Medicina).
  • Recursos tecnológicos de ensino a distância na crise sanitária Covid-19 (Survey). O survey almeja identificar os principais fatores impulsionadores e restritivos para a adoção de tecnologias digitais no ensino, tanto no início quanto depois da crise. Portanto, almeja-se fornecer informações para gestores sobre prioridades para o desenvolvimento de novas competências institucionais. Equipe: Jacques Marcovitch, Justin Axel-Berg, Cleópatra Planeta, Elizabeth Balbachevsky, Luiz Nunes de Oliveira, Marisa Beppu, Nina Stocco Ranieri. Faculdade de Economia e Administração.
  • Estimativa de parâmetros epidemiológicos, modelagem matemática e documentação da vivência da pandemia de COVID-19 em periferias: o caso do Jardim São Remo no município de São Paulo. Grupo de Pesquisa das Periferias e do Democracia, Artes e Saberes Plurais (DASP). Coordenação: Oswaldo Santos Baquero (FMVZ e IEA-USP). Equipe: Prof. Fernando Ferreira (FMVZ/USP), Prof. Marcos Amaku (FM/USP, FMVZ/USP), Profa. Ana Claudia Camargo Gonçalves Germani (FM/USP, IEA/USP), Profa. Gislene Aparecida dos Santos (EACH/USP, IEA/USP), Prof. Martin Grossman (ECA/USP, IEA/USP)
  • Análise sistêmica da cidade de São Paulo frente à pandemia da COVID-19. O grupo de Biologia de Sistemas do Lab. de Fisiologia Ecológica de Plantas está aplicando um software por ele desenvolvido para compreender como a evolução do padrão de infecções  e óbitos da COVID-19 se relaciona com os diferentes padrões urbanos na Cidade de São Paulo. O trabalho é uma colaboração com o Programa USP-Cidades Globais do IEA e o Núcleo de Estudos da Violência da FFLCH. Responsável: Marcos Buckeridge.
  • Modelagem da curva de casos de COVID-19. Observatório COVID-19 BRP. O observatório desenvolve ferramentas estatísticas e matemáticas para informar o debate público e a gestão pública. No momento, o Observatório dá suporte à Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, ao Comitê de Crise da Pandemia do Estado de São Paulo, e ao Estado Maior do Exército Brasileiro (2ª Divisão, Seção de Planejamento e Operações). O Observatório mantém um sítio de divulgação (https://covid19br.github.io) e tem intensa presença na mídia, com participações em veículos como Fantástico, Portal G1, Folha de São Paulo, CNN Brasil (ver seção “Mídia” do site). Os Profs. Paulo Inácio Prado e Paulo Roberto Guimarães Jr. do Instituto de Biociências e pesquisadores da UNESP e UFABC coordenam um consórcio de pesquisadores da USP, UNESP, UNICAMP, UFABC, UnB, FIOCruz, Oldenburg Universitat, University of Chicago, University of California Berkeley, Ac. Mexico. 
  • Desenvolvimento de uma ferramenta computacional amigável para vigilância de epidemias e monitoramento dos casos no Brasil e na América Latina. (Outbreak tool): https://outbreak.sysbio.tools/ . Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • Sistema computacional de suporte e análise de dados de psicoterapias de apoio aos profissionais de saúde do Hospital das Clínicas com relação à situação de pandemia do covid. Profa. Fátima L. S. Nunes (EACH), o aluno Hermon Faria de Araújo (EACH), Profa Ariane Machado Lima (EACH) com a colaboração do Prof. Felipe Corchs do Instituto de Psiquiatria da FMUSP.
  • SiPoS COVID19. Iremos usar o histórico de localização de pacientes com a doença para descobrir quais lugares eles passaram e quem poderá ter sido exposto. Já desenvolvemos a ferramenta SiPoS (https://sipos.fcf.usp.br/) e temos o comitê de ética aprovado. Estamos agora recrutando pacientes através de alunos da medicina. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • SUS COVID19. Estamos aplicando métodos de aprendizado de máquina em dados do SUS de pacientes com COVID19 para determinar quais sintomas melhor predizem a severidade da doença. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • Modelos de projeção de casos. Estamos realizando modelos de Projeções de casos com colaboradores internacionais. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • COVID19 history. Estamos compilando os dados de início do COVID-19 no Brasil. O trabalho conta a história de como o COVID-19 entrou no país com os primeiros casos. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • Mobilidade COVID19. Estamos analisando o padrão de mobilidade urbana da população brasileira usando dados de mais de 60M de pessoas. É uma colaboração com a empresa In Loco. Já temos um trabalho submetido para a CELL Patterns e depositado no repositório: https://osf.io/nqxrd/. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • BioProfile. Nós estamos desenvolvendo uma ferramenta computacional chamada BioProfile que permite a visualização rápida dos sintomas, comorbidades e dados clínicos e demográficos dos pacientes com COVID-19. Apenas usando um tablet, o profissional de saúde poderá ter acesso a todos os pacientes de uma ala de UTI ou até mesmo do hospital inteiro. Este prontuário digital permite o acompanhamento das ações durante o período de internação e no direcionamento das tomadas de desições dos profissionais de saúde com maior eficiência. Para calcular o risco de COVID19 severa, usaremos nosso algoritimo de aprendizado de máquina sendo treinado com os dados do hospital Albert Einstein. O objetivo é que todas as informações só poderão ser acessadas por profissionais com senha ou biometria. O protótipo inicial está aqui: http://bioprofile.duckdns.org:3838/app/#section-home. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • StructRNAfinder do genoma de SARS-CoV-2. Iremos usar nossa ferramenta StructRNAfinder para comparar a estrutura secundária do RNA de vários coronavírus para entender as diferenças com SARS-CoV-2. Responsável: Helder Nakaya, FCF.
  • Uso de técnicas de Ciência de Dados e Processamento de Linguagem Natural (NLP) para analisar discursos nas redes sociais da população, gestores e imprensa sobre COVID-19 e tópicos relacionados, e suas implicações em Saúde Pública. Grupo de Estudos em Saúde Planetária. Responsáveis: Antonio Mauro Saraiva (Prof. da Escola Politécnica da USP) e Maria Anice Mureb Sallum (Profa. da Faculdade de Saúde Pública da USP). Colaboradores: André Luis Acosta (CADDE-FMUSP), Fernando Xavier (Poli-USP) e João Rodrigo Windisch Olenscki (Poli-USP).
  • Estudos de modelagem para análise da evolução da epidemia de COVID-19. Laboratório de Genética aplicada às doenças infecciosas da Faculdade de Medicina da USP. Responsável: Profa. Ester Cerdeira Sabino.
  • Projeto para elaborar um simulador virtual 3D, para orientar profissionais da saúde sobre o uso do Ultrassom como ferramenta de pré-diagnóstico e apoio à intervenções clínicas em pacientes com COVID19, com base em achados e aplicações já realizados no mundo. Coordenador: Antonio Adilton Carneiro, FFCLRP.  Envolvidos no Projeto: Felipe Grillo (CEO da Startup Gphantom); Carlo Rondinoni (CEO da startup Tagma Vision) ; Aron Hussid Ferreira (doutorando da FMRP) e especialista em Ultrassom de pulmão, Prof. Dr. Jorge Elias Junior, FMRP e  Radiologista especialista em Ultrassom do Centro de imagem do Hospital das Clínicas (USP-RP).
  • Identificação de populações vulneráveis e serviços/recursos com com espaços disponíveis para contribuir com o SUS no enfrentamento da epidemia. Assessoria em análise espacial para o Hospital Israelita Albert Einstein, no grupo de Geoprocessamento da equipe de Big Data, no contexto do PROADI-SUS. Responsável: Ligia Vizeu Barrozo, da FFLCH, coordenadora do Grupo Espaço Urbano e Saúde do IEA.
  • Modelo matemático da evolução de casos de Covid-19. Modelo matemático da evolução do número de casos de Covid-19, tendo dois objetivos principais: (i) prever o número de casos futuros da doença e (ii) ensinar a população a entender as previsões. Vídeos sobre o modelo estão sendo postados. Responsável: Prof. Luiz Vitor de Souza Filho, Instituto de Física de São Carlos.
  • Desenvolvimento de uma plataforma digital de reabilitação para pessoas com deficiência física e cognitiva que permita tanto a realização de exercícios de reabilitação de forma remota quanto o acompanhamento e o controle de variáveis pela equipe de reabilitação. Durante o período da pandemia do novo coronavírus a plataforma será liberada para uso amplo e gratuito. A Plataforma é fundamental neste momento de distanciamento e também representa o futuro da reabilitação. Responsáveis: Prof. Carlos Bandeira de Mello Monteiro e Prof. Luciano Araújo, EACH.
  • Desenvolvimento de um conjunto de simulações do modelo SIR, para estudos de epidemia visando estabelecer estimativas sobre a dinâmica da pandemia. Um aperfeiçoamento do modelo, para estimar números de leitos necessários será implementado posteriormente. Responsável: Prof. Alexandre Ferreira Ramos, EACH.
  • Desenvolvimento de algoritmos para predição de morte nos pacientes com casos graves de COVID-19. Coordenação da Profa. Maristela Martins de Camargo, do ICB.
  • Auxiliar nas análises espaciais para identificação de aglomerados espaço-temporais de casos notificados, casos suspeitos e óbitos. A equipe da GISA está geocodificando todos os endereços para serem feitas análises espaciais. Assessoria em análise espacial para a Secretaria de Saúde do Município de São Paulo – CeInfo. Um técnico e o gerente de Geoprocessamento e Informações Socioambientais (GISA) da Coordenação de Epidemiologia e Informação (CEInfo) fazem parte do Grupo de Estudos Espaço Urbano e Saúde do IEA. Responsável: Profa. Ligia Vizeu Barrozo, FFLCH, coordenadora do Grupo Espaço Urbano e Saúde do IEA.
  • Estoque Seguro: estudo da gestão de insumos considerando a taxa de ocupação e os níveis de estoques mínimos em hospitais com previsão de demanda. Neste projeto, dados históricos de utilização de insumos em hospitais serão utilizados para a previsão de demanda no próximo período, levando em consideração a pandemia de COVID-19 e os efeitos de curto prazo que ela pode acarretar. Devido em grande parte ao aumento da procura, a Bionexo, que oferece soluções tecnológicas para a gestão de processos na área da saúde, já identificou forte crescimento na demanda e nos preços de alguns insumos, entre eles álcool em gel, máscaras N95 e máscara cirúrgica. Esse aumento recente de preços requer a manutenção inteligente do estoque, de forma que também não faltem insumos para os hospitais. Vale observar que a cadeia de suprimentos representa a segunda maior despesa dos hospitais, e que pode haver remanejamento entre estoques de insumos de diferentes hospitais atendidos pela Bionexo. Responsável: Prof. Francisco Louzada Neto, Laboratório de Estatística, Laboratório de Otimização, CER (Centro de Estudos do Risco) e CeMEAI (Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria), do ICMC.
  • Sistema de Informação para gestão integrada de leitos hospitalares e respiradores. Existem diversos sistemas atualmente disponíveis nos hospitais (públicos e particulares), que geralmente não são integrados. Com isso, os municípios não tem previsão de como gerenciar todos os leitos novos que estão sendo disponibilizados em hospitais de campanha, bem como os respiradores necessários  aos pacientes mais graves de COVID-19. Responsável: Rosana Teresinha Vaccare Braga, Laboratório  de Engenharia de Software do ICMC, Laboratório de Computação Reconfigurável, Laboratório  do Grupo de Base de Dados e Imagens, do ICMC.
  • Modelo para predição de COVID19 entre casos notificados no Brasil. O objetivo é obter um modelo preditivo de diagnóstico baseado em dados de vigilância para ajudar a combater a pandemia do COVID-19. Trata-se de uma pesquisa de avaliação de tecnologias de diagnóstico, envolvendo todos os casos de COVID-19 notificados ao Ministério da Saúde por meio da ficha de notificação para casos suspeitos de novo coronavírus (2019-nCoV) no ano de 2020. Pesquisador responsável: Prof. Fredi Alexander Diaz-Quijano, Departamento de Epidemiologia, FSP.
  • Desenvolvimento de um robô autônomo de pequeno porte para hospitais a fim de auxiliar profissionais da saúde na entrega autônoma de refeições aos pacientes, de forma a diminuir a carga de trabalho e o contato desses profissionais com pessoas infectadas com o coronavírus. Além disso, o robô pode servir como uma plataforma para uma série de outras aplicações que utilizem algoritmos de Inteligência Artificial com aplicação em hospitais. Daniela Ridel (doutoranda), Laboratório de Robótica Móvel (LRM), do ICMC.
  • Um grupo de engenheiros, cientistas da computação e matemáticos (UFPA, USP, INPE, UNIFESP) estão adaptando o modelo SEIR (Suscetível, Exposto, Infectado, Recuperado ou morto) – universalmente usado para prospectar a propagação de epidemias como a Covid-19. A adaptação usa modelos probabilísticos e de inteligência artificial para inserir o grau de impossibilidade de se isolar percentuais da população devido à particularidade da demografia brasileira (domicílios com muitas pessoas e poucos cômodos). A solução apresenta curvas mais realistas acerca da escalada da epidemia no país. A aplicação começou pela cidade de São Paulo (por ser o epicentro da Covid-19 e maior cidade do país). O modelo é generalizável para qualquer cidade do mundo e refina os estudos do Imperial College London,  tomados como base no mundo inteiro. Responsável: Prof. André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, do ICMC.
  • Teste de algoritmo que pode ser utilizado em reposicionamento de fármacos. Avaliar o resultado do algoritmo no problema de reposicionamento de fármacos e, no caso de resultados  positivos, obter dados relacionados com o reposicionamento de fármacos para o Covid-19. Responsável: Prof. Alneu de Andrade Lopes, LABIC (laboratório de inteligência computacional), do ICMC.
  • Ciência de Dados e Aprendizado de Máquina aplicados ao diagnóstico de COVID-19 a partir de dados do espectro clínico de pacientes do Hospital Albert Einstein. A partir dos dados de pacientes reais testados para o COVID 19 disponibilizados pelo Hospital Israelita Albert Einstein e técnicas de ciência de dados e aprendizado de máquina, prever os casos positivos dentre os suspeitos. Responsável: Prof. André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, do ICMC.
  • Ferramenta de apoio a analfabetos funcionais. Aplicativo com reconhecimento e geração de mensagens de voz com chatbot para indicar a analfabetos funcionais qual o hospital mais próximo em que ele conseguirá atendimento mais rápido, com dados atualizados em tempo real. É fornecida ainda a rota para este hospital usando imagens do google maps. O projeto conta com o apoio das empresas IDK, Loud Voice, e com tecnologias da google e AWS. Responsável: Prof. André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, do ICMC.
  • Projeto de pesquisa visando a previsão da evolução da contaminação. O objetivo é estimar onde e quando ocorrerão os picos de contaminação por município com mais de 200 mil habitantes. Responsável: Prof. Luis Gustavo Nonato, do ICMC.
  • Modelagem da curva de contágio da COVID-19 no Brasil. Uso de modelos de aprendizado de máquina para aprender parâmetros da curva de contágio de outros países e ajustá-los ao cenário brasileiro por meio de recursos como mineração de dados e aprendizado de máquina. Os resultados preliminares estão disponíveis em https://websensors.net.br/projects/covid19/. Responsáveis: Profs. Ricardo M. Marcacini  e Solange O. Rezende, do ICMC.
  • Modelagem da propagação do Covid-19. A propagação do Covid-19 está sendo modelada por meio de redes complexas dinâmicas, de modo a verificar o efeito de diferentes políticas de prevenção no número de infectados. Os recursos utilizados são modelagem matemática, simulação estocástica e métodos de aprendizado de máquina. Prof. Francisco Aparecido Rodrigues, do ICMC.
  • Projeto para estimativas dos casos confirmados com a Covid-19 no Brasil. O objetivo do projeto é fazer predições a cada  5 dias para o número de casos confirmados no Brasil, considerando dois enfoques: i. Estatístico: Modelo de regressão ao binomial negativa; ii. Matemático: Ajuste de curvas pelo método de mínimos quadrados. Equipe: Edwin M. M. Ortega (LCE/ESALQ),  Elizabeth M. Hashimoto (DAMAT/UTFPR), Fábio Prataviera (LCE/ESALQ), Gauss M. Cordeiro (CCEN/UFPE) e Julio C. S. Vasconcelos (LCE/ESALQ).
  • Estudo do tempo até um país atingir o número de 1000 casos confirmados com a de Covid-19. O objetivo é utilizar os métodos de análise de sobrevivência para estudar o tempo mediano para atingir 1000 casos confirmados considerando todos os países do mundo. Neste caso, cada país  é uma unidade amostral. Equipe: Edwin M. M. Ortega (LCE/ESALQ), Elizabeth M. Hashimoto (DAMAT/UTFPR), Fábio Prataviera (LCE/ESALQ), Gauss M. Cordeiro (CCEN/UFPE) e Julio C. S. Vasconcelos (LCE/ESALQ)
  • Projeto para comparar as curvas de sobrevivência ao Covid-19 por continentes, incluindo algumas variáveis explanatórias para melhor estudá-las melhor as curvas de sobrevivência. Equipe: Edwin M. M. Ortega (LCE/ESALQ),  Elizabeth M. Hashimoto (DAMAT/UTFPR), Fábio Prataviera (LCE/ESALQ), Gauss M. Cordeiro (CCEN/UFPE) e Julio C. S. Vasconcelos (LCE/ESALQ).
  • MICROARTES EM VOGA: FORMATOS E MÍDIAS PARA AÇÕES CULTURAIS NO PÓS-PANDEMIA. Projeto de inovação em formatos e linguagens (mídia imersiva, 3D, interativa), com objetivo de definir um processo técnico para produção de microartes – audiovisuais curtos e autossuficientes, com valores agregados diferenciais para consumo em dispositivos digitais – e produzir um certo número de peças voltadas para ações culturais em temas de interesse à sociedade, particularmente evidenciados em um cenário disruptivo pós-pandêmico. Os conteúdos das peças serão definidos a partir de temas de interesse social, artístico, cultural e científico em voga em um cenário pós pandemia de COVID-19, e a partir do entendimento da subversão decorrente desta que alterou a rotina de valores, hábitos e interesses na produção e no consumo de informação. Pesquisadores: Prof. Dr. Almir Antonio Rosa [Almir Almas], Prof. Dr. Regis Rossi Alves e Prof. Dr. Diosnio Machado Neto.

 

  • “PANDEMÍDIA: Vírus, Contaminações e Confinamentos – a urgência de se pensar efeitos da pandemia na mídia contemporânea”. Livro em formato digital, contendo contribuições inéditas de ensaios em textos, ensaios imagéticos e audiovisuais, depoimentos, reflexões, ficções etc. Uma coletânea que traz reflexões – científicas, artísticas e midiáticas – acerca dos efeitos suscitados pela pandemia da Covid-19, na relação da sociedade com os recursos audiovisuais. Através de um volume que contempla em seus capítulos questões que têm a mídia, o audiovisual, a ciências, as esferas virtuais e linguagens que os circundam em um centro conceitual, este e-Book se propõe a abraçar as contradições que vêm com tal acontecimento e dar vazão às reflexões seminais sobre um novo mundo que se descortina. Entendemos que o fenômeno ao qual denominamos PANDEMÍDIA não foi iniciado com o coronavírus, mas vem acontecendo como reflexo da revolução digital, que trouxe consigo uma profusão de telas (como computadores, celulares, tablets e aparelhos de TV) para a vida contemporânea, que agora torna possível o isolamento que hoje vivenciamos. Tal hipótese nos permite perguntar se o distanciamento social imposto seria possível – praticamente, socialmente e subjetivamente – se não houvesse as mediações tecnológicas e seus dispositivos. Na urgência de refletir sobre o mundo e, consequentemente, seus ecossistemas naturais, culturais, políticos e sociais que, sabemos, não serão mais os mesmos, PANDEMÍDIA convida à reflexão no que tange aos aspectos midiáticos desta uma nova condição mundial. Organizadores: Almir Almas, Luis Fernando Angerami Ramos, Deisy Fernanda Feitosa, Daniel Lima, Lyara Oliveira e João Knijnik.

