Desigualdade social torna o combate à COVID-19 ainda mais difícil

Em uma megalópole complexa como São Paulo, com enormes desigualdades econômicas, sociais e culturais, a definição de estratégias de ação e a eficácia de medidas de combate à pandemia da COVID-19 constituem um formidável desafio.

As diferenças que distinguem grupos sociais em uma cidade de mais de 12 milhões de habitantes ficam evidentes no estudo “Os padrões urbano-demográficos da capital paulista”, produzido por Marcelo NeryAltay de Souza e Sérgio Adorno.

A pesquisa, que teve apoio da FAPESP, foi realizada no âmbito do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela Fundação.

Veja a matéria completa em: http://agencia.fapesp.br/desigualdade-social-torna-o-combate-a-covid-19-ainda-mais-dificil/32969/.

(Foto: Paraisópolis, São Paulo/Vilar Rodrigo/wikimedia commons)