Pró-Reitoria de Pesquisa dá as boas vindas aos alunos de iniciação científica e tecnológica

3.100 alunos estão iniciando suas atividades de iniciação científica neste semestre; no dia 29, a USP celebrou parceria com a Dow, que disponibilizou dez bolsas para estudantes autodeclarados pretos e pardos

 

Foto: Gerd Altmann – Pixabay-CC

 

No dia 28 de setembro, a Pró-Reitoria de Pesquisa promoveu um evento para dar as boas vindas aos cerca de 3.100 alunos de graduação que estão iniciando suas atividades de iniciação científica e tecnológica na Universidade neste semestre. A cerimônia foi transmitida da Sala do Conselho Universitário, no prédio da Reitoria.

O Programa de Iniciação Científica e Tecnológica coloca os alunos de graduação em contato com grupos e linhas de pesquisa da Universidade para proporcionar aprendizagem de técnicas e métodos científicos. O estudante é orientado por um pesquisador atuante em sua respectiva área do conhecimento e pode desenvolver pesquisa com bolsa oferecida pelas agências de fomento, com bolsa de programas da própria USP ou sem bolsa.

“Hoje, cerca de 4.500 dos 60.000 mil estudantes da Universidade estão fazendo iniciação científica ou tecnológica, o que representa 7,5% do total de alunos, uma parcela muito significativa. Além disso, 1.880 estudantes estão fazendo iniciação com bolsa cedida pela própria Universidade, dentro do PUB [Programa Unificado de Bolsas da USP], o que evidencia a importância que a USP dá na inserção de nossos estudantes de graduação na pesquisa científica”, afirmou a pró-reitora adjunta de Pesquisa, Carmen Silvia Fávaro Trindade, na abertura do evento.

O pró-reitor de Pesquisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto, destacou a importância na iniciação científica na vida acadêmica do aluno. “A formação científica contribui não somente para o futuro daqueles que irão fazer atividade científica profissionalmente, mas também ajuda a integrar as pessoas e entender os problemas da sociedade, entender como funciona o desenvolvimento científico. É parte da formação cidadã: entender o progresso científico e a relação da sociedade com a ciência”, disse.

O vice-reitor da Universidade, Antonio Carlos Hernandes, aconselhou os estudantes a “aproveitarem o máximo, pois a Universidade tem muito a oferecer do ponto de vista cultural, esportivo, científico, de formação, de networking. Aproveitem as oportunidades”.

Em seguida, a coordenadora do Programa de Iniciação Científica e de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação da USP , Roseli Lopes, falou sobre a importância da iniciação científica e tecnológica para a inovação. Os estudantes Guilherme Simoneti Arruda, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), e Júlia Boscariol Rasera, da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq), deram seus depoimentos sobre suas experiências na iniciação científica. Para encerrar o evento, a assessora técnica da Pró-Reitoria de Pesquisa, Ana Paula Tavares Magalhães Tacconi, apresentou uma palestra sobre boas práticas na pesquisa.

Assista, a seguir, à íntegra da cerimônia.

Parceria com a Dow

No dia 29, um evento on-line celebrou a parceria entre a USP e a empresa química multinacional Dow, que está oferecendo dez bolsas de iniciação científica para alunos de graduação autodeclarados pretos e pardos.

As bolsas fazem parte do programa CRIE (Ciência, Representatividade, Inclusão e Experiência) e são destinadas a estudantes matriculados nos cursos de Química, Engenharia Química, Engenharia Ambiental, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Materiais, Farmácia, Ciências Biológicas e Física.

Na USP, foram selecionados alunos da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da Escola Politécnica (Poli), da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP), Faculdade de Engenharia de Alimentos e Zootecnia (FZEA), Instituto de Biociências (IB), Instituto de Física (IF), Instituto de Física de São Carlos (IFSC) e Instituto de Química (IQ).

“A iniciação científica é um dos programas mais importantes na formação de um pesquisador, pois permite que os estudantes exerçam sua cidadania. Nos últimos anos, a USP tem prestado muita atenção na questão da inclusão e da diversidade. Em 2021, por exemplo, alcançamos o índice de mais de 50% de alunos ingressantes autodeclarados pretos, pardos e indígenas. A ciência precisa da diversidade para ampliar o horizonte da pesquisa”, destacou Canuto durante o evento, que contou com a participação do presidente da Dow, Javier Constante, e do reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Antonio Meirelles, que também participa do projeto, além dos alunos bolsistas.

Além das bolsas, no valor aproximado de R$ 900, o programa Dow CRIE oferecerá aos alunos selecionados mentoria com profissionais da empresa, contando cada aluno com um mentor específico que o aconselhará sobre habilidades importantes para o mundo científico e profissional.

VOCÊ PODE GOSTAR ...