 

  • Projeto Transcender: Pesquisa aplicada na construção de uma ferramenta social em atendimento à demanda da Pandemia da Covid-19. Trata-se de uma plataforma on-line gratuita, em ambiente audiovisual, customizável, para dar suporte à realização cerimoniais de despedida e registro de memoriais de entes queridos. Dentro deste contexto em que vivemos diante de pandemia, elaborar a morte e o luto tem sido um desafio. E o ritual de despedida, presente em todas as culturas e religiões, é colocado em suspensão neste momento. Nesta plataforma acontece uma vivência on-line, via streaming, com o uso de narrativas simultâneas e sincronizadas. Para a elaboração e execução do projeto, juntaram-se em colaboração transdisciplinar o LabArteMídia (Laboratório de Arte, Mídia e Tecnologias Digitais) – grupo de pesquisa vinculado ao Departamento de Cinema, Rádio e Televisão e do Programa de Meios e Processos Audiovisuais da ECA; o InterPsi (Laboratório de Estudos Psicossociais: Crença, Subjetividade, Cultura & Saúde), grupo de pesquisa vinculado ao Instituto de Psicologia e o Laboratório de Robôs Sociáveis, vinculado à Escola Politécnica, todos da Universidade de São Paulo, englobando comunicação, tecnologia, psicologia, advocacia, audiovisual e arte. De forma poética e com apoio de psicólogos, especialistas em rituais, estudiosos de religiões, do direito, das artes, do audiovisual, da comunicação e da engenharia da computação, a ferramenta busca proporcionar uma experiência de afeto e ajuda no processo do luto e na conservação de memórias. Coordenadores do projeto: Prof. Dr. Almir Almas (ECA/USP), Prof. Dr. Wellington Zangari (IP/USP), Prof. Dr. Marcos Ribeiro Pereira Barreto (POLI/USP), Profa. Dra Deisy Fernanda Feitosa (Pós-Doutora Diversitas/FFLCH/USP) e Daniel Lima (PPGMPA/ECA/USP).
  • Design for Emergency: a partir da abordagem de design centrado no usuário, a iniciativa consiste em três fases: pesquisa, visualização de dados e ideação. Na primeira fase foram levantados dados sobre comportamentos, emoções, necessidades e desejos das pessoas vivendo em isolamento social em diversas cidades brasileiras. A análise de dados utilizou ferramenta NLP (Natural Language Processing) gerando infográficos para visualização. A segunda etapa envolve desafio internacional para semear ideias de soluções para as necessidades identificadas na pesquisa, que serão compartilhadas sob licença Creative Commons. Coordenação: Profa. Denise Dantas (FAU USP). Equipe: Profa. Dra. Sara Goldchmit (FAU USP), Profa. Cristiane Aun Bertoldi (FAU USP), Prof. Dr. Leandro Velloso (FAU USP), Prof. Dr. Marcelo Oliveira (FAU USP). Projeto internacional, idealizado pelo Center for Design da Northeastern University, sob liderança de Paolo Ciucarelli e Sara Colombo. Parceria com Museu da Casa Brasileira na etapa final Desafio Internacional Semeando Ideias. Participação do mestrando André Barbosa (IME USP) na análise dos dados. 
  • Pesquisa sobre opiniões dos estudantes de medicina sobre seu papel na pandemia do COVID-19. Perante a pandemia do COVID-19 e a interrupção das atividades acadêmicas dos cursos de medicina, o Centro de Desenvolvimento de Educação Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, desenvolveu um questionário para investigar os impactos da pandemia do Covid-19 na vivência dos estudantes de medicina e suas percepções. Buscamos, com isso, gerar evidências científicas para avaliar os efeitos das decisões das Instituições de Ensino e das autoridades de saúde frente a essa pandemia. Investigar os impactos da pandemia do Covid-19 nas percepções do estudante de medicina quanto ao seu papel de apoio a uma equipe de saúde, seu aprendizado pessoal e profissional. Os dados estão em análise. Equipe: Milton de Arruda Martins, Patrícia Zen Tempski, Fernanda Magalhães Arantes Costa, Renata Kobayasi, Marina Siqueira, Matheus Torsani, Saulo Lourenço Siqueira, Maria Eduarda Mesquita, Bianca Quintella Ribeiro Corrêa Amaro, Arthur Danila, do Laboratório de Terapêutica Experimental I, da FMUSP. Instituição envolvida: Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina do Brasil – IFMSA Brasil.
  • “Observatório da Pandemia”, projeto de pesquisa que reúne pesquisadores do Brasil (USP), Chile, Argentina e Espanha e tem como objetivo central construir um mapa da Pandemia do COVID-19, fundamentado na articulação Comunicação e Sociedade, a partir dos eixos:  1) Biologia: possibilidades e limites, 2) Publicidade e marcas no contexto do Covid-19,  3) Ódio social (agressões, violência, polarizações…), 4)  Cultura material do isolamento, 5) Comunicação governamental, 6) Implicações público x privado, 7) Estética da morte (ocultação e mostração) e 8) Os sentidos e significações do confinamento (violência contra mulher, contra crianças, aumento do alcoolismo, obesidade, consumo de apps de sexo, caos…). Os resultados servirão de fundamentação contextual e analítica para inúmeros outros projetos de pesquisa, decisões no âmbito da comunicação pública e privada, definição de estratégias estéticas no âmbito da Comunicação na interface com as Ciências Sociais, subsídio para conteúdos e matérias jornalísticas, fundamento para desenvolvimento de produtos e serviços entre outras aplicações e desdobramentos em docência e extensão. Coordenação: Profa. Maria Clotilde Perez, ECA.
  • “COVID-19 e o ruído urbano”. O objetivo é comparar as condições de ruído urbano antes, durante e depois de medidas de distanciamento social em área central da cidade de São Paulo, visando ao estudo dos efeitos da pandemia de COVID-19 na redução da poluição sonora. Responsáveis: Profas. Dras. Ranny L. Xavier Nascimento Michalski, Alessandra R. Prata Shimomura e Roberta Consentino Kronka Mülfarth (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – FAU USP).
  • Comunicadores no contexto de pandemia pelo covid-19. Os comunicadores – jornalistas, relações públicas, publicitários, educomunicadores, gestores e técnicos que organizam e tratam a informação – são profissionais que estão no olho do furacão, ajudando a sociedade a enfrentar a crise pandêmica. Responsável: Roseli Figaro, Escola de Comunicações e Artes.
  • Concentrações hospitalares e seu impacto sobre a cidade. Hospitais de campanha para auxiliar no sistema de saúde para combater ao COVID-19. Responsável: Prof. Jeferson Cristiano Tavares 
  • Pesquisa sobre novas formas de trabalho, entre eles, como o teletrabalho. O objetivo é identificar a satisfação com o teletrabalho e os impactos psicológicos para os indivíduos que estão se encontram neste regime de trabalho diante da Covid-19. Também está sendo realizada uma pesquisa com o objetivo de identificar os impactos psicológicos para em trabalhadores em geral diante da pandemia.  Responsáveis: Profas. Marina Greghi Sticca e  Thaís Zerbini (FFCLRP)
  • Estudo do fluxo de pessoas em ambiente de trabalho mitigando a fim de mitigar o risco de contaminação por doenças infectocontagiosas (Coronavírus). CILIP (Centro de Inovação em Logística e Infraestrutura Portuária), Escola Politécnica. Responsável: Daniel de Oliveira Mota.
  • Desenvolvimento de modelos de mobilidade para análise de deslocamento de pessoas e prevenção de aglomerações. O projeto tem como objetivo dimensionar as intervenções operacionais necessárias em estações e na frota de transporte público, visando minimizar o risco por contágio em aglomerações. Estas intervenções serão planejadas via simulação computacional de pedestres (em estações), da frota de ônibus em corredores e das linhas metroferroviárias. Responsável: Prof. Claudio Luiz Marte, Grupo de Mobilidade Inteligente – ligado ao PTR e ao PSI, Escola Politécnica, com a colaboração de CET, SPTrans e ANTP.
  • Desenvolvimento de Recomendação de combate ao CoronaVirus19; mapeamentos das Macro Zonas, Globais Impactadas pelo CoronaVirus19; impactos do CoronaVirus na Cidade de São Paulo; desenvolvimento de vídeo ilustrando o impacto do Covid19. Responsável: Prof. Carlos Arriagada, do IEA.
  • Avaliação da responsividade à epidemia de COVID-19 pelo setor odontológico incluindo instituições odontológicas acadêmicas, estudantes e clínicos em vários países. Estudo transversal baseado em questionário online a ser realizado em 25 países. Responsável: Mary Caroline Skelton-Macedo , Faculdade de Odontologia.
  • Estudo sobre a pesquisa científica mundial sobre COVID-19. O objetivo é mensurar o aumento da pesquisa na temática coronavírus, a distribuição geográfica e institucional de seus autores, assim como a importância do acesso aberto a suas publicações. Responsável: Prof. Dr. Rogério Mugnaini, Escola de Comunicação e Artes.
  • Investigação de como a pandemia do Covid19 está afetando questões de saneamento e governança ambiental na macrometrópole, fornecendo subsídios científicos aos gestores públicos e à população em geral. Além de contribuir para a contenção do COVID19 nas cidades brasileiras, a pesquisa visa a favorecer a construção de uma sociedade mais sustentável pós-pandemia. Responsáveis: Programa USP Cidades Globais/IEA-USP, coordenado pelo Prof. Dr. Marcos Buckeridge, Projeto Temático FAPESP (2015/038049) “Governança Ambiental na Macrometrópole Paulista face às variabilidades climáticas” (IEE-USP/UFABC), coordenado pelo Prof. Dr. Pedro Jacobi (IEE).
  • Elaboração de documento intitulado “Orientações gerais para mitigar propagação da Covid-19 (Sars-CoV-2) entre trabalhadores de abatedouros”, atendendo à demanda do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Coordenação dos Profs. José Soares Ferreira Neto, Evelise Oliveira Telles e Paulo Brandão,  todos da FMVZ.
  • Estudo dos efeitos da pandemia de COVID-19 no estilo de vida, em indicadores de saúde, nas atividades de lazer, nas relações sociais e no nível socioeconômico de famílias residentes em diferentes regiões do município de São Paulo. Responsável: Prof. Dr. Alex Antonio Florindo, EACH
  • Pesquisa na área de produção de têxteis visando à geração de renda para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Como forma de apoio às ações de combate ao novo coronavírus estamos preparando vídeos de divulgação de como fabricar máscaras de proteção facial e abordando as vantagens e desvantagens das máscaras feitas em casa. Responsáveis: Profa. Dra Isabel Cristina Italiano e Prof. Dr. Luciano Vieira de Araújo, EACH.
  • Descrição das características e tendências da abordagem da mídia esportiva e dos atletas frente à interrupção de suas atividades pelo COVID (treinos, jogos, campeonatos, jogos olímpicos e paraolímpicos) com base em discursos destes atletas brasileiros. Responsável: Prof. Dr. Marco Antonio Bettine de Almeida, EACH.
  • O grupo de Pesquisas SmartCitiesBr tem trabalhado ativamente junto ao Senado Federal, revisando projetos de Emenda à Constituição, Decretos Legislativos e Leis Ordinárias e Complementares,  que têm sido discutidos e aprovados no Parlamento, em condição de urgência, a fim de regulamentar o Estado de Calamidade. Além disso, o grupo vem acompanhando, compilando e analisando o conjunto de normas que regulamenta parcialmente e, em regime de urgência,  a inovação e o teletrabalho no Brasil. Estão sendo produzidas videoaulas na área de Direito Constitucional e Transformação Digital em relação ao COVID-19, com livre acesso, via Youtube. Responsáveis: Profa. Dra. Ana Carla Bliacheriene Prof. Dr. Luciano Vieira de Araújo, EACH.
  • Ações do Grupo “Água, Saneamento e Sustentabilidade” – GEPASS, em relação à Pandemia Covid-19 é o desenvolvimento de projeto em que irá utilizar testes rápidos de detecção do SARS Cov-2 (Novo Coronavírus) em amostras de água potável na cidade de São Paulo, em estações de tratamento de água para abastecimento humano e em estações de tratamento de esgotos. O objetivo é que se possa avaliar a presença ou ausência de material genético do vírus nos diferentes compartimentos e auxiliar na modelagem matemática e tomada de decisões além de obter amostragem de esgotos de diferentes regiões e bairros de São Paulo e RMSP, a fim de relacionar com dados socioambientais e buscar entender a relação da doença com indicadores sociais, econômicos e ambientais. Responsável: Prof. Dr. Marcelo Antunes Nolasco, EACH.
  • Projeto de Pesquisa “Estratégias de segurança no trabalho utilizadas por profissionais de saúde no cuidado a pacientes com  COVID 19 “. Equipe: Maria Helena Palucci Marziale (EERP-USP), Gracielle Pereira Aires (EERP-USP), Heloiza Enkhe (EERP-USP), Isabela Lários (EERP-USP), Julia Mafra (EERP-USP), Dnieber Assis (UFU), Camila Cenzi (UFMT), Renata Perfeito (UEL), Virginia Ramos (UFBA).
  • Projeto de pesquisa intitulado “Entre a formação e o trabalho: discursos oficiais e corporativos sobre a participação de estudantes da área da saúde no enfrentamento à pandemia de COVID-19”. Tem como objetivo compreender, por meio de uma etnografia em documentos, os elementos constitutivos dos discursos oficiais e corporativos relativos à participação de estudantes da área da saúde no enfrentamento da pandemia de COVID-19 a partir de uma perspectiva socioantropológica. Equipe: Pesquisadores do Laboratório de Pesquisas Sociais em Saúde e Enfermagem – LASSEn/EERP/USP em parceria com pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade de Coimbra (Portugal), Universidade Federal do Mato Grosso e da Sigmund Freud University (Áustria).
  • Projeto de pesquisa “Pandemia covid-19 nas escolas paulistas de educação básica: parceria entre saúde e educação e suas implicações”, com o objetivo de analisar ações e percepções sobre a pandemia covid-19 no âmbito da Educação Básica no Sistema de Ensino Estadual de Estado de São Paulo e sua relação com o setor Saúde. Grupo de pesquisa SEBAHC Saúde na Educação Básica e Abordagem Histórico-Cultural. Equipe: Profa. Marlene F.C. Gonçalves, Profa. Luciane Sá de Andrade e Profa. Marta Angélica Iossi Silva, da EERP.
  • Protetor facial modelo FAU USP COVID-19 foi desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa Design em Ação, da FAU USP em colaboração com o Inova USP. Com o objetivo de atender rapidamente a demanda por protetores faciais no início da pandemia, foi desenvolvido modelo com montagem simples a partir de peças disponíveis no mercado. Testado e aprovado pela equipe do HC. Roteiro de montagem disponível no website www.dea.fau.usp.br/downloads permite produção sob demanda. Essa ação enfatiza o potencial do design como multiplicador de soluções criativas e o compartilhamento de conhecimentos gerados na Universidade. Responsável: Profa. Dra. Cristiane Aun Bertoldi. Equipe: Profa. Dra. Denise Dantas, Prof. Dr. Marcelo Oliveira, Profa. Dra. Sara Goldchmit.

 

  • Avaliação rápida de eficácia de inativação do vírus SARS-CoV-2 nos equipamentos de proteção individual dos profissionais de saúde. Testar a efetividade protetora de máscaras descartáveis de proteção respiratória com o material denominado PHTALOX®, particularmente na sua eficácia como agente virucida, conferindo proteção adicional e visando minimizar as possibilidades de contaminação locais e comunitárias pelo vírus SARS-CoV-2. Responsável: Khallil Taverna Chaim, FM. Equipe: Prof. Dr. Koiti Araki (IQ-USP), Prof. Dr. Edison Luiz Durigon (ICB2-USP), Prof. Dra. Silvia Figueiredo Costa (IMT-USP), Prof. Dra. Anna Sara Shafferman Levin (IMT-USP), Prof. Dra. Ana Catharina S S Nastri (ICHC-USP), Prof. Dr. Marcelo Britto Passos Amato (FM-USP), Dra. Maria Otaduy (INRAD-HCFMUSP), Dr. Sérgio Hiroshi Toma (IQ-USP), Enf. Adriana B. Rodrigues Bueno (INRAD-HCFMUSP).
  • Juntos somos mais fortes! Partindo da premissa de que o respirador PFF2/N95 é um EPI descartável, ele só poderia ser reutilizado em situações em que reutilizar é melhor que nada. Entretanto, atualmente não há publicações com evidências científicas de que algum método de desinfecção seja efetivamente seguro. Portanto, pesquisas urgentes devem ser incentivadas sobre essas máscaras, tais como: a duração da capacidade filtrante, medidas para prolongar sua vida útil e a possível criação de um material que possa ser reutilizável, minimizando custos e visando a sustentabilidade. Desenvolver este protótipo é o nosso principal objetivo. Após prototipagem e aprovação do produto, a tecnologia para confecção das máscaras, com possibilidade de reutilização, poderá ser transferida gratuitamente e protagonizada por outras instituições de saúde. Organizações que muitas vezes trabalham em situações com poucos recursos tecnológicos poderão se beneficiar de um equipamento de fácil acesso, baixo custo, e com maior poder de proteção. Pretendemos, portanto, que esta iniciativa contribua para diminuir desigualdades e propicie desenvolvimento socioeconômico. Coordenação: Profa.Dra.Maria José Carmona (CITIC_InovaHC/FMUSP), Dra. Gabriela Ribeiro-dos-Santos (CITIC_InovaHC), Profa. Dra.Kelly Cristina Stéfani (CITIC_InovaHC), Prof.Arturo Forner Cordero (PoliUSP), Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e Fundacentro.
  • Produção de equipamentos de proteção individual para hospitais da cidade de São Carlos. Participação de docente e alunos do IAU na ação dos grupos de pesquisa no campus de São Carlos. Coordenação: Profa. Zilda de Castro Silveira, da EESC.  Equipe: Prof. David Sperling, discentes Rodrigo Scheeren, Heliara Aparecida Costa e Gabriela Henriques Camelo.
  • COMVC-19-Brasil. O Equipamento de Proteção Individual (EPI) de Saúde Mental do Profissional de Saúde. A Pandemia do SARS-COV2 é um evento inédito e que trará repercussões profundas em nossa sociedade. Um dos setores que será mais atingido é a área da Saúde e Medicina, considerando não apenas aqueles que diretamente adoecem, mas também os profissionais de saúde envolvidos na linha de frente do combate ao novo coronavírus e que eventualmente serão contaminados por ele. Neste sentido, desde o dia 1 de abril de 2020, inauguramos um programa para os profissionais de saúde do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP com ações de promoção de saúde, prevenção e tratamento das reações ao estresse e transtornos mentais. Trata-se do COMVC-19, baseado no tripé de assistência, ensino e pesquisa que caracteriza a excelência de nossa instituição. O COMVC-19 irá monitorar a saúde mental dos 20 mil colaboradores do complexo HC-FMUSP, bem como fatores de risco e de proteção, periódica e ativamente, por meio de uma plataforma online. Esta proposta visa ampliar o COMVC-19 para o resto do país, por meio de um aplicativo especialmente desenvolvido para profissionais de Saúde e uma hotline (atendimento telefônico 12 hs por dia 7 dias por semana) para os profissionais de saúde da rede pública das cidades de Belo Horizonte e São Paulo que estão na linha de frente do cuidado de pessoas com COVID- 19 e que podem ter maior dificuldade de acesso a um profissional de Saúde Mental. Além disso, um componente importante do Programa visa o seu escalonamento e replicação em outras regiões do país. Para isso daremos consultaria para a criação, implementação e execução de Programas COMVC-19 em outras Instituições de Saúde do Brasil. Euripedes Constantino Miguel Filho. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Agosto 2020
  • EPISaúde – Plataforma virtual para profissionais de saúde sobre o uso correto de EPIs (equipamentos de proteção individual). Coordenação: Ana Marcia de Sá Guimarães, Instituto de Ciências Biomédicas.
  • Respire! 1 milhão de máscara para os profissionais de saúde! Ampliar a oferta de máscaras de proteção seguras, utilizando tecnologia alternativa; gerar renda para profissionais, oficinas de costura e cadeia de suprimentos; suprir as necessidades dos hospitais vinculados à USP; aumentar o nível de informação sobre o uso de máscaras; desenvolver dois modelos de máscaras seguras que possam ser produzidas em oficinas de costura e usando materiais alternativos: Cirúrgicas e N95/PFF2. Coordenação: Prof. Vanderlei John, PoliUSP/IRIS e Profa. Linamara Rizzo Battistella, Faculdade de Medicina/IRIS. Parcerias: InovaUSP, PoliUSP, INOVAHC, Tecido Social, FUSP, Instituto de Medicina Física e Reabilitação, Instituto de Física, Interdisciplinary Research for Innovative Solutions (IRIS).
  • Máscara EPI de alto desempenho para uso de médicos intensivistas. Responsável: Prof. Ruy Marcelo de Oliveira Pauletti. Colaboradores: Bernardo (Poli-Naval), Francisco Tadeu Degasperi (FATEC), Marcio Sartorelli (PPGEC-EPUSP); Isabel Moreira Oliveira (PPGEC/EPUSP), Rafael Pauletti (médico, consultor externo). GISE (EPUSP/PEF), Escola Politécnica.
  • UTIs Móveis baseadas em contêineres. Responsável: Prof. Ruy Marcelo de Oliveira Pauletti, da Escola Politécnica. Colaboradores: Prof. Bernardo (EP) e diversos consultores externos.
  • Produção de faceshields e tiaras para profissionais de saúde. Responsável: Eduardo Lorenzetti Pellini, L.PROT – LGRID – LSO – LEB, Escola Politécnica. Colaboradores: Alain Nascimento Guimarães, Luiz Fernando L. Pellini, Alan Lira – Alan Souza, Caio Pinho e João Paulo Pacheco Pereira. 
  • Produção emergencial de shields. Responsável: Prof. Eduardo Zancul, INOVALAB@POLI e Fábrica do Futuro, Escola Politécnica.
  • Aplicação de prata coloidal na esterilização do ambiente hospitalar (mãos, máscaras, etc). Responsável: Carlos Eduardo Cugnasca, LAA/PCS, Escola Politécnica, Colaboradores: Carlos Eduardo Cugnasca (EPUSP), Antonio Marcos de Aguirra Massola (EPUSP), José Pinhata Otoch (FM, HU-USP), Jonny Ros – Empresa Khemia.
  • Criação de robô entregador de exames laboratoriais e medicamentos. Responsável: Prof. Leopoldo Rideki Yoshioka, Grupo de mobilidade inteligente PSI/PMR/LMAG/HU e Escola Politécnica
  • Pesquisa para o desenvolvimento de um antisséptico para superfícies e ambientes. Responsáveis: Prof. Walter Maigon Pontuschka,  (IFUSP) e Jonny Francisco Ros de Almeida, da Khemia/ADP, CIETEC -USP. Colaboração de várias unidades, tais como FCF, ICB, HU.
  • Criação de protetor antiviral LLPS para têxteis hospitalares. Projeto para desenvolvimento de um spray de coquetel enzimático a ser aplicado nas estruturas têxteis hospitalares, como os tecidos planos, malhas e não tecidos que compõem o vestuário dos médicos e enfermeiros, além dos lençóis das camas, fronhas e cobertores. O spray será produzido a partir de microcápsulas contendo o coquetel enzimático. Equipe: Profa. Silgia Aparecida da Costa (EACH), Profa. Sirlene Maria da Costa (EACH). Annie Alexandra Cerón Sánchez ( EACH). Profa.  Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado (FOB), Prof. Rodrigo Cardoso de Oliveira (FOB), Prof. Dr. Natalino Lourenço Neto (FOB), Profa. Thais Marchini de Oliveira (FOB), Prof. Dr. Nivaldo Alonso (FM), Prof. Dr. Cristiano Tonello (FM) – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais – HRAC)
  • Projeto de pesquisa para produção de têxteis funcionalizados com CuO (óxido de cobre), o qual será incorporado em tecidos e não tecidos visando ação bactericida e antiviral. Equipe: Profa. Silgia Aparecida da Costa (EACH/USP), Profa. Sirlene Maria da Costa (EACH/USP), Annie Alexandra Cerón Sánchez (EACH/USP), Profa. Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado (FOB/USP), Prof.  Rodrigo Cardoso de Oliveira (FOB/USP), Profa. Monica Marcela Gomez Leon (UNI, Peru), Prof. Jose Solis (UNI, Peru).
  • Testes de eficiência de máscaras e tecidos para confecção de equipamentos de proteção individual (EPI) realizado pelo  Laboratório de Física Atmosférica do Departamento de Física. Responsáveis:  Profs. Henrique de Melo Jorge Barbosa e Paulo Eduardo Artaxo Netto, do IF com colaboração da Faculdade de Medicina.
  • Composto Antimicrobiano Com Vanadato De Prata Nanoestruturado Decorado Com Nanopartículas De Prata Para Controle De Mycoplasma, Bactérias e Vírus De Difícil Controle Com Antibióticos Convencionais. Objetivo de avaliar in vitro a ação antimicrobiana de um gel inerte incorporado com β-AgVO 3 em microrganismos da classe Mollicutes, bactérias e vírus, especificamente contra o novo coronavírus SARS-CoV-2. Responsável: Andrea Candido dos Reis da FORP.
  • Produção de equipamentos com radiação ultravioleta (UVC) para a descontaminação de superfícies. Os equipamentos usam luz UV-C para inativar o vírus SARS-COv2 em superfícies de móveis, piso e paredes, visando a diminuição do contágio da COVID-19. Estes equipamentos foram disponibilizados à Santa Casa da Misericórdia de São Carlos (SP), hospitais e ambulatórios USP. Desenvolvidos no Laboratório de Biofotônica do Grupo de Óptica do Instituto de Física de São Carlos. Responsável: Prof. Vanderlei Bagnato.
  • Estudo da inativação microbiana com ozônio em máscaras, para reciclagem. Avaliação da inativação microbiana induzida por UVC em máscaras de proteção individual, com o objetivo de validar o método para o material de EPI. Responsáveis: Prof. Vanderlei Bagnato e Dra. Thaila Quatrini, do IFSC.
  • Impressão de suportes para viseiras para profissional da saúde. O Laboratório de Biologia Estrutural está imprimindo suportes para viseiras (face shields) em impressora 3D para os profissionais de saúde da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, parte de uma iniciativa conduzida por pesquisadores do NUMA (Núcleo de Manufatura Avançada – da  EESC).
  • Public Sector Accounting & Governance coordena diferentes projetos: 1) Licitações públicas e transparência fiscal e de doações em períodos de calamidade COVID-19 2) Auditoria e controle na COVID-19: limites fiscais, licitações e doações 3) Surgimento espontâneo de co-produção em comunidades em apoio às medidas de isolamento social no contexto do COVID-19 4) Comunicação oficial de ação pública na pandemia COVID-19 (número de infectados, ações e capacidade instalada) em formas de relatório simplificado 5) Digitalização da administração pública como consequência e solução para COVID-19: teletrabalho em atividades de back-office e automatização de processos. 6) Ação governamental pelo relaxamento de regras fiscais: uso sustentável nas medidas para COVID-19 e suas consequências. Responsável: André Carlos Busanelli de Aquino e outros 15 membros associados ao grupo. Website: https://sites.usp.br/psag/

 

  • Desenvolvimento de um modelo de machine learning para diagnosticar a probabilidade de um indivíduo estar infectado com o Covid-19 a partir de uma chapa de raio-X dos pulmões. Coordenação do Prof. Jose Afonso Mazzon (FEA).

 

  • Análise da curva de disseminação da COVID-19 e estimar em que data deverá ocorrer o pico de infecção/mortes. Coordenação  Prof.  Junior Barrera (IME/USP) e integrado por pesquisadores da FM, FMRP, FSP, FEA, IME e FEA.

 

  • Construção de um modelo da disseminação espacial da COVID-19 pelos municípios brasileiros; Coordenação  Prof.  Junior Barrera (IME/USP) e integrado por pesquisadores da FM, FMRP, FSP, FEA, IME e FEA.

 

  • Avaliação dos impactos econômicos da COVID-19 no Estado de São Paulo. Coordenação  Prof.  Junior Barrera (IME/USP) e integrado por pesquisadores da FM, FMRP, FSP, FEA, IME e FEA.

 

  • Estimativa dos impactos econômicos da paralisação de atividades, tanto vertical quanto horizontal, usando técnicas de Matriz de Insumo-Produto.  Realização grupo NEREUS – Núcleo de Economia Regional e Urbana da FEA.  Coordenação Prof. Eduardo Haddad, da FEA.

 

  • Atendendo à  demanda da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, grupo de pesquisadores do Nereus (Núcleo de Economia Regional e Urbana da FEA) está prestando auxílio ao governo na elaboração de estudos para avaliação dos impactos econômicos no Brasil, no Estado e em suas regiões das medidas de controle adotadas para mitigação dos efeitos do COVID-19. Coordenação Prof. Eduardo Haddad, da FEA.

 

  • Atendendo à demanda do Secretário de Turismo, grupo de pesquisadores do Nereus (Núcleo de Economia Regional e Urbana da FEA) está estudando os impactos econômicos do COVID-19 sobre a cadeia de valor do setor no Estado de São Paulo. Coordenação Prof. Eduardo Haddad, da FEA. 

 

  • Atendendo à demanda do MCTIC de estudo para verificar a possibilidade de uma ação conjunta por parte de dois grupos de pesquisa da Rede CLIMA (RC) – Economia, coordenado pelo Prof. Carlos Roberto Azzoni, e Saúde – no sentido do desenvolvimento de um modelo acoplado Saúde-Economia para avaliação dos efeitos da pandemia no Brasil.  Coordenação Prof. Eduardo Haddad da FEA.

 

  • Estudo do grupo de pesquisadores do Nereus (Núcleo de Economia Regional e Urbana da FEA) em conjunto com o Banco de la República da Colômbia para avaliação dos impactos regionais do COVID-19 naquele país, por meio de uma parceria entre o grupo e o Banco de la República. Coordenação Prof. Eduardo Haddad, da FEA.  

 

  • Análise dos padrões espaciais da contaminação, usando técnicas de Econometria Espacial. Realização grupo NEREUS – Núcleo de Economia Regional e Urbana da FEA. Coordenação Prof. Carlos Roberto Azzoni, da FEA.

 

  • Resiliência Financeira das Cidades Contemporâneas, do IEA. Estudo da resiliência orçamentária, medidas emergenciais e de contenção da COVID-19 em regiões metropolitanas; resiliência de comunidades fragilizadas na COVID-19: efetividade e consequências do isolamento social e das políticas de proteção do governo federal; resiliência de serviços essenciais em tempos de crise e impactos orçamentários. Responsável: André Aquino Faculdade de Economia e Administração de Ribeirão Preto. Colaboradores: Ana Carla Bliacheriene (EACH), Ricardo Lopes Cardoso (FGV-RJ), André Feliciano Lino (UFPA), Lidiane Dias (UFPA), Ricardo Rocha de Azevedo (UFU), Diana Vaz de Lima (Unb), Carla Velloso (UFAM) e Vitor Hugo Klein Junior (UFSC).

 

  • Análise do espalhamento da epidemia no interior do país, por meio de dados de GPS de celular de uma empresa privada (InLoco),  que colabora com a pesquisa. Com base nesses dados são identificados os padrões de movimentos das pessoas e estima-se para onde há mais probabilidade da epidemia se propagar. Responsável: Prof. Dr. Pedro da Silva Peixoto (IME).

 

  • Projeto para apoio ao combate ao Covid-19 nas áreas de Ciência de Dados e Gestão Sistêmica, como foco na produção de alimentos seguros, ecologia e gestão de negócios. Responsável:  Prof. Gabriel Adrian Sarriés. Colaboração: Jorge Alexandre Wiendl, ambos da ESALQ. 
  • Qualidade do Ar de COVID-19: O ar mais limpo em megacidades está contribuindo para salvar vidas e reduzir efeitos à saúde? Coordenação: Patrick Connerton (FSP/USP), João Vicente de Assunção (FSP/USP), Regina Maura de Miranda (EACH/USP), Anne Dorothée Slovic (FSP/USP), Pedro José Pérez Martínez (UNICAMP), Helena Ribeiro (FSP/USP).

 

  • Projeto para amostragem de material particulado fino (MP2.5), black carbon e propriedades ópticas das partículas  na Zona Leste. Será realizada análise química para avaliar a influência do período de quarentena na composição química do aerossol, bem como alteração nas propriedades ópticas como coeficiente de espalhamento e profundidade óptica. Coordenação: Regina Maura de Miranda. O Projeto é desenvolvido com a colaboração dos Professores Marcia Akemi do IAG/USP e Nilton Évora da UNIFESP Diadema.
  • Interferência da poluição na ação do Novo Coronavírus. Pretende-se entender como a poluição mais fina em São Paulo (material particulado) afeta a entrada do vírus SARS-Cov-2 em células humanas. Material particulado (PM2,5), oriundo da poluição na cidade de São Paulo foi coletado e está sendo preparado para uma série de ensaios com células humanas. A sequência de experimentos será: 1) avaliar a viabilidade celular na presença de poluentes (incluindo alteração de expressão gênica), 2) avaliar o efeito de poluentes na viabilidade viral, 3) medir o efeito de poluentes na infecção viral, por infecção de células pré-expostas a poluentes. Estão envolvidos o Instituto de Astronomia e Geofísica, Instituto de Biociências, Instituto de Ciências Biomédicas, Instituto de Física. Responsável:  Prof. Marcos Buckeridge.
  • O GEQAt, Grupo de Estudos em Química Atmosférica do Instituto de Química, está realizando amostragens de material particulado atmosférico, para estudar a qualidade do ar, durante o período de quarentena. Serão determinados poluentes orgânicos e inorgânicos e as concentrações serão comparadas com outros períodos. Estão envolvidos na pesquisa, a Prof. Pérola de Castro Vasconcellos e os seus alunos de pesquisa e pós-doutorando: Yendry Jomolca, Guilherme M. Pereira, Sofia E. Caumo, Mayara Faria, Aleinnys Barredo e Emerson Queiroz.
  • Pesquisa do impacto da qualidade do ar em termos de poluentes atmosféricos na região metropolitana de São Paulo em decorrência do período de quarentena. Coordenadores: Maria de Fatima Andrade, Edmilson Dias de Freitas e Adalgiza Fornaro (todos professores do IAG). Resultados têm sido divulgados constantemente em diferentes mídias.
  • Comportamento da camada limite urbana da região metropolitana de São Paulo, para subsidiar os Estudos de contaminação ambiental da COVID-19, ou seja, a influência das condições ambientais no comportamento do vírus. (Projeto MCITY-Brazil). Coordenação do Prof. Amauri Pereira de Oliveira, do IAG.
  • Análise dos efeitos da quarentena sobre a qualidade do ar na região metropolitana de São Paulo, usando técnicas de Aprendizado de Máquina. Departamento de Engenharia Química (Centro de Engenharia de Sistemas Químicos), dentro do convênio com a CETESB. Responsáveis: Responsáveis: Profs. Roberto Guardani e Leonardo Yuiti Ono, Escola Politécnica.
  • Estimativa de parâmetros epidemiológicos, modelagem matemática e documentação da vivência da pandemia de COVID-19 em periferias: o caso do Jardim São Remo no município de São Paulo. O projeto, estruturado em 3 frentes, tem como objetivos: 1) estimar o número reprodutivo efetivo e identificação de fatores de risco do COVID-19 mediante um inquérito probabilístico de base populacional; 2) modelar matematicamente a dinâmica de transmissão e 3) caracterizar a vivência da pandemia mediante registros audiovisuais sistematicamente coletados por moradores. Responsável: Oswaldo Santos Baquero (FMVZ e IEA-USP).

 

  • Acessibilidade de tecnologia digital educacional sobre atenção à Saúde Neonatal na prevenção da COVID-19. Pesquisa quase-experimento e de aplicação para desenvolvimento e avaliação do impacto de tecnologia digital educacional sobre atenção à Saúde Neonatal na prevenção da COVID-19 junto à familiares com deficiência auditiva (libras) e visual (tela especial). Responsável: Profa. Luciana Mara Monti Fonseca.

 

  • Controle e monitoramento de mães e recém-nascidos suspeitos/confirmados para COVID-19. Trata-se de um estudo epidemiológico que será realizado por meio da análise de dados secundários de recém-nascidos e mães classificados como caso suspeito ou confirmado por COVID-19 nos sistemas de informação eSUS-VE e SIVEP-Gripe, residentes no Ceará, Rio de Janeiro e Ribeirão Preto/São Paulo nos anos de 2020 e 2021. Coordenador: Maria Vera Lúcia Leitão Cardoso, UFC. Participantes: Luciana Mara Monti Fonseca, EERP-USP, Elisa da Conceição Rodrigues, UFRJ , Marialda Moreira Christoffel, UFRJ.

 

  • Impacto dos protocolos para controle da COVID-19 na instituição do aleitamento materno em população atendida em hospitais brasileiros: projeto BRACOVID – Breastfeeding Brazil COVID. Estudo descritivo prospectivo, nos meses de maio a agosto de 2020 que busca avaliar os níveis de ansiedade, desesperança, a efetividade do aleitamento materno, a viabilidade da execução dos protocolos em domicílio e os índices de aleitamento materno exclusivos, nas mães submetidas as normas dos protocolos de controle da COVID-19, na ocasião do nascimento dos seus neonatos em diferentes instituições pelo Brasil. Coordenadora: Walusa Assad Gonçalves Ferri, FMRP-USP. Participantes: Luciana Mara Monti Fonseca e Edilaine C. Silva Gherardi Donato da EERP-USP,  Fábia Martins Pereira Celini e Marisa Mussi da FMRP-USP.

 

  • Saúde na tela e pandemia da COVID-19: avaliação da efetividade da telessaúde no processo do cuidado aos pacientes em isolamento domiciliar. Pesquisa de aplicação para elaborar vídeos educativos para promoção do cuidado aos pacientes com COVID-19 em tratamento domiciliar, quanto a diferentes procedimentos, como práticas de higienização e lavagem das mãos; práticas de limpeza e desinfecção de materiais e equipamentos médico-hospitalares; orientação quanto ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), etc. Coordenadora: Ilana Mirian Almeida Felipe da Silva, CEUMA. Participantes: Luciana Mara Monti Fonseca, EERP-USP, Cyrene Piazera S. Costa, Angela Falcai e Daniela Bassi,  CEUMA, Paola Trindade e José Albuquerque da UFMA.

 

  • Avaliação dos efeitos do sistema renina angiotensina na síndrome do desconforto respiratório pulmonar agudo induzido pela COVID-19. Objetivo de avaliar o efeito do uso de inibidores da ECA em pacientes com diagnóstico positivo para SARS-COV-2, correlacionando com sua evolução clínica; e analisar o efeito agudo de inibidores da ECA e da ECA2 em camundongos submetidos à pneumonia através do modelo de administração sistêmica de Lipopolissacarídeo (LPS) após administração de bloqueadores da ECA2. Equipe: Evelin Capellari Cárnio, Cíntia Maria Rodrigues, Hadder Batista, Rafael Lino, Taís Pagliuco (EERP-USP). 

 

  • AGIR-COV-2020: Avaliação e gerenciamento dos riscos de contaminação de profissionais de saúde no contexto da COVID-19 em unidades de saúde brasileiras e seus possíveis desfechos. Objetivo geral: avaliar os riscos de exposição ocupacional e de contaminação de profissionais e estudantes da área saúde, inseridos no Programa Brasil Conta Comigo do Ministério da Saúde e que prestam cuidado aos pacientes portadores da COVID-19 em diferentes estados brasileiros, e analisar os possíveis seus desfechos com a finalidade de  subsidiar ações preventivas para a  gestão  do trabalho, em  unidades de saúde de todos níveis de atenção do  Sistema Único de Saúde, e diminuir o número de profissionais e estudantes  contaminados. Coordenadora: Maria Helena Palucci Marziale, EERP/USP.

 

  • Pesquisas sobre efeitos de impactos ambientais nas doenças zoonóticas, especialmente Covid-19. Investigação sobre efeitos das mudanças climáticas e ações antrópicas na biodiversidade e nos serviços ecossistêmicos e implicações na emergência e spillover de doenças virais zoonóticas, com enfoque em Covid-19 e SARS-Cov-2. Grupo de Estudos em Saúde Planetária (http://saudeplanetaria.iea.usp.br/pt/). Responsáveis: André Luis Acosta (CADDE, FSP-USP); Maria Anice Mureb Sallum (CADDE, FSP-USP), Ester Cerdeira Sabino (CADDE, FM-USP), Nuno Faria (CADDE, ZOO-OX) Antonio Mauro Saraiva (POLI-USP).
  • “Impacto da COVID-19 em Mulheres Grávidas e seus Filhos na Cidade de São Paulo”. Pretende-se no presente estudo responder aos seguintes questionamentos relacionados à infecção pelo SARS-CoV-2: 1. Qual é o risco de resultados adversos na gestação associado à infecção por SARS-CoV-2 durante a gestação? 2. Qual é o risco de resultado fetal e pós-natal adverso associado ao status de infecção por SARS-CoV-2 na gestação? 3. Quais são os riscos de transmissão materna, perinatal e pós-natal de SARS-CoV2-? 4. Qual é o estado de ansiedade materna decorrente da pandemia pelo COVID-19? Equipe: Rossana Pulcinelli Vieira Francisco, Maria de Lourdes Brizot, Gláucia Guerra Benute, Mariane de Fátima Yukie Maeda, Marco Aurélio Knippel Galletta, Jéssica Gorrão Lopes Albertini, Mara Sandra Hoshida, Stela Verzinhasse Peres, Maria Augusta Bento Cicaroni Gibelli, Werther Brunow de Carvalho, Paulo Hilário Nascimento Saldiva, Nathália Villa dos Santos, Esper Georges Kallás, Clarisse Martins Machado e Maria Cassia Jacintho Mendes Correa, da FMUSP; Philippe Mayaud MD, MSc, Professor of Infectious Diseases & Reproductive Health – Department of Clinical Research, Faculty of Infectious & Tropical Diseases – London School of Hygiene & Tropical Medicine; Thomas Jaenisch MD, PhD, Associate Professor, Department of Epidemiology, Colorado School of Public Health, Pediatric Infectious Diseases – Colorado School of Medicine.
  • Análises e comentários sobre a distribuição e disponibilidade de médicos e especialistas no Brasil para enfrentar a pandemia, e sobre o papel dos planos e seguros de saúde privados na readequação do sistema de saúde para enfrentamento da pandemia no Brasil. O  objetivo é contribuir com o debate público e os gestores de políticas, além de produzir notas técnicas, artigos e entrevistas nos meios de comunicação. Um pesquisador do grupo foi liberado para integrar equipe técnica nacional sobre a pandemia do coronavírus, a pedido do Ministério da Saúde. Responsável: Prof. Mário Scheffer, do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP. A equipe é composta pelos membros do Grupo de Estudos de Demografia Médica (8 pesquisadores e pós-graduandos) e do Grupo de Estudos sobre Planos de Saúde (7 pesquisadores e pós-graduandos).
  • Pesquisa epidemiológica COVID-19 em doenças inflamatórias intestinais (DII), adultos e crianças, na qual serão incluídos inclusive os positivos assintomáticos (não viável no Brasil), com o objetivo de monitorizar e relatar desfechos que ocorrem nesses pacientes que usam imunossupressores e imunobiológicos como tratamento da DII. Responsável: Profa. Jane Oba, da FMUSP, com a colaboração de médicos do mundo todo que tratam DII. Outras instituições envolvidas: Sociedades ECCO, Naspghan, Crohn Colitis Foundation, IOIBD.
  • Identificação de padrões respiratórios em pacientes com a COVID-19. Responsável: Profa. Soraia Katia Pereira Costa, Instituto de Ciências Biomédicas.
  • Mapeamento e análise das normas jurídicas de enfrentamento da COVID-19 no Brasil: Caracterização, cartografia e potenciais impactos sobre os direitos fundamentais. Coordenação: Profa. Dra. Deisy de Freitas Lima Ventura, Departamento de Saúde Ambiental e Prof. Dr. Fernando Mussa Abujamra Aith, Departamento de Política, Gestão e Saúde, FSP.
  • Há um papel para a Vitamina D na gestão da COVID 19 no Brasil? Coordenação: Profa. Dra. Helena Ribeiro – Departamento de Saúde Ambiental da FSP-USP, Keila Valente Santana, Department of Environmental Health, School of Public Health, University of São Paulo; Sofia Oliver, Department of Environmental Health, School of Public Health, University of São Paulo,Patricia Helen Rondó, Department of Nutrition, School of Public Health, University of São Paulo; Marcela Mendes, Department of Nutrition, University of Surrey, UK; Karen Charlton, University of Wollongong, Australia, Susan Lanham-New, Department of Nutrition, University of Surrey, UK.
  • Estudo populacional para avaliar a adesão às medidas de saúde pública e seu impacto na pandemia de COVID-19, Brasil”. Coordenação: Profa. Dra. Ana Paula Sayuri Sato – Departamento de Epidemiologia da FSP/USP e Profa Edlaine Faria de Moura Villela da Escola de Medicina de Jataí da Universidade Federal de Goiás (mestre e doutora pelo do PPGSP).
  • USP e BP-A Beneficência Portuguesa de São Paulo: parceria científica para uso de Inteligência Artificial durante a pandemia de COVID-19. Coordenação: Prof. Dr. Alexandre Dias Porto Chiavegatto Filho – Professor Livre Docente do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP, Gabriel Dalla Costa – Médico e Gerente Executivo de Inovação Médica da BP.
  • Evidencia do mundo real para identificação e tratamento dos pacientes com COVID-19 no Brasil. Coordenação: Prof. Dr. Fredi Alexander Diaz Quijano – Docente do Departamento de Epidemiologia Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP e Prof. Dr. Alexandre Dias Chiavegatto Filho – Docente do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP.
  • Comportamentos e doenças e a pandemia de COVID-19 em adultos e idosos brasileiros: um estudo longitudinal. Dr. Alex Antonio Florindo.     Grupo de Estudos e Pesquisas Epidemiológicas em Atividade Física e Saúde da Universidade de São Paulo (GEPAF-USP), EACH.
  • Comportamentos de atividade física e estado nutricional antes, durante e após a pandemia de COVID-19 em adultos e idosos residentes em São Paulo: um estudo longitudinal. Prof. Alex Antonio Florindo. GEPAF – Grupo de Estudos e Pesquisas Epidemiológicas em Atividade Física e Saúde da Universidade de São Paulo, EACH.
  • O Grupo de Pesquisa em Fisiologia Aplicada & Nutrição trabalha em duas frentes durante a crise: 1) pesquisa: produção de artigos de revisão sobre o potencial impacto do isolamento provocada pela pandemia sobre a inatividade física e suas repercussões sobre a saúde de populações clínicas; elaboração de projeto para investigar o tema citado, a ser submetido à FAPESP; continuidade de ensaios clínicos de longa duração e grande investimento; e 2) divulgação científica: elaboração de cartilhas, textos e vídeos sobre promoção de estilo de vida saudável (alimentação, atividade física etc.), divulgados no canal Ciência inForma, de autoria dos coordenadores do Grupo de Fisiologia, e na mídia em geral, incluindo o Jornal da USP. O objetivo é aumentar o conhecimento de qualidade sobre o impacto da Covid-19 na saúde das populações, com ênfase nos comportamentos associados à alimentação e à atividade física. Além disso, estabelecer um canal de comunicação científica entre a Universidade e à sociedade durante a crise. Coordenadores: Profs. Bruno Gualano, Hamilton Roschel e Guilherme Artioli, da FMUSP. Equipe: 75 alunos e pós-doutorandos. Outras instituições envolvidas: Baker Institute, Bath University, University of Liverpool e Pennington University, na produção de artigos de revisão.
  • Impacto da epidemia e do isolamento social na saúde física e mental dos idosos. Para entender como a COVID-19 e as medidas de isolamento social afetaram a saúde física e mental de idosos, acrescentou-se a uma entrevista de seguimento de um ensaio clínico para depressão perguntas sobre o impacto  da epidemia na saúde mental e física dos participantes do estudo. Equipe: Marcia Scazufca, Carina Akemi Nakamura e Ehidee La Rotta, da FM, com a colaboração da King’s College London.
  • “Análise computacional de transmissão viral aérea em ambientes fechados: estratégias operacionais para elevadores”. Definição de estratégias de fácil implementação para reduzir as possibilidades de transmissão da COVID-19 em elevadores residenciais, comerciais e hospitalares. Análises de diferentes cenários e parâmetros serão conduzidas com o uso da dinâmica dos fluidos computacional. Coordenadores – Prof. Fernando Luiz Sacomano Filho e Prof. Guenther Carlos Krieger Filho; Participantes – Maurício Silva Ferreira; André Gustavo Soares Brasil Sampaio Costa; Filipi Martins Fernandes Silva; Helio Henrique Santomo Villanueva. Departamento de Engenharia Mecânica da EPUSP.
  • ACE2 diversity in placental mammals reveals  the evolutionary strategy of SARS-Cov-2. O SARS-CoV-2 é altamente “generalista” em relação à sua capacidade de infectar seres humanos, qualquer indivíduo de qualquer população, pelo menos considerando sua porta de entrada para a célula, a proteína ACE2. Por outro lado, não é um coronavírus do tipo “generalista” com capacidade de infectar, natural e facilmente, uma variedade de outras espécies, incluindo animais de estimação. Pedro Vargas-Pinilla, pós-doutorando no Laboratório de Estrutura e Função de receptores de 7TMR, no Departamento de Bioquímica e Imunologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, em colaboração com UFRGS e a Universidade de Lausanne, Suíça.
  • Avaliação de redes de interação relacionadas ao ACE2 e RNAs não codificantes no contexto de insuficiência cardíaca em pacientes com COVID19. Responsável: Dra. Zofia Wicik (FMUSP). Projeto internacional, incluindo Medical University of Warsaw e Medical University of Vienna.
  • “O Brincar na Quarentena”. O objetivo do estudo é mapear em diversas camadas sociais, as produções infantis em relação aos seus brincares nos espaços disponíveis atualmente, antes e depois do isolamento. O Brincar é tratado como uma expressão genuína da infância, revelador de elementos estruturantes para o seu desenvolvimento. Por meio dele, crianças da primeira e segunda infância manifestam suas angústias, medos, desejos e potências. Coordenação: Profa. Dra. Soraia Chung Saura em conjunto com mais 08 pesquisadores, em parceria com o Projeto Território do Brincar. Escola de Educação Física e Esporte.
  • Projetos de Pesquisa e Extensão diretamente vinculados a pandemia e ao isolamento e as condições da população em geral neste momento. São 4 questionários que vem sendo respondidos pela população geral. Sentimentos E Atitudes De Homens No Isolamento Social Em Período Da Pandemia Por Corona Vírus. Público alvo: homens acima de 18 anos de idade. Sentimentos E Atitudes De Mulheres No Isolamento Social Em Período Da Pandemia Por Corona Vírus. Público alvo: mulheres acima de 18 anos de idade. Sentimentos E Atitudes Do Adolescente No Isolamento Social Em Período Da Pandemia Por Corona Virus. Público alvo: adolescentes de 11 a 18 anos de idade. Sentimentos E Atitudes Da Criança No Isolamento Social Em Período Da Pandemia Por Coronavírus-público Alvo: crianças de 4  a 10 anos de idade. Responsável: Profa. Leila Salomão de La Plata Cury Tardivo com a colaboração da Profa.  Helena Rinaldi Rosa
  • Conjunto de projetos que tem como objetivo avaliar os efeitos da crise sobre os funcionários do hospital das clínicas da FMUSP que estão submetidos a diversos estressores na linha de frente de atendimento dos casos que estão na instituição. O conjunto de pesquisas é parte de uma iniciativa maior que pretender apoiar os profissionais do ponto de vista de saúde mental e oferecer tratamento quando necessário, então vamos avaliar, também, o efeitos desses tratamentos e intervenções de prevenção secundária em saúde mental. Um terceiro estudo dentro desse conjunto de pesquisas vai investigar o efeito da crise sobre os filhos dos funcionários do HC. Responsável: Felipe Corchs, Faculdade de Medicina, com a colaboração do Lapis da EACH.
  • Avaliação de agregação plaquetária e coagulação em pacientes com COVID-19. Responsável: Jose Carlos Nicolau. Faculdade de Medicina.
  • Monitoramento da saúde mental de crianças e adolescentes expostos à pandemia COVID-19 e ao isolamento social ao longo de 12 meses e caracterização dos fatores de risco (como afastamento dos pais, violência intrafamiliar, perda financeira, uso de substâncias, psicopatologia parental, perdas financeiras) bem como fatores protetores (contato social, flexibilidade cogntiva). Responsável: Guilherme Vanoni Polanczyk, Faculdade de Medicina.
  • Coletas de nível de atividade física por acelometria em pacientes dos nossos estudos durante o isolamento social, para determinar o impacto do possível aumento da inatividade física em parâmetros clínicos e laboratoriais. Parte desses pacientes também estão engajados em um programa de promoção de atividade física, para avaliarmos seus efeitos na saúde. Além disso, temos três novos que pretendem avaliar: 1) se o nível de atividade física prediz o prognóstico da Covid-19; 2) se a suplementação de vitamina D3 (vs. placebo) é segura e eficaz no tratamento da Covid-19 (em parceria com Rosa M R Pereira e Elois Bonfá); e 3) qual o impacto do isolamento social sobre os hábitos alimentares em grupos de diferentes idades e estrato social. Responsável: Bruno Gualano, Faculdade de Medicina
  • Pesquisa sobre a variabilidade clínica em pacientes com COVID-19. Centro do Genoma (CEGH-CEL) do IBUSP   faz parte de uma rede organizada pelo Ministério da Saúde para tentar entender porque algumas pessoas desenvolvem formas graves ou letais de COVID-19 enquanto outros têm formas leves ou permanecem assintomáticos. A proposta do Ministério é coletar cerca de 2000 amostras de pacientes em parceria com o Hospital Albert Einstein. O Genoma também ficará responsável pelas pesquisas em transcriptoma e imunofenotipagem dessas amostras. Responsável: Mayana Zatz 
  • COVID-19 – A encruzilhada entre a imunização e a falência pulmonar. O processo de infecção viral é um contínuo entre invasão, replicação, alerta, defesa imediata e futura e a volta à condição normal. Os Laboratórios de Neuroimunomodulação e de Cronofarmacologia do IB no momento, vem ampliando estes estudos com dados biológico obtidos de pacientes e infectados com SarsCov2 avaliando relação de vias de sinalização e síntese de citocinas, moléculas de adesão e moléculas implicadas na replicação do vírus com a produção de melatonina. Estes estudos visam ampliar os conhecimentos dos escapes dos mecanismos de defesa e proposta de terapias de apoio que poderão ser úteis neste momento e em outros em que há um desbalanço entre a defesa e o ataque. O Laboratório de Neuroimunomodulação  do IB está colaborando com Prof. Helder Nakaya da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP e Profa. Maria Christina W Avellar, Escola Paulista de Medicina, UNIFESP. Responsáveis: Profs. Regina P Markus e Pedro A Fernandes.  
  • Projeto Suicídio em estudantes universitários: um estudo clínico e fenomenológico de prevenção, orientação e terapêutica. Responsável: Andrés Eduardo Aguirre Antúnez, Instituto de Psicologia.
  • Psicoterapia mediada pelas Tecnologias de Informação e Comunicação – um estudo longitudinal. Responsável: Andrés Eduardo Aguirre Antúnez com a Dra. Nara Helena Lopes Pereira da Silva, Instituto de Psicologia.
  • Ateliê de desenho de livre-expressão no contexto do suicídio: um diálogo com a fenomenologia da vida. Responsável: Andrés Eduardo Aguirre Antúnez com Erika Rodrigues Colombo.
  • VENTILAÇÃO. Estratégias para redução de complicações e mortalidade durante a ventilação mecânica no COVID-19 nas UTIs do complexo ICHC. A infecção causada pelo SARS-CoV2 (COVID-19) se espalhou pelo mundo e agora é considerada uma pandemia. A manifestação mais comum da COVID-19 é a pneumonia viral com graus variados de comprometimento respiratório. Até 40% dos pacientes hospitalizados podem desenvolver Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), com mortalidade estimada em 50-60%. O uso de níveis elevados de pressão positiva ao final da expiração (PEEP) têm mostrado desfechos clínicos controversos em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo. Uma possível razão para esses achados é que a PEEP mais alta seria benéfica para pacientes com maior potencial de recrutabilidade, ou seja, pacientes em que a aplicação de pressões mais elevadas resultaria em redução do colapso pulmonar. Atualmente, a PEEP é escolhida na maior parte do mundo através tabela PEEP vs fração inspirada de oxigênio (FIO2), ignorando que em alguns pacientes a PEEP mais alta pode não ajudar ou até mesmo piorar a oxigenação. Este estudo propõe o uso da tomografia por impedância elétrica (TIE) – um método de monitoração não invasivo, isento de radiação e que pode ser usada à beira leito – para avaliar a recrutabilidade dos pulmões e selecionar a PEEP. A escolha da PEEP com base na TIE busca o melhor compromisso entre o colapso que ocorre em PEEPs baixas e a hiperdistensão que acontece com PEEPs altas. OBJETIVOS: O objetivo primário é avaliar o impacto da seleção da PEEP individualizada na gravidade da SDRA. MÉTODOS: Este é um estudo prospectivo, randomizado, aberto, controlado em 100 pacientes com início precoce (menos de 24 horas antes da randomização) de SDRA moderada ou grave devido ao COVID-19. Os pacientes elegíveis serão alocados aleatoriamente para ventilação guiada pela TIE (grupo intervenção) ou ventilação guiada pela tabela PEEP-FIO2 segundo a estratégia ARDSNet (grupo controle). Todas as demais condutas serão de acordo com os protocolos institucionais. O desfecho primário será a escala de lesão pulmonar modificada (escore de Murray) diária. Essa escala leva em conta radiografia torácica, complacência, oxigenação e PEEP. Varia de 0 a 4, sendo 4 a pontuação máxima em todos os domínios. A modificação atribui automaticamente escore de 4 a pacientes que vão a óbito. Desfechos secundários serão dias livres de ventilação mecânica, instabilidade hemodinâmica, choque, barotrauma. Todos os pacientes serão monitorados com TIE e serão submetidos a teste de potencial de recrutabilidade, com pressões expiratórias crescentes de 5 a 30 cmH2O, seguido de titulação decremental da PEEP. A seguir, os pacientes serão randomizados na proporção de 1:1 para um dos dois grupos. A lista de randomização será gerada em blocos de tamanho desconhecido, a fim de preservar a ocultação da alocação. A randomização será realizada por uma central online, disponível 24 horas por dia. O grupo sorteado será divulgado somente depois que todas as informações sobre a inscrição do paciente forem registradas no sistema online. Marcelo Britto Passos Amato, Eduardo Leite Vieira Costa, Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, Carmen Silvia Valente Barbas, Mauro Roberto Tucci. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Jan 2021

  • RAS-COVID. Suspensão ou Manutenção dos inibidores do Sistema Renina-Angiotensina em pacientes infectados com COVID-19: estudo RAS-COVID randomizado e controlado para prova de conceito. A relação entre o uso de inibidores do sistema renina-angiotensina (SRA) e infecção pelo novo coronavírus (COVID-19) é duvidosa. Teoricamente a inibição do SRA aumenta o nível sérico e tecidual da enzima conversora de angiotensina tipo II (ECA2), que serve como receptor para entrada do vírus na célula. Dessa forma, o uso de medicações que inibem o SRA poderia aumentar a susceptibilidade e a gravidade da infecção. Hipótese: A suspensão dos inibidores do SRA em indivíduos infectados pelo COVID-19 associa- se à redução na gravidade clínica de infecção quando comparados a indivíduos que continuaram o anti- hipertensivo na internação. Objetivo: Investigar o impacto da suspensão de inibidores do SRA em pacientes internados em enfermaria pelo novo coronavírus no desfecho combinado composto pela necessidade de internação em Unidade de Terapia Intensiva ou morte por todas as causas. Métodos: 220 pacientes com infecção confirmada pelo COVID-19 serão aleatorizados para manutenção dos inibidores do SRA ou suspensão destas medicações, que serão substituídas por outra classe farmacológica caso necessário. Serão acompanhados durante a internação hospitalar para avaliação dos desfechos até morte ou alta hospitalar. Implicações. Frente à atual pandemia pela COVID-19 esse estudo auxilia a prática clínica dos pacientes internados e gera hipóteses para estratégias populacionais, sobretudo nos grupos de risco para infecção grave. Bruno Caramelli, Caio de Assis Moura Tavares, Francisco Akira Malta Cardozo, Prof. Adriana Castello Costa Girardi, Igor Maia Marinho, Ester Cerdeira Sabino, Esper Kallas. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Maio 2020

  • COVID-Heart. Perfil viral e inflamatório no miocárdio de pacientes infectados pelo SARS-CoV2. Em uma coorte chinesa de infectados por SARS-CoV2, 86% dos pacientes com desfechos fatais tinham comprometimento respiratório sendo que desses, 33% apresentavam concomitantemente acometimento cardíaco e lesão miocárdica. Ainda nessa coorte, 7% dos pacientes com desfechos fatais apresentavam lesão cardíaca isolada evoluindo para choque cardiogênico sugerindo, portanto, um mecanismo de agressão miocárdica primária ou secundária. Casos de miocardite fulminante também foram descritos. A agressão viral, imunológica e inflamatória não foi caracterizada no tecido miocárdico. Pacientes serão submetidos à avaliação funcional (ecocardiograma), de lesão miocárdica (eletrocardiograma) e biomarcadores. Pacientes que evoluírem a óbito terão fragmentos do coração coletados para avaliação do viroma (RT-PCR), perfil inflamatório (RT-PCR e ELISA) e celularidade (histologia e Imunohistoquimica). Felix José Alvarez Ramires, Fabio Fernandes, Vagner Mandrini, Juliano Novaes, Viviane Hota, Fernanda Gallinaro Pessoa, Keila Cardoso Barbosa Fonseca, Luiz Alberto Benvenuti, Orlando Nascimento Ribeiro, Amaro Duarte, Juliana Ferreira, Rogério Souza, Charles Mady. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Maio de 2021

  • EPICOV. Perfil epidemiológico dos pacientes com insuficiência respiratória grave associada à infecção pelo SARS-CoV2. A insuficiência respiratória grave é a principal complicação associada à infecção pelo SARS-CoV2. Embora séries chinesas tenham descrito algumas características clínicas e laboratoriais associadas a pior prognóstico, pouco se sabe sobre o perfil epidemiológico destes pacientes no Brasil. O perfil de comorbidades pode ter associação com o desenvolvimento de formas mais graves da doença; todavia, este tipo de associação foi feito em populações com perfil socioeconômico, demográfico e racial diferente do perfil brasileiro. Além disso, é característica de um hospital terciário/quaternário concentrar casos de maior gravidade, o que permite acesso a um subgrupo bastante representativo desta população. A proposta deste estudo é descrever as características clínicas, parâmetros ventilatórios e desfechos de uma população de pacientes que necessitaram de suporte ventilatório durante a internação nas unidades de terapia intensiva do Hospital das Clínicas da FMUSP. Juliana Ferreira, Ho Ye Lin, Daniel Joelsons, Bruno Bessen, Leandro Tanigushi Rogerio Souza, Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Dezembro de 2020
  • CO-FRAIL. Fragilidade e Desfechos Adversos em Adultos de Meia-Idade Internados por COVID-19. Cerca de 19% dos pacientes acometidos da COVID-19 demandam internação hospitalar por quadro de pneumonia grave e insuficiência respiratória. A idade tem sido apontada como principal marcador de pior prognóstico. Na Itália, por exemplo, observou-se que pacientes com mais de 70 anos correspondem a 37% das internações hospitalares e mortes da COVID-19. A falta de estudos prognósticos sobre essa nova doença, tem induzido diversos países a decisões sobre alocações de recursos hospitalares baseadas exclusivamente no critério etário. Essa estratégia levanta o debate sobre o princípio da justiça uma vez que a idade cronológica por si só não é capaz de determinar o real prognóstico dos pacientes. A fragilidade é uma medida da reserva fisiológica que prediz desfechos desfavoráveis na população idosa. Uma característica biológica marcante da fragilidade no envelhecimento é estar relacionada a um estado pró- inflamatório crônico, com aumento de citocinas como interleucina 6 (IL-6) e fator de necrose tumoral alfa (TNF-α). Trabalhos iniciais em indivíduos com COVID-19 relacionam níveis elevados de IL-6 a maior mortalidade. Este achado, sinaliza para um potencial fator prognóstico da fragilidade nos indivíduos com COVID-19. No entanto, não encontramos trabalhos investigando a utilidade prognóstica da fragilidade nestes pacientes. Por isso, o presente estudo visa avaliar o desempenho da fragilidade na predição de mortalidade e outros desfechos adversos em até seis meses após a alta hospitalar nos pacientes acima de 50 anos admitidos por COVID-19 no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Esse tipo de pesquisa é essencial para pandemia da COVID-19 já que a necessidade de tomada de decisões rápidas quanto à alocação de recursos faz parte da prática clínica diária devido à sobrecarga do Sistema de Saúde. Marlon Aliberti, Wilson Jacob-Filho, Thiago Avelino-Silva. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Abril 2021.
  • CADDE. Este é um grupo de pesquisadores da USP em associação com a Secretaria da Saúde com o objetivo de estudar epidemias virais. São usadas técnicas de sequenciamento genômico a dados epidemiológicos e de movimentação de pessoas para compreender a dispersão viral. Também buscamos desenvolver modelos de predição de epidemia. Nosso objetivo central são os arbovírus, mas devido a epidemia de COVID-19, estamos focando nossos esforços em sequenciar um grande número de amostras e associar estes dados com os dados epidemiológicos. Estamos também desenvolvendo ferramentas de predição de número de casos, e necessidade de leitos de UTI. Ester Sabino e Nuno Faria. Hospital das Clínicas com participação da Universidade de Oxford. Estimativa de conclusão do estudo: Abril de 2021
  • FLUIDO. Estudo transversal dos efeitos da infecção pelo COVID-19 no sêmen humano. Trata-se de um estudo para contribuir com o entendimento dos meios de transmissão do COVID-19 e seu papel na fertilidade masculina. A revisão, atualização bibliográfica, levantamento de dados, processamento e análise de dados, interpretação e discussão dos resultados, bem como a divulgação dos resultados, serão de modo constante e emergencial. Prevemos a execução do projeto em até 24 meses. Jorge Hallak. Hospital das Clínicas com a participação da Androscience. Estimativa de conclusão do estudo: Maio de 2021
  • SCAR. Complicações pulmonares tardias após infecção por coronavírus. Assim como em epidemias anteriores associadas a outros tipos de coronavírus, a pandemia atual da COVID-19 é caracterizada pelo predominante acometimento do sistema respiratório, com apresentações clínicas que variam de sintomas leves de coriza e febre ao ao desenvolvimento de síndrome do desconforto respiratório. Do ponto de vista radiológico, a doença é caracterizada pela presença de áreas de vidro despolido, distribuídas bilateralmente. Ao longo de dias após o desenvolvimento da doença, começam a surgir áreas de consolidação pulmonar, mais comumente associadas aos quadros clínicos mais graves. Todavia, pouco se sabe sobre o acometimento tardio associado à COVID-19, independente da gravidade inicial do quadro. É estabelecido que pacientes que desenvolvem com síndrome do desconforto respiratório por outras causas podem apresentar sequelas funcionais e anatômicas que impactam a qualidade de vida destes pacientes. A proposta deste estudo é avaliar a resposta pulmonar ao coronavírus 3, 6, 9 e 12 meses após a infecção, de acordo com a gravidade do quadro à apresentação. Para tal, a proposta é realizar tomografia de tórax de dupla energia, prova de função pulmonar completa, teste cardiopulmonar de esforço em cada um dos tempos e correlacionar os achados com os dados clínicos e de apresentação radiológica inicial. Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, Rogerio Souza, Marcelo Britto Passos Amato, Carlos Toufen, João Marcos Salge. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Maio de 2022
  • COV BANK. Patologia – repositório de tecidos. No cenário de uma epidemia por um agente novo e relativamente desconhecido, a autópsia representa ferramenta fundamental para a investigação de fenômenos relacionados à fisiopatogenia da doença e impacto em órgãos-alvo e sistêmico. No caso da COVID-19, raras autópsias foram realizadas até o momento, pelo risco de contágio dos profissionais envolvidos no processo. A autópsia minimamente invasiva (AMI) tem sido proposta como alternativa à autópsia convencional (AC) e se apresenta como ferramenta útil e eficaz neste cenário. O método tem se mostrado eficaz, particularmente para o diagnóstico de doenças infecciosas. Além disso, o procedimento se mostrou adequado para a coleta de amostras para estudos moleculares e para a identificação de microorganismos (Duarte-Neto et al, 2019). Subprojeto 1: Avaliação post-mortem do comprometimento sistêmico na COVID-19 No presente projeto, propomos a realização da AMI-US de pacientes com morte por COVID-19 com coleta de tecido através de punção dos seguintes órgãos e tecido: pulmões, coração, fígado, rins, baço, SNC, músculo esquelético e pele. As autópsias têm o objetivo geral de avaliar o comprometimento pulmonar e sistêmico da COVID- 19 em pacientes graves, a identificação de infecções secundárias associadas ao mau prognóstico, além de criar um biorrepositório para estudos futuros. Os principais objetivos são: a) Descrição dos achados histopatológicos pulmonares e sistêmicos em casos fatais de COVID-19. b) Identificação de infecções secundárias bacterianas e/ou fúngicas por métodos histoquímicos e moleculares. c) Descrição de achados de microscopia eletrônica em amostras do parênquima pulmonar, focando no encontro de vírions do 2019-nCOV, nas alterações da célula endotelial de capilares septais, nas alterações de pneumócitos e no interstício pulmonar. d) Caracterização da imunomarcação de antígenos do 2019-nCOV em diferentes tecidos por meio de imunohistoquímica e) Detecção e quantificação do RNA do vírus 2019-nCOV em amostras de tecido coletadas post mortem, por meio da técnica de PCR. f) Análise por transcriptoma de amostras de tecido pulmonar, coletadas no período post mortem de pacientes com COVID-19 fatal, correlacionando-a com parâmetros bioquímicos, com o aspecto morfológico das lesões à microscopia óptica e com o resultado da imunomarcação de antígenos in situ, por meio de imunohistoquímica, com o intuito de esclarecer processos patogênicos associados à evolução desfavorável da COVID-19. Subprojeto. Imunopatologia da COVID-19 fatal em pacientes idosos A maior gravidade e mortalidade da doença em idosos pelo COVID 19 está associada à desregulação imune desta faixa etária, que promove uma reação inflamatória sustentada de maior monta que em jovens. Nós hipotetizamos que nos tecidos pulmonares de pacientes idosos que não morreram de causas pulmonares haverá maior expressão dos marcadores inflamatórios, ligados ao envelhecimento, que se acentuará nos pacientes com SARS- Cov2. Hipotetizamos ainda que a expressão de ACE2 pulmonar será menor nos pacientes idosos que morreram de SARS-2. Os principais objetivos são: Fenotipar a lesão tecidual pulmonar em tecido obtido por MIA, comparando-se com pulmão de faixas etárias semelhantes, Comparar a quantidade de marcadores celulares linfocitários T e B, neutrófilos, células dendríticas, macrófagos e mastócitos em adultos versus adultos idosos (>65 anos) com pulmões normais á autopsia e aquele infectados por COVID2; Comparar a expressão tecidual dos receptores ACE2, e do TMPRSS em adultos versus adultos idosos (>65 anos) com pulmões normais á autopsia e aquele infectados por COVID2, Comparar a expressão de TLR-3, IL-6, TNF-alpha, IFN-gamma , MMPs, TGF beta, IL-1B e IL-17 em tecido pulmonar de adultos versus adultos idosos (>65 anos), Correlacionar achados anátomo-patológicos com marcadores de gravidade clínicos e marcadores inflamatórios séricos nos pacientes SARS-Covid2; Comparar e validar estes dados por dados de transcriptoma/PCR do tecido pulmonar de pacientes com SARS-Cov2. Marisa Dolhnikoff, Thaís Mauad, Amaro Duarte, Paulo Saldiva, e Luiz Fernando Ferraz da Silva. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Março 2021
  • VIRAL TRACKER. Epidemiologia baseado em rastreamento por GPS. Será desenvolvido um estudo para mapear os locais visitados nos 28 dias que antecederam e nos 28 dias após o início dos sintomas de casos notificados de COVID-19. Após autorização dos pacientes, informações provenientes dos smartphones serão obtidas e permitirão melhor entendimento da dinâmica de transmissão. Todas as informações obtidas na pesquisa terão garantia de sigilo absoluto e somente ficarão na base de dados as coordenadas dos locais e código identificador. O objetivo é avaliar a dinâmica de transmissão de SARS-CoV-2, utilizando dados de GPS do telefone celular de pacientes com esta infecção. Os objetivos secundários são: avaliar se há transmissão durante o período de incubação, o tempo de transmissão de pacientes sintomáticos com COVID-19 SARS-CoV e avaliar se há “superspreaders”. Trata- se de um estudo observacional descritivo. Serão incluídos casos confirmados de COVID-19 e que possuam celular do sistema operacional Android durante o período da epidemia em São Paulo. Anna Sara S. Levin, Helder Nakaya, Maura Salaroli de Oliveira, Gizelda Katz, Izabel Marcilio, Denise de Assis Brandão, Ana Rubia Guedes Vinhole. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Junho de 2021
  • PROTEÇÃO. Estudo multicêntrico sobre transmissão nosocomial do vírus SARS-CoV-2. A descrição de casos adquiridos em hospitais e de mecanismos de transmissão da infecção pelo 2019- nCoV 2019 em serviços de saúde é essencial para conter a epidemia. Para melhorar a qualidade da assistência e segurança de pacientes e profissionais, esses dados devem ser acompanhados de análise do impacto das medidas de controle de infecção. Além disso, é necessário programa eficaz de controle de infecções para controlar a propagação do vírus e proteger os pacientes não infectados que necessitam de cuidados para outras condições clínicas ou cirúrgicas. Trata-se de estudo prospectivo, observacional, sem intervenção, realizado em hospitais, com avaliação de adultos e crianças. O projeto visa obter descrições precisas dos casos de infecção nosocomial por SARS-CoV-2; fornecer conhecimento do impacto das recomendações de controle de infecção preconizadas nos hospitais; descrever potenciais cadeias de transmissão da infecção por SARS-CoV-2 em hospitais; aumentar a conscientização dos profissionais sobre seu papel na prevenção da propagação do vírus SARS-CoV-2 nos hospitais e arredores imediatos. Maura Salaroli de Oliveira, Anna Sara S. Levin, Izabel Marcilio, Ana Rubia Gudes Vinhole Com a participação. Hospital das Clínicas. Estimativa de conclusão do estudo: Novembro de 2020
  • SENTINELA. Implantação de sentinelas de síndrome gripal como resposta às medidas de distanciamento social para controle da pandemia de coronavírus. O propósito do estudo é ampliar a rede de vigilância sentinela de síndrome gripal, com diagnóstico laboratorial para o SARS-CoV 2, de forma a permitir o acompanhamento da curva epidêmica e a possível relação das flutuações na sua frequência com a implementação das medidas de distanciamento social. No projeto, serão realizados testes para determinar a ocorrência de viroses respiratórias em pontos de atendimento de pessoas com sintomas respiratórios. Os resultados ajudarão a esclarecer a participação de diferentes vírus, além do SARS-CoV-2, nos casos. Expedito Luna, Beatriz Tess, Ana Freitas, Tânia Lago, Telma Carvalhanas, Rinaldo Focaccia, Nanci Belley e Clarisse Machado. Hospital das Clínicas com a participação do Centro de Vigilância Epidemiológica e UNIFESP. Estimativa de conclusão do estudo: Setembro 2020
  • Análise Epidemiológica, clínica e imunológica de casos de SARS-CoV-2 na região metropolitana de São Paulo: Um estudo descritivo. Dados epidemiológicos de SARS-CoV-2 no Brasil são escassos e não sabemos como o vírus irá se comportar em países Tropicais tão pouco em regiões com grandes concentrações populacionais e de favelas. O presente projeto tem como objetivo avaliar a epidemiologia, os dados clínicos e imunológicos de pacientes infectados por SARS-CoV-2 necessitando atendimento hospitalar na cidade de São Paulo e atendidos no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (HU-USP). O HU-USP apresenta diferentes setores de atendimento incluindo um setor pediátrico, ambulatorial, emergencial e de unidade intensiva, atendendo não só funcionários e estudantes da comunidade universitária mas também recebendo pacientes de baixa renda moradores da Favela do Rio Pequeno, comunidade vizinha do Hospital. Este tipo de comunidade, também denominada de aglomerado subnormal, apresenta fatores que podem facilitar a transmissão e disseminação do SARS-CoV-2 uma vez que são características deste tipo de comunidade uma alta densidade populacional, alto número de moradores em uma mesma residência, ausência de condições sanitárias ideias, baixas condições de educação e status nutricional deficitário. Assim, é possível que estes fatores possam aumentar as consequências de infecção ao facilitar a transmissão do SARS-CoV-2, apesar da influência destes fatores na epidemiologia de outros vírus respiratório não ser clara. Angélica Cristine de Almeida Campos, Ana Paula Pessoa,  Edison Luiz Durigon, Luiz Gustavo Bentim Góes, Marielton dos Passos Cunha, Paola Minoprio, Paolo Zanotto, Patricia Cristina Baleeiro Beltrao Braga. Plataforma Científica Pasteur-USP.
  • Análise de expressão de ACE2 em doenças associadas ao COVID19 severo. Para investigar o motivo de pessoas com comorbidades como hipertensão e diabetes terem chances maiores de desenvolver COVID severo, nós investigamos dados de transcritoma de pulmão e outros tecidos de pacientes com essas doenças. O objetivo foi verificar se a expressão de ACE2 e outros genes necessários para a infecção do vírus SARS-CoV-2 estava aumentado em pacientes com esta doença. Submetemos o primeiro artigo para a revista Journal of Infectious Diseases e disponibilizamos no repositório:  https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2020.03.21.20040261v1#disqus_thread . Responsável: Prof.Dr. Helder Nakaya.
  • Problemas respiratórios em crianças e a situação da Covid-19 na família e comunidade. Profa. Dra. Débora Falleiros de Mello (EERP-USP), Prof. Dr. Ricardo A. Arcêncio (EERP-USP), Profa. Dra. Maria Cândida de Carvalho Furtado (EERP-USP), Profa. Dra. Juliana Coelho Pina (UFSC).
  • Desenvolvimento de um modelo animal de infecção e doença causada pelo SARS-CoV-2. Coordenação: Ana Marcia de Sá Guimarães, Instituto de Ciências Biomédicas.
  • Pesquisa para verificar como está a saúde mental dos brasileiros neste momento de restrições na circulação de pessoas  e que levam ao isolamento social, bem como, verificar se o nível de atividade física prévio (antes do surto de COVID-19) e o exercício físico que está sendo realizado em casa, atualmente, podem apresentar alguma relação com as respostas psicológicas dos sujeitos.  Responsável: Prof. Dr. Átila Alexandre Trapé, EEFERP. O formulário para participação está disponível em: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdXrUzJwjXpjuSUMIoTmAyyKt4HrrpFewl4TkX0CmhwQuBP_Q/viewform?fbclid=IwAR0L3QKfNIq6D01CxzhjfJKmHZ0YdLDgjAcfQWj9weyfksSn3fY7YvkJn7w
  • Contribuições da pesquisa-ação para o desenvolvimento de práticas profissionais em Educação Permanente em Saúde e Apoio Institucional: pesquisa intervenção PPSUS Fapesp 2019/03848-7. Equipe: Cinira Magali Fortuna, Angelina Lettiere-Viana, José Renato Gatto Júnior, Karen da Silva Santos, Maristel Silva Kasper, Priscila Norié de Araujo, Thalita Caroline C Marcussi, Adriana Barbieri Feliciano, Flávio Adriano Borges Melo, Gabriela Alvarez Camacho, Leandra Andréia de Sousa, Márcia NiitumaOgata, Mônica Vilchez da Silva, Ana Beatriz Franceschini, Viviane da Rocha Sousa, Siliani Aparecida Martinelli, Poliana Patrício Aliane.
  • Transição do Cuidado do Hospital para Casa: a continuidade do cuidado na Rede de Atenção à Saúde. O projeto será desenvolvido pelo “Grupo de Altos Estudos de Avaliação de processos e práticas da Atenção Primária à Saúde e Enfermagem – GAAPS”, cadastrado no Diretório do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPQ. É coordenada pelo profªDrª Ione Carvalho Pinto.
  • Intervenções em Saúde para o enfrentamento da Covid-19 (HICov – Cop): Desenvolvimento e Teste de Intervenções de Alfabetização em Saúde para Crianças e Adolescentes no auxílio ao enfrentamento à COVID-19 na comunidade. Health Interventions for Covid-19 Coping (HICCov – Cop) : Developing and Testing Health Literacy Interventions for Children and Adolescents to Help Covid-19 Coping in the Community. Equipe: Claudia Benedita dos Santos da EERP/USP e inúmeros outros colaboradores de diferentes estados do país.
  • Portal Virtual de Informações D+Informação para pessoas com deficiência. Profa. Dra Fabiana Faleiros, Núcleo de Pesquisa e Atenção Neurorehab e Prof. DrChristophKäppler – Universidade de Dortmund – Alemanha.
  • Conhecimento e os desafios das pessoas com deficiência em tempos de pandemia do COVID-19. Equipe: Profa Dra Fabiana Faleiros, Núcleo de Pesquisa e Atenção Neurorehab, Profa. Dra Soaria Dornelles Schoeller – UFSC, Prof. Dr. Willian Machado – Unirio.
  • A máscara N95 na pandemia da COVID-19: é possível o seu reuso e reprocessamento seguros? Responsáveis: Profa. ElucirGir, Profª Renata Karina Reis, Profª Mayra Gonçalves Menegueti, Laelson Rochelle Milanês Sousa, Natália Maria Vieira Pereira.
  • O COVID-19: Análise da capacidade instalada dos sistemas de saúde e da força de trabalho da enfermagem no contexto global para enfrentamento da pandemia. Ricardo Alexandre Arcêncio, Pedro Fredemir Palha e Aline Aparecida Monroe da EERP-USP, além de inúmeros colaboradores de diferentes instituições do país e do exterior.
  • Impacto da Tuberculose na  COVID-19 em populações Vulneráveis no Brasil: Análise sob a perspectiva do acesso e equidade. Pedro Fredemir Palha (Docente EERP), Ricardo Alexandre Arcêncio (Docente EERP), Regina Célia Fiorati (Docente FMRP), Jaqueline Garcia de Almeida Ballestero (Docente EERP) e diferentes outros colaboradores de outras instituições.
  • Sequenciamento de amostras de COVID-19. Laboratório de Genética aplicada às doenças infecciosas, Faculdade de Medicina da USP, Responsável: Profa. Ester Cerdeira Sabino.
  • Desenvolvimento de testes de ELISA IgG para estudos epidemiológicos em doadores de sangue e profissionais de saúde. Laboratório de Genética aplicada às doenças infecciosas da Faculdade de Medicina da USP. Responsável: Profa. Ester Cerdeira Sabino.
  • Vigilância sentinela como resposta às medidas de distanciamento social para controle da pandemia de SARS-CoV-2. Equipe: Profs. Beatriz Tess e Expedito J. de Albuquerque Lunna, ambos da FMUSP.
  • Comparação filogenética do SARS-CoV-2 com demais coronavírus de importância em saúde pública humana e animal, utilizando para as análises os softwares NCBI Virus, MEGA 7, ViPR, ExpasyProtein. Responsável: Profa. Simone Soares, do HRAC – Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.
  • Projeto de pesquisa “Espiritualidade em tempos de  Covid 19”. O objetivo deste projeto é identificar na literatura on line estudos que descrevem relatos e experiências de espiritualidade na luta contra o Covid -19, entre pessoas com mais de 60 anos, portadoras de Doenças cardiovasculares. Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Hipertensão Arterial- GIPHA- DEGE-EERP-USP.
  • Simulação de Alta Fidelidade para a formação de profissionais para a prevenção do suicídio. O projeto possibilitará a construção de cenários de simulação de alta fidelidade para preparar profissionais para o cuidado a pessoas que vivenciam  ou vivenciaram situações ligadas à pandemia que podem ser fatores de risco para o comportamento suicida e transtorno de estresse pós-traumático. Coordenação: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana e Aline Conceição Silva. Integrantes: Laboratório de Estudos e Pesquisa em Prevenção e Posvenção do Suicídio – LEPS e Centro de Educação em Prevenção e Posvenção do Suicídio – CEPS. 
  • Associação entre o uso de redes sociais e serviços de streaming, solidão e transtornos mentais comuns. Estudo que tem como objetivo investigar a associação entre o uso de redes sociais e serviços de streaming (de filmes e séries) e solidão e transtornos mentais comuns. Responsável: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana. Orientanda: Amanda dos Santos Oliveira. EERP
  • Transtorno de estresse pós-traumático e fatores associados entre bombeiros. O estudo permitirá o conhecimento de fatores importantes a serem abordados em estratégias de promoção da saúde mental e prevenção do Transtorno de estresse pós-traumático. Responsável: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana. Orientanda: Daniele Maria Nogueira. EERP.
  • Best practices and guidelines about suicide prevention in the online environment. Projeto de Pesquisa e extensão com finalidade de produzir, validar e divulgar material educativo para profissionais da saúde com recomendações sobre boas práticas para prevenção do suicídio por meio dos ambientes virtuais. Responsável: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana. Orientanda: Camila Corrêa Matias Pereira. EERP.
  • Desenvolvimento e validação de material educativo sobre autolesão não suicida para profissionais da saúde. Responsável: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana. Orientanda: Aline Conceição Silva. EERP
  • Revisão sistemática da literatura entre hipertensão e COVID 19 para identificar se existe ou não associações entre o tratamento da hipertensão arterial e o tratamento e controle do covid 19 em diferentes países. Elaborar um material educativo para pessoas com hipertensão arterial atendidas em Unidades básicas de saúde e Estratégias de saúde da família/ com enfoque na adesão ao tratamento da HAS. Equipe: Amanda Abichabik, Ana Carolina Daniel, Barbara Caroliny, Eugenia Velludo Veiga, Juliana Machado, KamilaShelry, Maria Lucia Carmo Cruz Robbazi, MayaraSudre.
  • Redução de estresse baseado em Mindfulness na prática clínica de enfermagem durante a pandemia da Covid-19. Investigar e descrever os impactos psicoemocionais da pandemia da Covid-19 reportados por profissionais de enfermagem atuantes na assistência. GEPEMEN – Grupo de Estudos e Pesquisa em Saúde Mental, Centro de Mindfulness e Terapias Integrativas da EERP-USP. Contato: Profa. Dra. Edilaine C. Silva Gherardi Donato
  • Avaliação da Dor Psíquica: uma perspectiva da linha de frente na assistência à COVID-19.Amanda Batista Vilarindo (Mestranda do Programa de Enfermagem Fundamental da EERP), Simone Saltareli (Pesquisadora Colaboradora), Profa. Dra. Fátima Ap. E. Faleiros, Sousa (Líder do Laboratório de Psicofísica Clínica da EERP) 
  • Estresse parental, necessidades e vulnerabilidades de crianças diante da situação da Covid-19. Equipe: Profa. Dra. Débora Falleiros de Mello (EERP-USP), Prof. Dr. Luiz Guilherme Scorzafave (FEARP-USP), Prof. Dr. Daniel Domingues Santos (FEARP-USP).

Outras Ações

  • E-health na conscientização para prevenção e controle da COVID-19 e outras infecções respiratórias transmissíveis. A presente proposta contempla a construção, validação e disponibilização de material educativo para intervenção motivacional breve e intensiva, mediada por mídias digitais baseadas na web, para melhorar as precauções de segurança individuais e coletivas na prevenção da infecção por COVID-19 junto a estudantes universitários na faixa etária de 18 a 25 anos. Responsáveis: Profa. Marta Cristiane Alves Pereira, Profa. Carla Regina de Sousa Teixeira; Profa. Rosangela Andrade Aukar de Camargo e Profa. Luciane Sá de Andrade (EERP).
  • Desenvolvimento de tecnologia digital educacional sobre atenção à Saúde Neonatal na prevenção da COVID-19. Pesquisa de aplicação para o desenvolvimento de dois infográficos sobre atenção à Saúde Neonatal na prevenção da COVID-19, junto aos profissionais de saúde e familiares de recém-nascidos. Responsável: Profa. Luciana Mara Monti Fonseca, EERP.
  • O CEstA-USP abre um espaço à sua rede nacional e internacional de pesquisadores indígenas e não indígenas e a outros parceiros, a fim de compartilhar reflexões, relatos e materiais informativos sobre situações regionais e iniciativas de apoio a um dos segmentos mais vulneráveis da sociedade brasileira. O objetivo é acompanhar e documentar o desenrolar da pandemia entre os povos indígenas. Maiores informações podem ser obtidas no site do CEstA (http://cesta.fflch.usp.br/) e no site do projeto (https://amerindios.wixsite.com/acao). Responsável: Prof. Eduardo Natalino dos Santos, FFLCH.
  • Por que conservar e restaurar a vegetação nativa pode evitar pandemias? Infográficos de divulgação para o público em geral. Autoria: Adriana P. Diniz, Ana F. Boeni, Débora C. Rother, Jannie F. Guimarães e Marina M. Duarte. Revisão: Ricardo R. Rodrigues. Ilustração: Marina M. Duarte. http://lerf.eco.br/capa.asp?pi=publicacoes&id=13
  • Elaboração de recomendações pela AMB, veiculação de recomendações atualizadas, emitidas pelo Ministério da Saúde, AMB e outras autoridades sanitárias, respostas aos colegas e à população referentes à crise do COVID-9, com o objetivo de orientar sobre estratégias de proteção no plano físico e emocional. Responsável: Profa. Carmita Helena Najjar Abdo, com a colaboração e membros do Departamento de Psiquiatria da FMUSP, Membros do Departamento de Psiquiatria da FMUSP, do Programa de Estudos em Sexualidade do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP e da Associação Médica Brasileira (AMB).
  • Vídeo sobre a lavagem de mãos. O objetivo do projeto foi o desenvolvimento de um vídeo que estimulasse as pessoas a lavarem as mãos com a técnica adequada, um hábito simples e eficaz no combate ao coronavírus. O vídeo com linguagem moderna espera atingir ao público mais jovem e usuários das mídias digitais, além de engajar a todos na prevenção. Responsável: Prof. Fábio Biscegli Jatene, do Departamento de Cardiopneumologia da FMUSP. Equipe: Guilherme Rabello, Rosangela Monteiro. Colaboração: Núcleo de Inovação e Comissão de Controle da Infecção Hospitalar do Instituto do Coração do HCFMUSP. Outras instituições envolvidas: Produtoras de vídeo privadas: Resistência e Pepita.  URL do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=ClP5ARSicpo.
  • 3a Edição da SancaThon  que focou na cadeia de Food Service, com o objetivo de ajudá-los a superarem a pandemia. Organizado pela EESC. link para dúvidas ou informações: http://www.sel.eesc.usp.br/sel/?p=8819
  • PORTAL COVID-19 BRASIL: Monitoramento e análises da situação do Coronavírus no Brasil. Responsável: Prof. Domingos Alves, FMRP, USP. Monitoramos diariamente os dados fornecidos por fontes oficiais sobre a propagação do vírus no país. Utilizamos ferramentas de análise cientificamente embasadas de maneira a auxiliar gestores, autoridades e a população de uma maneira geral, no enfrentamento desta verdadeira GUERRA contra a COVID-19. Portal: https://ciis.fmrp.usp.br/covid19 Instagram: https://www.instagram.com/ portalcovid19br Twitter: https://twitter.com/portalcovid19br
  • Orientação de pacientes e população de risco (idosos com doença de Parkinson), para aumentar a conscientização e o acesso à informação. Responsável: Prof. Erich Fonoff, do Departamento de Neurologia da FMUSP, com a colaboração da Clínica Integrada de Neurociências. Websites: www.erichfonoff.com.br e https://www.parkinsonhoje.com.br/
  • Videoaula sobre COVID-19. Elaborada com a colaboração de alunos de pós-graduação da FM e também com o apoio da FSP, a videoaula em o objetivo de disseminar conhecimento dessa epidemia, com linguagem de fácil entendimento. Responsável: Prof. Jorge Casseb, da FM. http://www.nap.retrovirus.com.br/ 
  • Projeto GPP Debate: Ciclo de debates do curso de Gestão de Políticas Públicas (EACH/USP) organizado pelos professores Wagner Iglecias e Agnaldo Valentin com objetivo de relacionar temas de interesse da Gestão Pública diante da pandemia. Debates realizados: 05/04/2020: Pandemia, Auxílio Emergencial e Renda Básica, com Leandro Ferreira e Ergon Cugler; 09/04/2020: Pandemia e as Mulheres (saúde, trabalho e política), com Flávia Batista, Tamara Crantschaninov e Thaisa Torres Nunes; 12/04/2020: Emergência Sanitária (medidas de exceção e soberania popular), com Vinícius Felix; 14/04/2020:  Pandemia e Populações Vulneráveis, com Kassia Bobadilla, Natália Neris e Raquel Sobral; 16/04/2020: Situação dos povos indígenas na conjuntura da Covid-19 e atuação da APIB, com Sônia Guajajara, Thiago Henrique Guarani, Jozileia Kaingang, Erisvan Guajajara e mediação de Gabriela Rosa Medeiros; 18/04/2020: Política e Comunicação em tempos de Pandemia, com Carlos Cinquegrana Jr.; 21/04/2020: Pandemia, Políticas Públicas e Federalismo, com Renata Bichir, Cristiane Kerches e Ursula Dias Peres. Debates disponíveis em: https://www.youtube.com/channel/UCTpwtboLtG56uegyasFljjA
  • Plataforma CO-LAB São Carlos foi desenvolvida pelo IAU-USP com o intuito de criar uma rede colaborativa de enfrentamento da COVID-19 na cidade de São Carlos e região. Seu objetivo é identificar as principais carências de cidadãos e instituições, fomentar ações de colaboração e facilitar a conexão entre elas. Criada em formato Creative Commons a iniciativa é passível de ser replicada em outras cidades. https://www.iau.usp.br/colab/.
  • “ECA Notícias”. Produção de uma série de reportagens especiais sobre os impactos da pandemia na sociedade. As reportagens versam sobre assuntos diversificados e que desafiam a sociedade nos dias atuais: fake news, impactos da pandemia no turismo, posicionamento de marcas e empresas durante a pandemia, uso de tecnologias da comunicação no mundo do trabalho e na educação, novas possibilidades para o teatro durante a pandemia, entre outros conteúdos que tem sido produzidos pela equipe do Laboratório, formado por funcionários e estudantes da USP. Coordenação: Prof. Dr. Eduardo Monteiro e equipe. LAC – Laboratório Agência de Comunicação da Escola de Comunicações e Artes.
  • Produção de uma revista de Histórias em Quadrinhos sobre o Coronavírus, destinada a estudantes do Ensino Fundamental, em especial de escolas públicas. O material informativo, é de domínio público e livre uso. Prof. Dr. Waldomiro Vergueiro e Carlos A. Teixeira, CBD-ECA.
  • Vídeos e discussões de divulgação para a sociedade relacionados à pandemia. https://www.youtube.com/channel/UCdKJlY5eAoSumIlcOcYxIGg https://www.facebook.com/nuncavi1cientista/  ; https://twitter.com/_NV1C https://www.instagram.com/nuncavi1cientista/?hl=en. Responsáveis: Laura de Freitas e Ana Bonassa, pós-doutorandas do Instituto de Química, do grupo Nunca vi 1 Cientista.
  • Textos de orientação da população sobre cuidados com os alimentos e embalagens, nutrição e obesidade infantil em tempos de isolamento, papel dos alimentos na imunidade e outros, disponiveis em www.usp.br/forc e www.alimentosemmitos.com.br. Elaborados pelos pesquisadores do Food Research Center (CEPID-FAPESP), da FCF.
  • O APOIAR – Atendimento on-line foi proposto com o objetivo de atender pessoas que sintam dificuldades mais intensas, como sentimentos de solidão, tristeza, abatimento, que podem ser identificados como depressão. Também medos intensos, muita angústia, dificuldades de dormir, de permanecer em casa, ou ansiedade. Também são relevantes os possíveis conflitos que podem ocorrer a partir de uma convivência diária, para as pessoas, em geral. São realizados atendimentos on line, neste período, para a população em geral, sendo que vimos recebendo profissionais de saúde. A procura tem sido muito intensa. E devermos fazer uma pesquisa documental com respeito aos dados destas pessoas, em termos de idade, gênero, profissão e especialmente queixas e motivos dessa busca. Os atendimentos são feitos por psicólogos inscritos no CFP para atendimento à distância, membros do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clínica Social, sob a supervisão das Profas. Leila Salomão de La Plata Cury Tardivo (Coordenadora do Laboratório) e  Helena Rinaldi Rosa, as quais também se dedicam aos atendimentos. Seguem-se todos os cuidados éticos e técnicos, mantendo a confidencialidade em ambiente seguro.
  • EEFE-USP lançou uma série de Podcasts, com livre acesso na internet, abordando as diferentes formas de se manter a vida ativa durante esse período. O objetivo central dessa ação é proporcionar a toda população informações a respeito da prática segura de exercícios físicos com base nas melhores evidências científicas presentes até o momento. 
  • O uso da máscara facial pela pessoa com sintomas de doença infectocontagiosa: a prevenção da disseminação em locais públicos. Promover a conscientização da população sobre a importância da prevenção de doenças respiratórias infectocontagiosas por meio do uso de máscaras faciais e hábitos de higiene. Profa. Rosa Yuka Sato Chubaci e Profa. Monia Claudia Sarturatto da EACH.
  • Como construir uma máscara de baixo custo.Responsáveis: Prof. Henrique E. Toma (IQ-USP) e Prof Delmárcio Gomes da Silva (IQ-USP). https://youtu.be/1qzwGTe8zzc
  • Como escolher uma máscara. Prof. Henrique E. Toma (IQ-USP) e Prof Delmárcio Gomes da Silva (IQ-USP). https://youtu.be/HcsSjwIFJRc
  • “Prática Multiprofissional na Atenção Básica à Saúde”, mantem um observatório das demandas dos serviços da Atenção Primária, organizando iniciativas de apoio e informação correta à população através de reuniões online com equipes de UBS. É feita a organização de cursos online e iniciativas de troca de informações e materiais de apoio para o trabalho nas frentes de Atenção. Responsável: Prof. Ligia Ferreira Gomes coordenando grupo de alunos.
  • O cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia. Elaboração e divulgação de conteúdos sobre o cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia. Trata-se de publicações realizadas em mídias virtuais voltadas para o público leigo. Coordenação: Prof. Kelly G. Giacchero Vedana e Camila Corrêa Matias Pereira. Integrantes: Laboratório de Estudos e Pesquisa em Prevenção e Posvenção do Suicídio – LEPS e Centro de Educação em Prevenção e Posvenção do Suicídio – CEPS. 
  • Infográfico animado: Atenção Neonatal: proteção e prevenção da Covid-19. Recurso didático para educação permanente de profissionais de saúde da área de neonatologia. Profa. Dra. Luciana Mara Monti Fonseca (EERP-USP).
  • Infográfico animado Cuidados aos bebês prematuros para proteção à saúde e prevenção da Covid-19. Profa. Dra. Luciana Mara Monti Fonseca (EERP-USP).
  • O Departamento de Administração da FEA criou uma aba no site do SciBiz para publicar as iniciativas/ reflexões feitas por seus professores sobre os temas relacionados ao coronavírus.    https://boletimcovid19.scibizconference.com
  • O Prof. Augusto José Pereira Filho (IAG)  tem respondido perguntas da mídia e interessados sobre a dinâmica do tempo e do clima, material particulado, etc., que podem estar relacionados à propagação viral.
  • Divulgação do valor da febre como estratégia de defesa contra infecções, alertando para implicações negativas do uso indiscriminado de antipiréticos na COVID-19. Coordenação: Prof. Dr. Alexandre Alarcon Steiner, do ICB
  • INFORME DA ACADEMIA DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS SOBRE A COVID19, que tem como objetivo gerar informações técnicas e científicas sobre: epidemiologia, patologia, terapêutica e profilaxia do COVID-19. Primeiro informe foi publicado em 30/03/2020 – AS BASES CIENTÍFICAS DO USO DA CLOROQUINA E DA HIDROXICLOQUINA SOBRE A COVID-19. Resp. Prof. Marco Antonio Stephano.
  • Seminários Online e à Distância sobre Covid-19 com os seguintes temas: “A Leitura dos Dados de Covid-19”, ministrado por Diogo Ferrari, da University of Chicago e Lorena Barberia, da FFLCH (https://youtu.be/11g3nAdV0kI); “O Papel das Epidemias na Redução da Desigualdade”, ministrado pela Profa.  Marta Arretche, da FFLCH (https://youtu.be/NSX5Awn6wJs) e “Covid-19 in Global Perspective: Partisan Divides, Political Marginalization, and Federalism in the U.S. case.” ministrado pelo Prof. Ed Gomez, da Lehigh University (https://zoom.us/j/788260678).
  • Redes de informações de prevenção e cuidado sobre o coronavírus com estudantes do ensino médio de uma ETEC que registra experiências de como o cotidiano dos jovens está sendo afetado pela pandemia. Responsável: Prof. Julio Simões.
  • Elaboração de uma Cartilha – “Envelhecimento saudável em tempos de Pandemia”. Trata-se de uma produção para divulgação científica destinada ao público idoso,  cujo conteúdo apresenta orientações gerontológicas relevantes ao envelhecimento pessoal, com ênfase ao momento atual de cuidados à saúde e isolamento social. Profa. Dra. Meire Cachioni e Profa. Dra. Samila Sathler Tavares Batistoni, EACH.
  • Orientação à população visando à prevenção da disseminação e agravos da pandemia pelo coronavírus (https://www.forp.usp.br/?p=6296). Autor: Prof. Vinícius Pedrazzi, da FORP.
  • A   Faculdade   de Saúde Pública   da USP (FSP) criou    um site (https://www.fsp.usp.br/coronavirus/) para inserir informações de interesse público e as recomendações vigentes da FSP frente à pandemia, com informações de atendimento ao público interno e externo.
  • A Faculdade de Saúde Pública ministrou e colocou à disposição do público a aula aberta sobre PARTO, NASCIMENTO E AMAMENTAÇÃO NA PANDEMIA DE COVID-19.  -Sonia Lanksy: Respostas à pandemia, evidências e direitos das mulheres e bebês. -Denise Niy: Incerteza e irracionalidade na assistência ao parto na resposta à pandemia -Ângela Rios: Recomendações do Ministério da Saúde: o que temos e o podemos esperar? -Felipe Sá: Assistência ao parto na pandemia: experiências do front privado. Link para a aula: Link para a aula aberta meet.google.com/wqm-tegw-eza
  • Podcast sobre as reações à pandemia de coronavírus – Café da manhã – Folha de São Paulo. Prof. Deisy Ventura, Departamento de Saúde Ambiental/FSP-USP, participa de https://www1.folha.uol.com.br/podcasts /2020/03/especialista-analisa-reacoes-a-pandemia-de-coronavirus.shtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign
  • Tecnologias digitais podem ajudar a superar momentos de crise, diz docente da FSP/USP. Marco Akerman (Departamento de Política, Gestão e Saúde, FSP/USP). https://www.youtube.com/watch?v=62N9- E9hDus&feature=youtu.be
  • O LaHibrid – Laboratório de Hibridação Científico-Política em Saúde Pública do Departamento de Saúde, Ciclos de Vida e Sociedade e o Coletivo de Pesquisa em Antropologia e Saúde (CPaS-1) estão produzindo o Blog “Covd19: fabulações científico-políticas em tempos de pandemia e seus demônios” (https://corona-lahibrid.wixsite.com/covid19 )
  • Especialistas aguardam dados confiáveis de Covid-19 para consolidar modelos em Big Data, mostra professor da FSP em artigo no Estadão – Entrevista do Prof. Dr. Alexandre Chiavegatto Filho (Departamento de Epidemiologia, FSP/USP). https://link.estadao.com.br/noticias/cultura- digital,previsao-sem-dados-nao-e-ciencia-e-opiniao-diz-professor-da- usp,70003251208
  • Brasil precisa continuar com isolamento social para conter transmissão, segundo diretor da FSP/USP – Entrevista do Prof. Dr. Oswaldo Yoshimi Tanaka à Rádio USP. https://jornal.usp.br/atualidades/brasil- precisa-continuar-com- isolamento-social-para-conter-transmissao/
  • Artigo” Incentivar o isolamento social significa valorizar a vida, a saúde e o respeito” – publicado na folha de São Paulo. Ricardo Rodrigues Teixeira (Departamento de Medicina Preventiva, FMUSP) e Ivan França Júnior (Departamento Ciclos de Vida, Saúde e Sociedade, FSP/USP) https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/03/incentivar-o- isolamento-social-significa-valorizar-a-vida-a-saude-e-o- respeito.shtml?utm_ source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=co mpwa
  • Entrevista do Prof. Dr. Eliseu Waldman (Departamento de Epidemiologia, FSP/USP) ao Estado de S. Paulo: É verdade que o coronavírus permanece em superfícies por 3 dias? https://saude.estadao.com.br/noticias/ geral,e-verdade- que-o-coronavirus-permanece-em-superficies-por-3-dias- entenda,70003240818
  • Entrevista do Prof. Dr. Eliseu Waldman (Departamento de Epidemiologia, FSP/USP) ao Estado de S. Paulo: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,especialistas-falam-sobre- interacao-entre-remedios-e-coronavirus-entenda,70003239067
  • Redação do material: “Recomendações relacionadas ao fluxo de atendimento para pacientes com suspeita ou infecção confirmada pelo covid-19 em procedimentos cirúrgicos ou endoscópicos”. Profa. Vanessa de Brito Poveda, da EE. http://sobecc.org.br/arquivos/RECOMENDACOES_COVID_-19_SOBECC_MARCO_20201.pdf 
  • Manual em português: Lesões de pele relacionadas ao uso de equipamentos de proteção individual em profissionais de saúde” (https://doi.org/10.30886/ManualLPRDMCovid19_PT) e em espanhol: Lesiones de piel relacionadas con el uso de equipos de protección personal en profesionales de la salud (https://doi.org/10.30886/ManualLPRDMCovid19_ESP). Elaborado pelo Grupo de Pesquisa em Estomaterapia da EEUSP – GPET em em parceria com a Associação Brasileira de Estomaterapia – SOBEST. Professoras Vera Lúcia Conceição de Gouveia Santos e Paula Cristina Nogueira, ambas da EE.
  • Participação colaborativa junto ao grupo da Secretaria de Estado da Saúde, Coordenadoria das Regiões de Saúde, que discute a elaboração de Parâmetros de Equipamentos de Proteção Individual – Covid-19 – orientações gerais. Coordenação do Grupo de Trabalho “EEUSP-COVID-19”, que tem como objetivo reunir informações e atualizar recomendações das autoridades sanitárias, além de elaborar Plano de Contingência, em conjunto com a Diretoria. Coordenação: Profa. Lúcia Yasuko Izumi Nichiata, EE. thttp://www.ee.usp.br/site/Index.php//paginas/mostrar/3562/ e http://www.ee.usp.br/site/Index.php/paginas/mostrar/3565/#5
  • Criação e manutenção de home page (https://sites.google.com/fcfrp.usp.br/covid19/covid-19-scientific-updates?authuser=0) com informações gerais, notícias e coletâneas de artigos científicos relacionados à COVID-19. Responsável: Prof. Flávio da Silva Emery, da FCFRP.
  • Atuação como Presidente da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF) em campanhas de informação, prevenção e tratamento da COVID-19 com publicação de artigos em jornais e revistas, entrevistas, palestras e distribuição de materiais informativos para comunidades carentes do Brasil. Prof. Norberto Peporine Lopes, da FCFRP.
  • O Projeto de Divulgação Digital da FCFRP nas mídias sociais foi idealizado pela Comissão de Cultura e Extensão Universitária da FCFRP e vem sendo implementado por bolsistas Programa Unificado de Bolsas (PUB-Extensão) sob coordenação dos professores Carolina Aires e Flávio Emery e do Apoio Acadêmico da FCFRP. No perfil oficial da FCFRP, são divulgadas, diariamente, notícias relacionadas à Graduação, Pós- graduação, Cultura e Extensão, linhas de pesquisa de nossos docentes e agora, recentemente, informações científicas sobre o coronavírus. Esses vídeos são gravados pelos pesquisadores da FCFRP e veiculados com temáticas pertinentes ao tratamento, controle, prevenção e pesquisas relacionadas ao COVID-19. O objetivo do trabalho é combater uma outra ameaça que tem se espalhado principalmente por meio de redes sociais: a desinformação. As pautas são veiculadas diariamente e replicadas no Facebook. Os endereços das mídias sociais são: https://www.instagram.com/fcfrp/ e https://www.facebook.com/fcfrp.usp/
  • Disseminação de técnicas e equipamentos adaptados para uso durante a pandemia. Durante a pandemia de coronavírus, vários equipamentos e materiais estarão em falta. Estamos construindo um web site colaborativo para disseminar técnicas e equipamentos alternativos para atender necessidades emergenciais em hospitais. Como, por exemplo, técnicas de esterilização de máscaras N95 para reúso e o compartilhamento de respiradores entre pacientes. São técnicas que não são usadas normalmente. Elas são experimentais ou artesanais. Essas técnicas poderão ser usadas por grupos espalhados pelo país em caso de necessidade. Não há um coordenador, é um trabalho cooperativo. Responsável: Dilvan de Abreu Moreira, ICMC.
  • A Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar (SBPH), em parceria com o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, em um esforço conjunto para criar um espaço de troca de experiências, reflexões e construção de saberes a respeito do enfrentamento da pandemia COVID-19, CONVIDA os profissionais psicólogos para participarem dos encontros on-line “ACHAR PALAVRA”, que ocorrerão às terças e quintas-feiras, das 20:00 às 21:00 hs, a partir do dia 31 de março de 2020, por tempo indeterminado, até quando julgarmos importante e necessário. 
  • Projeto Apoio psicológico online do Instituto de Psicologia em tempos de covid-19. A pandemia de  covid-19 nos obriga a reorganizar modos de vida e conviver com a apreensão e as dores ligadas às consequências diretas e indiretas da doença. Preocupados com as dificuldades psicológicas que surgem neste momento, o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo está oferecendo, de modo público e gratuito, o atendimento pelo “Apoio Psicológico Online”. Na atual fase do projeto, o mesmo é aberto para toda a população a partir de 18 anos, cuja queixa esteja relacionada, de modo direto ou indireto à pandemia do Covid-19. Além disso, para se beneficiar do projeto, é necessário um dispositivo com acesso adequado à internet e conhecimentos e condições de operá-lo. O usuário acessa o projeto através do endereço: http://www.ip.usp.br/site/covid-19-apoio-psicologico-online/  preenchendo uma ficha cadastral. Coordenação geral do Projeto é do Prof. Dr. Pablo Castanho, do IP.
  • InspirAção: website para promoção de saúde mental, apoio e prevenção do comportamento suicida. E projeto “O cuidado com a saúde mental em tempos de pandemia”. Responsável: Profa. Kelly G. Giacchero Vedana, da EERP. https://inspiracao-leps.com.br/
  • Elaboração de material educativo  para pessoas com hipertensão arterial e doenças cardiovasculares sobre os cuidados de higiene no domicílio: lavagem das mãos, limpeza dos aparelhos de pressão, alimentação saudável, isolamento social, exercício físico no domicílio etiqueta respiratória no domicílio em tempos de COVID 19. Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Hipertensão Arterial- GIPHA- DEGE-EERP-USP.
  • Projeto “Prevenção e cuidado na COVID-19 nas escolas”, cujo objetivo é implementar ações educativas na comunidade escolar (professores, funcionários, gestores, alunos e famílias) no retorno às atividades, enquanto uma ação estratégica, visando a manutenção dos cuidados diante da transmissibilidade do COVID-19, em função de não termos ainda a vacina. Visando, assim, manter a comunidade e as instalações educacionais seguras, tanto quanto à propagação do COVID-19, quanto à prevenção da discriminação de quem tenha sido exposto ao vírus. PROASENúcleo de Estudos, Ensino e Pesquisa do Programa de Assistência Primária de Saúde Escolar. Responsáveis: Profa. Marta Angélica Iossi Silva e Profa. Maria das Graças Bomfim de Carvalho, da EERP. GPSI – Grupo Promoção da Saúde em Instituições de Ensino, Responsável: Profa. Luciane Sá de Andrade, da EERP e SEBAHC – Saúde na Educação Básica e Abordagem Histórico-Cultural, Responsáveis: Profa. Marlene F.C. Gonçalves, Profa. Luciane Sá de Andrade e Profa. Marta Angélica Iossi Silva. 
  • Ação social promovida pelo projeto “Saúde Única em Periferias”: o projeto busca proporcionar material de higiene para famílias carentes da comunidade São Remo. Coordenação: Centro Acadêmico de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo.

 

  • Apoio à “rede oeste” para atendimento à famílias carentes: o projeto reúne líderes comunitários e coordenadores de projetos sociais que procuram fornecer auxílio em alimentação e ações de conscientização e promoção de saúde (fornecimento de máscaras e produtos de higiene) a famílias em situação de vulnerabilidade social. Coordenação: Centro Acadêmico de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo.

 

  • Coordenação de voluntários para fornecimento de álcool e álcool em gel para o HU-USP e a SAS-USP pela FCF-USP: apoio operacional de membros discentes de graduação e Pós Graduação. Coordenação: Centro Acadêmico de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo.

 

  • Colaboração da Unidade laboratorial para execução de teste para coronavírus. Deslocamento de funcionário para auxílio no laboratório central para testes de PCR ao coronavírus. Responsável: Profa. Maria Notomi Sato, do Departamento de Dermatologia da FMUSP.
  • Disponibilização de funcionários para análises do coronavírus, com o objetivo de ampliar a rapidez e o número de exames realizados. Responsável: Profa. Berenice Bilharinho de Mendonça, do Laboratório de Hormônios e Genética Molecular da FMUSP.
  • Empréstimo de equipamento PCR, plataforma de pipetagem e insumos feito pelo Laboratório de Genômica de Plantas e Bioenergia (PGEMBL) (Prof. Elisson Romanel e Tatiane da Franca Silva) do Departamento de Biotecnologia da Escola de Engenharia de Lorena (EEL/USP) para pesquisa e diagnóstico do COVID-19 pelo professor Alessandro Farias envolvido na Força-Tarefa Contra a COVID-19 da UNICAMP.
  • A EEFE tem uma máquina PCR que pode colocar à disposição, assim como voluntários para a realização de testes. Responsáveis: Profs. Patricia Chakur Brum, Edilamar Menezes de Oliveira, Paulo Ramires e Tiago Fernandes.
  • Infraestrutura para testes. O Instituto de Biociências possui pelo menos 10 equipamentos de rtPCR que estão à disposição para uso em testes para o vírus SARS-Cov-2 se for necessário. A capacidade de amostragem ainda está sendo calculada, mas está na casa de milhares. O IB também possui alunos de pós-graduação e pós-doutorandos treinados para realizar tais reações. 
  • Laboratórios do IQ realizaram doações para a Plataforma Pasteur-USP de reagentes e materiais para diagnóstico de SARS-CoV-2 por PCR em tempo real. Adicionalmente,  foram colocados à disposição alguns laboratórios que possuem instalações e equipamentos para a realização dos testes moleculares. 
  • Disponibilização  de duas impressoras 3D (IF). 
  • Disponibilização  de impressoras 3D da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo para produção de visores (EPI’s) que estão sendo disponibilizados  às equipes de saúde do Hospital das Clínicas (HC). A FAU também doou 600 (seiscentos) óculos de proteção para a equipe de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e atendentes atuantes no Hospital Universitário (HU).
  • Engajada no combate aos sérios efeitos ocasionados pela pandemia COVID-19, a FAU, por meio de ações realizadas pela Seção Técnica de Modelos, Ensaios e Experimentações Construtivas da FAUUSP (STMEEC, antigo LAME), está participando de esforço articulado com o INOVA USP para produção de 1000 máscaras de proteção para agentes de saúde do Hospital das Clínicas. 
  •   Prof. Paulo Teixeira, da ESALQ, colocou o equipamento de real-time PCR à disposição do time de São Paulo para diagnóstico do coronavírus.
  • Impressão de máscaras de proteção nas impressoras 3D do LAFAC (Laboratório de Física Aplicada e Computacional). Estas máscaras serão utilizadas pela equipe da FZEA que fará exames de detecção do coronavírus e também pelos profissionais da Secretaria de Saúde de Pirassununga. Responsáveis: Profs. Ernane José  Xavier da Costa e Ana Carolina Sousa Silva, ambos da FZEA.
  • Injeção de complementos de EPI (Face Shields) e dispositivo de filtragem junto às máscaras para proteção contra a COVID-19 que estão sendo impressas em impressoras 3D. Adaptação e impressão 3D de conectores dos respiradores junto com a Santa Casa de São Carlos.  Responsável: Profa. Zilda de Castro Silveira, da EESC. 

      

  • Aquisição e distribuição de insumos de higiene pessoal para habitantes da favela São Remo – coordenação da Profa. Evelise Oliveira Telles.
  • As ações  coordenadas pela Rede Colaborativa da USP para Diagnóstico do SARS-CoV-2 e realizadas em laboratórios credenciados de Ribeirão Preto: Instituto Adolfo Lutz e Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto. 1-  Empréstimo de máquinas de RT-PCR para diagnóstico molecular e Composição de um Banco de Recursos Humanos vinculados à Rede USP. Coordenadores: Elisa Maria de Sousa Russo e Marcelo Dias Baruffi, da FCFRP.
  • Empréstimo de Leitos Hospitalares. Quatro leitos hospitalares do IFSC/USP, que estavam sendo utilizados em diversas pesquisas relacionadas com a área da saúde no Grupo de Óptica, foram emprestados a Santa Casa da Misericórdia de São Carlos por tempo indeterminado para ampliação do atendimento de pacientes com Covid-19. Responsável: Prof. Vanderlei Bagnato.
  • O Laboratório de Biologia Estrutural do Instituto de Física de São Carlos (Prof. Richard C. Garratt, João Renato C. Muniz e Otavio Henrique Thiemann) fez a doação de todas as luvas cirúrgicas, jalecos descartáveis, propés e máscaras cirúrgicas, além de duas viseiras, para a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, numa iniciativa da funcionária Susana Andrea Sculaccio Beozzo. O Laboratório da Profa. Ilana L. B. da Cunha Camargo também realizou a doação de diversos materiais para a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos.
  • Disponibilização de ventiladores pulmonares e de materiais de primeira necessidade para Hospitais, e de Médicos Veterinários Residentes para que participem de atividades de auxílio à saúde – Coordenação dos Profs. André Zoppa, Simone Balian, Carla Belli, Denise Fantoni e Aline Ambrósio, todos da FMVZ.
  • Projeto de capacitação de profissionais de saúde para o cuidado à pacientes com COVID 19 atendendo a demanda do Ministério da Saúde. Elaborar plano de capacitação para trabalhadores de enfermagem para o enfrentamento da pandemia e a prestação de cuidado com segurança à pacientes com COVID 19 no ambiente de hospitais, principalmente nos hospitais de campanha instalados em todos os estados do Brasil. Coordenadora do projeto na área de Enfermagem: Maria Helena Palucci Marziale (EERP-USP).

 

  • Desenvolvimento das seguintes atividades: aula sobre a prática cirúrgica durante a epidemia (já gravada); início de revisão qualificada sobre o mesmo assunto para posterior publicação; grupos de mentoria com alunos (FMUSP e fora), esclarecendo dúvidas; mensagens ativas em grupos de pacientes para esclarecimentos sobre a epidemia; “postagens” no Facebook/Instagram. O objetivo é educar, esclarecer e informar de maneira a divulgar o que é real e o que há de evidências. Responsável: Prof. Flavio Carneiro Hojaij. Equipe: outros docentes da FMUSP; estudantes de medicina da FMUSP e outras instituições; artistas. Outras instituições envolvidas: Faculdade de Medicina de Marília.
  • Coordenação da equipe médica da Cirurgia Torácica para atendimento tanto ao paciente portador de COVID-19, quanto aos demais pacientes em todos os institutos do Hospital das Clínicas da FMUSP (InCor, IOT, IPq, ICESP, InRad, ICr); divisão dos médicos em grupos de acordo com a faixa de risco para atendimento aos pacientes portadores ou não de COVID-19; ensino dos médicos residentes nas atividades habituais da Cirurgia Torácica e naquelas impactadas pela COVID-19; participação na coordenação do fluxo de pacientes portadores de COVID-19 ou não de acordo com a gravidade e urgência, com o objetivo de oferecer melhor tratamento aos pacientes e preservar a equipe médica envolvida nos tratamentos. Responsável: Prof. Paulo Manuel Pêgo Fernandes, com colaboração de médicos do HCFMUSP e professores da Cirurgia Torácica da USP.
  • O Centro de Desenvolvimento de Educação Médica “Professor Eduardo Marcondes” (CEDEM) está organizando o Curso “COVID -19: Atualização e evidências para profissionais da saúde”, destinado aos profissionais da saúde que atuam nos diferentes níveis de cuidado e especialidades, e aos estudantes da área da saúde. É um curso autoinstrucional, online, gratuito, com aulas conferidas pelos professores e pesquisadores, infográficos, testes, sessão de dúvidas frequentes e glossário. Este curso tem como objetivo primário atualizar os profissionais de saúde e estudantes de medicina do HCFMUSP. Responsáveis pelo curso: Profa. Dra. Eloisa Dutra de Oliveira Bonfá, Profa. de Reumatologia da FMUSP e Diretora Clínica do HCFMUSP; Prof. Dr.Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, Prof. de Ortopedia da FMUSP e Diretor da FMUSP; Prof. Dr. Milton de Arruda Martins, Prof. de Clínica Médica FMUSP e Presidente da Comissão de Graduação; Prof. Dr. Igor Marinho, Médico Infectologista do HCFMUSP e MBA em Gestão Hospitalar; Profa. Dra. Patricia Zen Tempski, Livre Docente em Educação na Saúde pela USP e Coordenadora de ensino e pesquisa do CEDEM; Fernanda Arantes, pesquisadora do CEDEM, Prof. Dr Décio Mion, Diretor da Escola de Educação Permanente do HCFMUSP. Outros professores convidados: Anna Sara Shafferman Levin, Arthur Danila, Carlos Ribeiro de Carvalho, Carolina Lazari, Cristina Pires de Camargo, Danielle Nemer, Danilo Yamamoto Nambu, Eloisa Bonfa, Esper Georges Kallás, Eurípedes Miguel, Flávio Hojaij, Ho Yeh Li,, João Garcez Leme, Juliana Ferreira, Marcio Sawamura, Maria José Carmona, Paulo Roff, Rodrigo Brandão, Rodrigo Olmos, Rossana Puccinelli, Wilson Jacob Filho. Instituições Envolvidas: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Hospital das Clínicas da FMUSP (HCFMUSP) e Hospital Universitário da USP (HU-USP).
  • Em virtude da pandemia de COVID-19 e a suspensão das aulas presenciais na FMUSP, o Centro de Desenvolvimento de Educação Médica desenvolveu estratégias de enfrentamento como a capacitação de professores e alunos para ensino à distância. Foram criadas salas de aula virtuais no Google Classroom, materiais instrucionais como infográficos e tutoriais sobre como usar as ferramentas e modos de interação virtual em pequenos e grandes grupos, elaboração de aulas à distância gravadas (assíncronas) e aulas ao vivo (síncronas). Paralelamente, estamos recebendo individualmente os professores e assessorando-os quanto ao ajuste dos objetivos educacionais e estratégias educacionais de cada uma das unidades curriculares. Montamos ainda um estúdio de gravação para aulas assíncronas e estamos assessorando nas vídeoaulas síncronas, com o auxílio direto dos preceptores de graduação. Foram também disponibilizados Chromebook para 28 alunos que não dispunham de computador para acessar as atividades e chips de internet para aqueles que não dispunham de conexão com a internet (12 chips). Responsáveis: Milton de Arruda Martins, Patrícia Zen Tempski, Fernanda Magalhães Arantes Costa, Marina Siqueira, Matheus Torsani, do Laboratório de Terapêutica Experimental I da FMUSP. Website: http://www.fm.usp.br/cedem/infograficos/dicas-para-o-ensino-a-distancia.
  • O Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP desenvolve ações de prestação de serviços na atenção primária à saúde, realizadas especialmente através do Centro de Saúde Escola Butantã (CSEB) e apoio a atividades de assistência realizadas no Hospital das Clínicas, pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hospital das Clínicas (NUVE) e se reorganizou internamente para responder à emergência da COVID-19. Garante a realização da campanha de vacinação contra a gripe com eficiência e qualidade de atendimento. Vem garantindo o atendimento das condições prioritárias (gestantes, trocas de receitas de pacientes crônicos etc.) e o atendimento dos sintomáticos respiratórios, segundo os protocolos de segurança preconizados. Vem mantendo o suporte a conflitos familiares difíceis, para atender os casos de violência contra a mulher, que tendem a aumentar. Já o Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NUVE) compõe o Comitê de Resposta à Crise do HCFMUSP, participando do planejamento das ações coordenadas de resposta, além de manter uma base de dados atualizadas dos casos notificados. Equipes: R1 de Medicina Preventiva, R2 de Medicina Preventiva, R1 da Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva, R2 da Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva, diversos pós-graduandos voluntários. Responsável: Prof.Nelson Gouveia.
  • Devido à pandemia de COVID-19, as atividades acadêmicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo foram interrompidas. No entanto, os alunos do curso de medicina demonstraram vontade de se voluntariar e ajudar com as demandas atuais do hospital, ajudando no cuidado de pacientes infectados e não infectados pelo Sars-CoV-2, participando de pesquisas, trabalhando em vigilância epidemiológica nos casos de COVID-19 e no planejamento educacional de cursos on-line. Cento e quarenta estudantes 5° do curso de medicina se voluntariaram através do Formulários Google. Mais de 40 estudantes já estão trabalhando no hospital, contribuindo para um projeto de pesquisa que visa caracterizar a apresentação clínica e o prognóstico do COVID-19. Outro grupo está ajudando na assistência de pacientes em enfermarias. Temos ainda 11 alunos ajudando na monitoria dos professores no ensino EAD. Esperamos enviar ainda mais alunos para ajudar em outras atividades. Responsável: Prof. Milton de Arruda Martins, com a colaboração de Patrícia Zen Tempski, Fernanda Magalhães Arantes Costa, Marina Alves Martins Siqueira e Matheus Belloni Torsani.
  • Com o objetivo de oferecer assistência aos doentes de COVID-19 graves e críticos, uma equipe do Departamento de Cirurgia da FMUSP participa do Comitê de Crise do HCFMUSP, realiza a epidemiologia dos doentes COVID-19 avaliados e operados pela cirurgia, e mantém um banco de dados para registro dos doentes não-COVID. Responsável: Prof. Edivaldo Massazo Utiyama, com a colaboração de assistentes, preceptores, residentes e pessoal de apoio técnico.
  • Busca ativa por sinais e sintomas de acometimento psíquico dos pacientes idosos nos ambulatórios de Psiquiatria Geriátrica vinculados ao Laboratório de Neurociências da FMUSP,  como o Ambulatório Didático de Psicogeriatria e os Ambulatórios Especializados (de Pesquisa), com foco em Doença de Alzheimer, Transtornos do Humor e Envelhecimento na Síndrome de Down. Os pacientes e cuidadores atendidos nestas unidades fazem parte do grupo de alto risco para ocorrência de complicações da infecção pela Covid-19, razão pela qual reiteramos a necessidade de recolhimento domiciliar, sem contudo negligenciar as demandas clínicas e os tratamentos em curso. Esta busca baseia-se na aplicação de entrevistas e questionários por meio de contato telefônico, que pode ser seguido, quando necessário, por teleconsulta e/ou visita domiciliar. Através desta abordagem preferencialmente à distância, pretendemos não apenas mostrar que a Instituição está atenta e disponível para atender às demandas dos seus pacientes nesta difícil situação de crise, mas também pretendemos nos antecipar diante da possibilidade de recaídas clínicas e outros acometimentos relacionados à deterioração da saúde mental dos pacientes, além e monitorar a continuidade dos tratamentos, minimizando a sua interrupção pela maior dificuldade de acesso ao ambiente hospitalar. Além disso queremos obter informações sobre a percepção de nossos pacientes sobre a situação atual de crise, bem como suas reações diante das restrições impostas pelas agências de saúde. A população-alvo desta iniciativa são os pacientes idosos com transtornos mentais, tais como transtornos neurocognitivos (demências e comprometimento cognitivo leve), do humor (transtorno bipolar e Depressão Geriátrica), de ansiedade e psicoses. O objetivo é monitorar o estado de saúde mental dos pacientes atendidos em nossas unidades ambulatoriais, e conhecer as reações psíquicas e comportamentais, o grau de discernimento e as demandas assistenciais desta população diante da crise desencadeada pela pandemia Covid-19 bem como pelas medidas de controle de sua propagação através do isolamento em domicílio. Responsável: Prof. Orestes Vicente Forlenza, do Departamento de Psiquiatria da FMUSP. Equipe: Florindo Stella, Leandro Valiengo, Márcia Radanovic, Marcos Pais, Júlia Loureiro, Camila Penteado, Luana Martinez, Cláudia Carvalho, Livea Santana.
  • Colaboração no treinamento de novos 275 fisioterapeutas do Hospital das Clínicas da FMUSP, referência estadual no tratamento de pacientes da pandemia  do novo coronavírus, com o objetivo de capacitar profissionais para atuarem em área hospitalar no enfrentamento da COVID-19. Responsável: Profa. Naomi Kondo Nakagawa, com a colaboração de outros professores, supervisores e graduandos do curso de Fisioterapia da FMUSP. Website: https://sites.usp.br/kidssavelivesbrasil/
  • Supervisão para apoio psicoterapêutico ao staff do complexo do Hospital das Clínicas (HC) da FMUSP e atendimento psicoterápico voluntário online aos Residentes e outros médicos que estão no combate à pandemia (iniciativa do Departamento de Psiquiatria da FMUSP), com a finalidade de oferecer atendimento ao staff do HCFMUSP, além de supervisão ao atendimento à população que procura o Programa de Estudos em Sexualidade (ProSex). Responsável: Profa. Carmita Helena Najjar Abdo, com a colaboração e membros do Departamento de Psiquiatria da FMUSP e do Programa de Estudos em Sexualidade do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP.
  • Organização da realocação da Divisão de Clínica Neurocirúrgica, com disponibilização de leitos de enfermaria e UTI no Instituto Central do  Hospital das Clínicas (HC) da FMUSP para atendimento de pacientes COVID-19. Apoio ao atendimento dos pacientes COVID-19 com patologias neurocirúrgicas internados no ICHC-FMUSP e continuidade do atendimento aos pacientes com emergências neurocirúrgicas, traumáticas e não-traumáticas, nas demais dependências do Complexo HC. Manter o atendimento adequado a população, otimizando o atendimento tanto dos pacientes COVID-19 positivos e negativos. Responsável: Roger Schmidt Brock, da FMUSP. Equipe:Prof. Dr. Manoel Jacobsen Teixeira, Prof Dr. Almir Ferreira de Andrade, Prof Dr. Welligson Paiva.
  • Assistência, organização do serviço, treinamentos de higienização, autoproteção, desinfecção, mobilização dos fisioterapeutas, docentes e estudantes do Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da FMUSP  para o Hospital Universitário, Hospital das Clínicas e Unidades Básicas de Saúde, com o objetivo de minimizar o contágio, fazer o acolhimento e triagem da população e oferecer assistência especializada. Responsável: Profa. Renata Hydee Hasue. Equipe: docentes, fisioterapeutas e estudantes de fisioterapia.
  • Atendimento aos pacientes graves e de terapia intensiva, proteção aos profissionais de saúde, treinamento aos profissionais quanto ao uso correto de equipamentos de proteção individual (EPI), testes de validação de reprocessamento de EPI (frente à iminente falta mundial), validação de testes diagnósticos, projetos de pesquisa envolvendo transmissão, tratamento e diagnóstico. Foi montado um comitê de crise que define toda a estratégia do complexo HC e centraliza as decisões. No entanto, há uma participação universal dos profissionais. Os residentes, médicos e docentes de todas as áreas estão envolvidas na resposta à epidemia, independentemente da sua especialidade, para a cobertura das áreas que recebem os pacientes com COVID-19, tendo em vista que grande parte das outras atividades está suspensa. O objetivo é garantir um desfecho mais brando para esta epidemia. Responsável: Profa. Anna Sara Levin, do Departamento de Doenças Infecciosas e Parasitárias da FMUSP. Equipe: Docentes, residentes, alunos voluntários (por volta de 90 do quinto ano de Medicina), alunos de pós-graduação e pós-doutorandos, pessoal administrativo, médicos, enfermagem, farmacêuticos, terapia ocupacional, fisioterapia e profissionais dos serviços auxiliares. Outras instituições envolvidas: Hospital das Clínicas, Secretaria de Estado da Saúde.
  • A fim de auxiliar o Comitê de Crise do COVID-19 do Estado de São Paulo,  o INCT da Internet do Futuro para Cidades Inteligentes em parceria com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e apoio da STI-USP estão disponibilizando e adaptando a plataforma InterSCity para coleta, análise e visualização de dados sobre mobilidade no Estado de São Paulo baseado em técnicas de ciência de dados. O sistema está sendo utilizado para auxiliar o combate ao COVID-19 por meio da análise da mobilidade intermunicipal em todo o Estado de São Paulo. As análises têm como objetivo fornecer subsídios para a gestão do isolamento social no estado. Numa iniciativa de pesquisa e desenvolvimento tecnológico para cidades inteligentes, a plataforma InterSCity foi concebida para coletar, armazenar, processar e visualizar dados sobre cidades utilizando ferramentas avançadas de software livre, computação de alto desempenho e ciência de dados. Maiores informações sobre o projeto podem ser encontradas em https://interscity.orgO InterSCity e o PDIP-IPT são projetos apoiados pela FAPESP, procs. 14/50937-1, 15/24485-9 e 17/50343-2. Os projetos são coordenados por Fabio Kon (IME-USP) e Alessandro Santiago dos Santos (IPT).
  • Suporte às atividades desenvolvidas no Centro de Saúde Escola Butantã (CSEB) e Hospital das Clínicas (HC) da FMUSP. Estamos trabalhando nas seguintes frentes nesta Pandemia: 1. Apoio à campanha de vacinação no CSEB, para organização da fila de vacinação e atendimento das demandas dos pacientes que estão na fila relacionadas à Fisioterapia. 2. Atendimento por telefone para tirar dúvida dos pacientes e passar orientações no CSEB. 3. Apoio instrucional aos pacientes e suas famílias acompanhados pela atenção primária no CSEB. 4. Treinamento/suporte para as equipes de Fisioterapia que atuarão no Instituto de Psiquiatria, que receberam pacientes transferidos do Instituto Central do HC. Espera-se conseguir dar suporte às equipes mediante as suas demandas durante este período. Responsável: Profa. Raquel Aparecida Casarotto, do Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da FMUSP. Equipe: alunos, técnicos em Fisioterapia e residentes do Programa de Residência Multidisciplinar em Promoção da Saúde e Cuidado na Atenção Hospitalar. Outras instituições envolvidas: Centro de Saúde Escola Butantã  e Hospital das Clínicas da FMUSP.
  • Treinamento clínico para emergência em fonoaudiologia. Capacitar os alunos da graduação em FONO no HCFMUSP para o atendimento de pacientes internados em risco ou com disfagia. Responsável: Claudia R F Andrade, Divisão de Fonoaudiologia do  HCFMUSP.
  • Cobertura da enfermaria COVID19. Suporte médico aos pacientes internados com COVID-19 (Instituto Central do HCFMUSP/SP). Responsável: Samuel Katsuyuki Shinjo, Reumatologia – Clínica Médica, FM.
  • Apoio total do Centro de Pesquisa Clínica cedendo área, computadores, ultrassom para o berçário de alto risco do HC que foi transferido ao HU. Responsável: Paulo Andrade Lotufo. Toda a equipe do Departamento de Clínica Médica, FM.
  • Preparo para retaguarda de atendimento de saúde mental relacionada à exposição ao estresse e suas consequências. Responsável: Helena Brentani. Toda a Equipe do Departamento de Psiquiatria, FM.
  • Melhorar o atendimento fisioterapêutico dos pacientes COVID-19 no HCFMUSP; Aprimorar o conhecimento dos Fisioterapeutas do Estado de São Paulo; Certificar que os fisioterapeutas hospitalares tenham equipamento de proteção individual (EPIs) para reduzir a contaminação da população; Obter resultados para compreender os pacientes mais afetados pelo Covid-19; Melhorar a higienização de equipamentos e reduzir a contaminação dos profissionais e pacientes. Responsável: Celso Ricardo Fernandes Carvalho. Equipe: Vinicius Cavalheri, Clarice Tanaka, Dilvan Moreira, Jose Renato de Oliveira Leite, Vinicius Iamonti, Laboratório de Investigação Médica-54 (LIM-54), FOFITO, FM.
  • Informação e Cultura na COVID-19. Ações junto ao Conselho Nacional de Educação:  Cooperação junto a Conselhos Municipais de Educação sobre medidas educacionais a serem tomadas; A Câmara de Educação Básica prepara Parecer sobre dias letivos e atividades escolares e educacionais enquanto durar a pandemia; Ações no Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial: Programa de governança e monitoramento de informação para comunidades indígenas, quilombolas e de terreiro ao longo da pandemia. Apoio a iniciativas populares (Periferia Sem Corona, Educafro) https://www.periferiasemcorona.com.br/index.html e https://www.educafro.org.br/ site/educafro-e-o-coronavirus/; Curadoria de informações institucionais sobre a pandemia e elaboração de programas para preparar as favelas para cenário do Covid-19. Entrevista sobre Covid-19 e como as Favelas podem se organizar. Responsável:  Prof. Dr. Ivan Claudio Pereira Siqueira, ECA.
  • Treinamento de pesquisadores para trabalho em laboratórios de biossegurança de nível 3+ (NB3+), contribuindo para utilização do laboratório do NB3+ que permite o desenvolvimento de testes para novos medicamentos. Responsável: Ana Marcia de Sá Guimarães.
  • Capacitação de profissionais de saúde que fazem visitas domiciliares: COVID-19 e outras epidemias, endemias. Projeto interinstitucional que visa desenvolver um sistema virtual de capacitação para profissionais que fazem visitas domiciliares. Com base nos dados ‘personalizados’ dos usuários: sua comunidade, aspectos sócio-econômicos e dados epidemiológicos, os treinamentos, capacitações dos profissionais serão direcionados, conforme a categoria profissional, e os mesmos terão acesso, via aplicativo celular, às orientações necessárias antes de cada visita domiciliar. A metodologia para coleta de dados ‘personalizados’ dos pacientes que recebem visitas será realizada por meio de um ‘registro histórico de saúde de pacientes’ (projeto que está sendo desenvolvido pelo Departamento de Computação da Universidade Federal Fluminense-RJ), que irão compilar os dados referidos em um sistema de banco de dados. Responsável: Profa. Dra. Eunice Almeida da Silva, EACH.
  • Apoio técnico aos membros da Comissão Interamericana de Direitos Humanos para formulação de diretrizes para os Estados Partes do Sistema Interamericano de Direitos Humanos no sentido de garantir respeito aos Direitos Humanos durante a resposta à pandemia, por meio da elaboração de uma Resolução, de pronunciamentos oficiais, de estratégias de formação de juristas e ativistas e da proposição de mecanismos de acompanhamento de medidas de saúde pública nas ordens jurídicas nacionais. Duração: 6 (seis) meses. Estágio atual: Formalização de convênio entre a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e a FSP/USP e elaboração do plano de trabalho para início provável em 8 de abril de 2020. Responsável: Prof. Fernando Aith, Faculdade de Saúde Pública.
  • Sala de Coordenação e Resposta Oportuna e Integrada à Crise da Pandemia de COVID-19 – Parceria entre a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Washington DC, Estados Unidos, e a FSP/USP (Centro de Estudos e Pesquisas de Direito Sanitário – CEPEDISA e Doutorado em Saúde Global e Sustentabilidade). Responsáveis: Dr. Paulo Abrão Pires Jr. (Secretário Executivo da Comissão Interamericana de Direitos Humanos), Profa. Dra. Deisy de Freitas Lima Ventura (Departamento de Saúde Ambiental, FSP.
  • Recrutamento de profissionais de enfermagem para atuar nos hospitais de campanha. Presidência do comitê de gestão de crise do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN-SP). Profa. Eduarda Ribeiro dos Santos, da EE.
  • Colaboração de membros do LEPS e CEPS em plantões virtuais organizados pelo COFEN. Atendimento virtual por meio de plantões em Chat para promover apoio à Saúde Mental de Profissionais de Enfermagem. Coordenação: Dóris Humerez. EERP
  • Colaboração com o delineamento do Plano Municipal de Prevenção do suicídio em Ribeirão Preto – SP. O trabalho tem por finalidade possibilitar a construção do Plano Municipal de Prevenção do suicídio em Ribeirão Preto – SP. Coordenação: Secretaria Municipal da Saúde de Ribeirão Preto. Integrantes: Comitê Municipal de Prevenção do Suicídio.
  • Parceria e prestação de serviços para a Prefeitura do município de São Caetano do Sul para apoio diagnóstico nas ações emergenciais da COVID-19 envolvendo cerca de 35.000 pessoas acima de 60 anos deste município. Responsável: Laboratório de Virologia da FMUSP.
  • Realização de PCR para identificação do SARS-CoV-2 para auxiliar o HC-FMUSP. Responsável: Laboratório de Virologia da FMUSP.
  • Descrição clínica, de complicações e desfechos de casos do novo Coronavírus em Hospital Infantil Terciário da cidade de São Paulo, durante surto de 2020. Responsabilidade do Laboratório de Virologia, da Faculdade de Medicina da USP.  Responsável: Profa. Maria Cassia Jacintho Mendes Correa.
  • Capacitação interprofissional de saúde para manejo do paciente com coronavírus (COVID-19). A capacitação de cerca de 200 médicos e enfermeiros da rede de saúde pública de Bauru, para atendimento a pacientes com Covid-19, acontece no Centro de Educação e Capacitação em Saúde (CECS) da FOB-USP, visando à proteção e saúde dos profissionais e também dos infectados. Uma rede de apoio foi formada, na qual mais de 20 médicos, como otorrinolaringologistas e anestesistas, bem como outros profissionais da saúde, como fisioterapeutas, se disponibilizaram a oferecer os treinamentos. O treinamento prioriza a identificação precoce de um paciente suspeito de Covid-19 na rede emergencial: UPAs, atendimento central e Samu. Na prática, é ensinada a forma correta de paramentação e retirada dos EPIs, para não contaminar o profissional. Especialistas também passam as orientações e técnicas de intubação orotraqueal, medicação, ventilação mecânica e uso dos respiradores. Equipe: Prof. Dr. Carlos Ferreira dos Santos, Profa. Dra. Alessandra Mazzo, Prof. Dr. Luiz Fernando Manzoni Lourençone, Prof. Dr. Aguinaldo Cesar Nardi, todos da FOB.  Disponível no Link: https://www.youtube.com/watch?v=hBZk-9-wLts&feature=youtu.be&fbclid=IwAR2uGc3-VjRfuA9rOlxAJ7jxyN3OTvm4QhVIDvamsiott_bBY-R1OLPZ0rA
  • Esterilização de máscaras no setor de esterilização da FOB-USP, a pedido do ministério público por intermédio do promotor de justiça de Bauru, Dr. Enilson Komono. FOB disponibilizou seu setor de esterilização para a viabilização de uma das vertentes das ações criadas pela campanha CoronaVIDA. Voluntárias do projeto criaram um protótipo seguindo as normas da Vigilância Sanitária, com os critérios, tipo de tecido e dimensão. O material confeccionado será enviado para a FOB, onde será esterilizado e direcionado com segurança aos profissionais de saúde. Equipe: Prof. Dr. Carlos Ferreira dos Santos, Profa. Dra. Cássia Maria Fischer Rubira e Enfermeira Marcia Borges Sanchez Rodrigues de Sá.
  • Projeto de capacitação de profissionais de saúde para o cuidado à pacientes com COVID 19 atendendo à demanda do Ministério da Saúde. Equipe: Alex J. F. Cassenote (FMUSP), Monica Padilha (OPAS), Caroline Valero(MS), RosyleneMerces Rocha, Maria Helena PalucciMarziale (EERP-USP-coordenadora do projeto na área de Enfermagem), Pedro Fredemir Palha EERP-USP, Rosana Spadoti Dantas EERP-USP, Maria Celia Dalri EERP-USP, Simone de Godoy EERP-USP, Renata Pereira da Silveira EERP-USP, Maria Cândida Furtado EERP-USP, Renata Karina Reis EERP-USP, Daniela Pimentel EERP-USP, Fernanda Titarelli EERP-USP, Karina  Fonseca de Souza Leite EERP-USP. 
  • Coordenação e Resposta Oportuna e Integrada à Crise da Pandemia de COVID-19 – Fornecer apoio técnico aos membros da Comissão Interamericana de Direitos Humanos para formulação de diretrizes para os Estados Partes do Sistema Interamericano de Direitos Humanos no sentido de garantir respeito dos Direitos Humanos durante a resposta à pandemia, por meio da elaboração de uma Resolução, de pronunciamentos oficiais, de estratégias de formação de juristas e ativistas, e da proposição de mecanismos de acompanhamento de medidas de saúde pública nas ordens jurídicas nacionais. Parceria entre a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Washington DC, Estados Unidos, e a FSP/USP (Centro de Estudos e Pesquisas de Direito Sanitário – CEPEDISA, e Doutorado em Saúde Global e Sustentabilidade). Responsáveis: Dr. Paulo Abrão Pires Jr. (Secretário Executivo da Comissão Interamericana de Direitos Humanos), Profa. Dra. Deisy de Freitas Lima Ventura (Departamento de Saúde Ambiental, FSP. 
  • Redação de texto sob demanda da  Sociedade Brasileira de Mastozoologia, para publicação nas redes sociais, a fim de: mostrar que os coronavírus de nossas espécies de morcegos não tem relação com o causador da COVID-19 e conscientizar a população da importância deste grupo de animais e evitar/diminuir a perseguição a que estes animais vêm sofrendo. Responsável: Prof. Alexandre Reis Percequillo, da ESALQ.